Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

7

Livro: O velho que lia romances de amor



Título Original: Un viejo que lía novelas de amor
Ano: 1989
Género: Romance, Aventura
Autor: Luís Sepúlveda


Já não nos recordamos da primeira vez que ouvimos falar de Luís Sepúlveda, o mais conhecido
escritor chileno da actualidade. Mas a verdade é que nunca tínhamos lido nenhum livro dele até ao ano passado quando nos cruzámos com o seu maior best-seller – O velho que lia romances de amor.

A história apresenta-nos António José Bolívar, um velho em tudo simples que tem como única exigência que o deixem viver a sua vida sossegado juntamente com os seus romances que devora uma e outra vez na sua isolada cabana de uma aldeia do interior da floresta amazónica – El Idilio. Contudo, quando começam a aparecer misteriosos cadáveres perto da aldeia a sua população, apercebendo-se do risco que corre, toma a urgente decisão de eliminar a fonte do perigo. Assim, António José Bolívar, de um momento para o outro, vê-se incluído num grupo de caça (muito por causa do grande conhecimento que possui sobre a vida na selva) quem tem como grande objectivo eliminar de uma vez por todas o inimigo que ameaça a sua aldeia.

Confessamos que não fazíamos ideia daquilo que iríamos encontrar ao abrir este livro uma vez que, apesar da grande fama do seu autor, nada sabíamos sobre a história nem sobre o tipo de escrita de Sepúlveda. Foi por isso que ficámos surpreendidas ao encontrar uma escrita algo simples, muito fluida e “cristalina”. Não há aqui lugar para palavras difíceis nem frases elaboradas.
A própria história também é simples, muito simples até. O que não significa que não seja interessante e não consiga prender a nossa atenção até ao fim.
Depois de lermos este livro ficámos com uma sensação mista em relação àquilo que tínhamos lido: não foi nada do que estávamos à espera, a história era muito mais simples do que poderíamos ter pensado (principalmente para um livro tão conhecido) mas ao mesmo tempo, de uma forma subtil, consegue passar-nos uma grande mensagem acerca da natureza humana.


Curiosidade:

- Luís Sepúlveda escreveu esta obra em homenagem a Chico Mendes (1944-1988), um conhecido defensor da floresta amazónica e dos seus habitantes, que ao longo da sua vida “coleccionou” muitos inimigos acabando por ser morto numa emboscada.


2

Selo


 OBRIGADA À meninaluaprimavera POR TER PENSADO EM NÓS E NOS ATRIBUIR ESTE SELO.

Já agora, vão visitá-la pois tem um blogue MUITO interessante! Decerto que vão ADORAR! 
   
Bem, mas para receber este selo precisamos de seguir alguns passos...cá vai...

1.Dizer quem ofereceu o selo:
O selo foi oferecido pela meninaluaprimavera


2.Responder a duas perguntas:
2.1.Refere um momento que gostasses de reviver:
O dia em que nasceu a ideia do FLAMES


2.2.Porquê?
Porque permitiu colocar em prática uma ideia que sempre quisemos seguir, pelo que foi um dia especial para o nosso blogue


3.Reenvia para 5 blogues:
Helena Frontini
Lucie
Sala de Costura
Mirabolantes
Joana Nunes

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

6

Filme: Ágora

Realizador: Alejandro Amenábar
Data de Lançamento em Portugal: 10 de Dezembro de 2009
Género: Aventura, Drama, Histórico, Romance

Cast:
Rachel Weisz           ...     Hypatia
Max Minghella         ...     Davus
Oscar Isaac             ...     Orestes
Ashraf Barhom        ...     Ammonius
Michael Lonsdale    ...     Theon
Rupert Evans           ...     Synesius

Duração: 127 minutos

Este filme não nos surpreendeu tanto como estávamos à espera, mas sem dúvida que vale a pena vê-lo, não só pelo seu interesse histórico como pela brilhante ideia do filme (que se baseia numa história verdadeira).

Esta passa-se no Egipto do Século IV. Na altura em que o Império Romano exercia, ainda, nessa zona, o seu poder. Foi nessa época que se iniciaram confrontos religiosos (e sociais), muitos deles bastante violentos, em nome de Deus.
A livraria da cidade era muitas vezes visitada por uma brilhante astrónoma - Hypatia. Esta, mesmo encontrando-se no século IV, possuía uma grande influência e tinha ainda muitos alunos e discípulos.

Hypatia é ainda o centro da atenção de dois homens: o seu discípulo Orestes, muito inteligente e talentoso, e o seu jovem escravo Davus, que se encontra dividido entre o amor que sente pela sua senhora, e a vontade de se juntar aos Cristãos.

Quando a sua zona é invadida pelos defensores de apenas um Deus, Hypatia tenta salvar as obras mais importantes que se encontram na fantástica biblioteca.

A partir desse dia, o mundo nunca mais iria ser o mesmo!

Mais um filme que nos mostra do que é que as pessoas foram, ao longo dos anos, capazes de fazer em nome de Deus.
Desta forma, Ágora mostra uma realidade que se encontra ainda presente nos nossos dias.

Aqui fica o trailer

domingo, 26 de setembro de 2010

1

2º Passatempo

Hello Hello pessoal do FLAMES:

Tudo bem? Ora bem, o nosso 2º passatempo correu bem... tivemos muitas mais participações. No entanto, algumas pessoas NÃO leram com atenção as instruções, apesar dos nossos incessantes avisos! Sendo assim, não participaram no sorteio efectuado!

Total de participações: 15
Dessas 15 participações, 9 foram as que participaram no sorteio (isto é, SÓ 9 pessoas cumpriram as regras e responderam correctamente!)

A cada participante foi dado um número (atribuído pela ordem de inscrição!).

Para sortear o número vencedor, utilizámos a página www.random.org que sorteou o número 1.
O número 1 correspondia à HELENA do site www.ervasfloresedescobertas.blogspot.com
PARABÉNS HELENA!

Agora vamos pedir-te para nos enviar, para o nosso e-mail, a tua morada, para fazer-mos chegar até ti o DVD!!

Esperamos que gostes e, se quiseres, depois dá-nos a tua opinião!!!

Em breve teremos mais um passatempo! Pedimos só para LEREM as instruções SEMPRE! Prometemos fazê-las mais simples da próxima vez ;)

As respostas às perguntas eram as seguintes:

Em que planeta se passa o filme Avatar (já postado aqui anteriormente)?: PANDORA
Que grande evento se realizou este ano na África do Sul?: MUNDIAL DE FUTEBOL
Qual destas Séries NÃO é transmitida no TV Flames?: DR. HOUSE


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

5

Anime: Neon Genesis Evangelion


Ano: 1995
Género: Ficção Científica, Acção, Drama
Nº de episódios: 26
Produtor: Hideaki Anno


Apesar de sermos grandes fãs de Animes, sempre tivemos plena consciência de que nem todos são extraordinários. Contudo, nunca tínhamos imaginado que um anime pudesse ser tão, mas mesmo tão mau até termos visto Neon Genesis Evangelion. O que nos surpreendeu ainda mais foi o facto de esta história ser uma referência no mundo dos animes e ter milhares de fãs em todo o mundo que não hesitam em classificá-la como o melhor anime de todos os tempos. Assim, foi com GRANDES expectativas que decidimos ficar a conhecer este anime tão célebre.

A história desenrola-se no futuro, tendo como pano de fundo uma organização, a NERV, que tem como objectivo combater os Angels – monstros de origem extra-terrestre que atacam a Terra. Para isso, a NERV tem ao seu serviço Evangelions (que à primeira vista podem passar por simples robôs, mas que na verdade são muito mais complexos do que isso). Os Evangelions, para funcionar, têm que ser conduzidos por adolescentes de 14 anos (não nos perguntem o porquê de tal exigência, mas tem que ser assim). Desta forma, a cada episódio, acompanhamos a luta de Evangelions contras Angels a fim de evitar que o mundo seja destruído.


Mas não se deixem enganar (como nós!) com esta história que, à primeira vista, poderá parecer interessante (principalmente para os fãs de ficção científica) pois vamos passar a descrever-vos o que é que sentimos e pensámos enquanto assistíamos a este anime:

- Cada episódio parecia um episódio dos “antiguinhos” Power Rangers (Lembram-se? “O monstro aparece, os heróis entram para dentro dos seus robôs, passam por extremas dificuldades mas no fim ganham uma grande coragem e dão uma coça nos inimigos, voltando todos felizes para casa”), o que até não seria mau de todo se tivéssemos 10 anos de idade. Mas, como já somos um bocadito mais crescidas, tivemos que fazer um esforço enorme para ver todos os episódios na esperança de que a qualquer momento a história ganhasse algum interesse;

- O protagonista é o rapaz mais indeciso/ pau-mandado/ “choninhas” que alguma vez vimos num anime (e como é o protagonista, temos que “aturá-lo” em todos os episódios!);

- Muitos dos diálogos são extremamente aborrecidos, sendo que passámos grande parte do anime a bocejar (percebemos que para os criadores desta história era suposto retirarmos um grande significado das longas conversas trocadas entre os personagens; qualquer coisa como um dilema moral que nos fizesse pensar na nossa condição de seres humanos, mas acabámos simplesmente a pensar no que é que iríamos lanchar depois de o episódio acabar);

- Os dois últimos episódios (que, à partida, finalizariam o anime e nos explicariam o cerne da questão) são os episódios mais confusos e esquisitos que alguma vez vimos. Por mais que nos esforçássemos não conseguimos perceber rigorosamente NADA (e aqui até os grandes fãs desta história estão do nosso lado pois também admitem ter ficado a olhar para o ecrã com cara de "burro em frente a um palácio" quando o anime terminou). Tal foi a confusão e desilusão dos fãs com o final, que os autores do anime se viram “forçados” a criar um filme (“The End of Evangelion”) para apresentarem um final alternativo e mais perceptível (já temos o filme em nossa posse mas, muito sinceramente, ainda não tivemos coragem para vê-lo…).

Enfim, é mesmo um anime para esquecer… Soubemos que em 2003 surgiu uma nova versão de Neon Genesis Evangelion (composta pelos mesmo episódios mas com melhorias nas imagens, banda sonora e algumas cenas adicionais que tinham sido cortadas da primeira vez que foi exibido) mas não temos ideias de vê-la num futuro tão próximo.


Quem ainda quiser participar no nosso PASSATEMPO tem que se despachar pois o prazo termina amanhã!!

Aqui fica o genérico:


Bons animes (o que implica que, com certeza, não irão ver Neon Genesis Evangelion)!!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

4

Parabéns!!!!

Pelo título do post já devem ter adivinhado do que se trata. Quero apenas aproveitar a oportunidade para desejar os Parabéns à Roberta!! Espero que tenhas tido um óptimo Aniversário e que para o ano eu possa colocar um post com um pouquinho mais de imaginação...


segunda-feira, 20 de setembro de 2010

4

Livro: o Alienista


Autor: Machado de Assis
Ano: 1882


O alinista é um clássico literário da autoria do conceituado escritor brasileiro Machado de Assis.
Considerado por alguns uma novela, por outros um conto, possui, sem dúvida, uma estrutura narrativa.
Esta obra é considerada por muitos como o primeiro romance brasileiro do movimento realista.

A história é "cómica" e muito interessante. Trata-se da história de Simão Bacamarte um médico conceituado português que decide tornar a psiquiatria num dos seus maiores campos de interesse. Inicia, assim, um estudo aprofundado sobre a loucura classificando os vários tipos de loucos.
O conto é muito pequenino mas muito interessante e engraçado, pelo que não nos podemos alongar muito mais uma vez que arriscamos-nos a contar algumas partes que só vocês, leitores, deverão descobrir.

Revelamos apenas que, para estudar a loucura, Simão se instala em Itaguaí onde acaba por fundar um manicómio, a Casa Verde, para onde vão as pessoas que Simão considera serem loucas.

De leitura fácil apenas no início e no fim do conto, este é um livro quase que obrigatório para quem gosta da temática da loucura. Referimos a dificuldade em ler o livro mais ou menos a meio, onde Machado de Assis começa a utilizar uma linguagem mais maçuda e pesada (própria, talvez, da sua época).

Enfim, mais um livro que acreditamos que deva fazer parte das vossas leituras.
Alguém leu? Alguém está a pensar fazê-lo? Deixem-nos as vossas opiniões.

NÃO SE ESQUEÇAM DE PARTICIPAR NO NOSSO PASSATEMPO, MAS LEIAM TUDO!!!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

14

Filme: A Vida é Bela


Título Original: La vitta è bella
Ano: 1997
Género: Drama, Comédia, Romance
Realizador: Roberto Benigni

Se nos pedissem para escolher o nosso filme favorito de sempre seria praticamente impossível uma vez que já vimos muitos e alguns deles muito bons mesmo. Mas se o pedido fosse ligeiramente alterado e pudéssemos enumerar, digamos, o nosso top 5, sem dúvida que o filme A Vida é Bela estaria incluído.

Quem viu o filme sabe que quase não é preciso dizer nada sobre ele pois é simplesmente perfeito!

A história leva-nos até Itália nos anos 30 onde Guido, um divertido e criativo personagem, vive uma vida descansada com a sua mulher e o seu pequeno filho. Contudo, com a chegada da Segunda Guerra Mundial, as tropas nazis ocupam o seu país e obrigam os judeus a deslocarem-se para campos de concentração. Guido e a sua família, como judeus que são, também se vêm coagidos a ir para um campo de concentração. Aqui começa a luta pela sobrevivência que ganha uma dimensão completamente mágica quando Guido decide fazer com que o seu filho acredite que tudo não passa de um divertido jogo no qual se deverão esforçar para ser os melhores e, assim, ganhar o grande prémio – um tanque de guerra.

Se tivéssemos que escolher uma palavra para descrever este filme seria “originalidade”, pois não nos recordámos de outro filme que consiga pegar num tema que já foi abordado inúmeras vezes, o Holocausto levado a cabo pelas tropas Nazi, e transformá-lo em algo de completamente inédito e diferente.
Ficámos completamente “agarradas” ao ecrã do primeiro ao último minuto, maravilhando-nos a cada cena com a criatividade de Guido e, acima de tudo, com o grande amor traduzido em esforço que este demonstrou para com o seu filho e esposa. Acaba por ser impossível ver este filme sem nos comovermos tremendamente com tamanha coragem e tamanho exemplo de um personagem que foi brilhantemente interpretado pelo próprio realizador, Roberto Benigni, que muito merecidamente ganhou o Óscar de melhor actor principal.
Concluindo, A Vida é Bela é um filme repleto de cenas marcantes, diálogos interessantíssimos, bons actores e uma magnífica banda sonora.

Um filme a não perder!

Aqui ficam algumas curiosidades:

- Roberto Benigni para fazer este filme baseou-se no testemunho do seu próprio pai que passou dois anos num campo de concentração;
- A actriz que faz o papel da sua mulher em A Vida é Bela, Nicoletta Braschi, é sua mulher na vida real;
- Para além de Roberto Benigni, apenas outro actor ganhou o Óscar para melhor actor principal de um filme em que também foi realizador – Laurence Olivier, com o filme de 1948 “Hamlet”


Não se esqueçam do nosso PASSATEMPO !!

Aqui fica o Trailer:

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

9

Série: Glee

Género: Comédia, Musical
Ano: 2009
Criador: Ryan Murphy, Brad Falchuk, Ian Brennan

Cast:
Matthew Morrison
Lea Michele
Cory Monteith
Dianna Agron
Jane Lynch


A série Glee é uma série de estilo comédia/musical considerada pelos críticos (e por nós) como a sucessora de Popular (já postada aqui ), ou não fosse Ryan Murphy uma peça fulcral das duas séries.

Em Portugal, a série estreou a 6 de Dezembro de 2009 no canal Fox Life. Antes do final da primeira temporada, Kevin Reilly já tinha confirmado que a série teria ainda mais duas temporadas.

A história centra-se no professor Will Schuester e na sua batalha para manter o coro da escola "vivo", o Glee Club. O problema é que a escola não tem recursos para o sustentar até porque este é um clube coinstituido, maioritariamente, pelos alunos mais estigmatizados da escola, o que não lhe confere qualquer atractibilidade. Para tal é necesário que consigam chegar à final do campeonato regional de corais por forma a conseguir algum dinheiro para se poderem manter.

Para dificultar as coisas encontramos a professora Sue Sylvester (uma personagem deliciosa cujo papel coube à talentosa Jane Lynch).

Aqui fica uma pequena descrição das personagens que consideramos serem as mais importantes da série:

* Will Schuester {Matthew Morrison} - É uma das personagens principais. Tem um casamento complicado com Terri que, disposta a não o perder, esconde o facto de sofrer uma gravidez psicológica.

* Rachel Berry {Lea Michele} - Protótipo de uma pessoa que sofre de Perturbação da Personalidade Obsessivo-Compulsiva, Rachel não olha a meios para conseguir sempre o primeiro lugar e o estrelato em tudo o que faz. Criada por um casal de homossexuais, sonha cantar nos grandes musicais da Broadway (de onde, a actriz que lhe dá corpo, veio).

* Finn Hudson {Cory Monteith} - considerado dos rapazes mais populares da escola, namora com Quinn (também considerada muito popular e pertencente às chearleaders).

* Quinn Fabbray {Dianna Agron} - Quinn acredita que a reputação é o mais importante no mundo. Apesar de namorar com Finn, ama o seu melhor amigo, Puck.


Na nossa opinião, esta é uma série perfeita para os amantes de musicais que tem o mérito de ter "re"trazido grandes clássicos da música que, hoje em dia, são pouco apreciados pelos jovens.

Curiosidades:

- Bryan Adams não permitiu que as suas músicas fossem utilizadas na série.

- Os Coldplay, inicialmente, também recusaram, voltando atrás depois do pedido de muitos fãs.

- Dianna Agron foi escolhida para o papel de Quinn Fabray um dia antes do início das filmagens.

- A mítica personagem Kurt Hummel foi criada especialmente depois dos produtores terem visto o grande talento de Chris Colfer.

- O elenco de Glee já foi à Casa Branca cantar para o presidente Barack Obama.

Aqui fica o trailer


 

NÃO SE ESQUEÇAM DE PARTICIPAR NO NOSSO PASSATEMPO, MAS LEIAM TUDO!!!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

12

Filme: Adeus Lenine!


-->
Título Original: Good Bye Lenin!
Ano: 2003
Género: Drama, Comédia, Romance
Realizador: Wolfgang Becker
País de origem: Alemanha

Porque nem só de “americanices” vive o cinema, de vez em quando gostamos de dar “uma vista de olhos” naquilo que se faz noutros países, nomeadamente na Europa. Umas vezes acabamos completamente desiludidas mas noutras ficamos deveras surpreendidas. Foi esta segunda hipótese que sucedeu assim que vimos “Adeus Lenine”.
A primeira vez que ouvimos falar deste filme foi há relativamente pouco tempo por parte de um amigo que o apresentou como sendo um filme bastante bom. Assim, não perdemos tempo em “matar” a curiosidade.


A história passa-se entre 1989 e 1990, num período em que ocorre um acontecimento que ficaria para sempre na História da Alemanha – a queda do Muro de Berlim. Enquanto os alemães festejam tamanha conquista, Christiane Kerner, uma fervorosa socialista, encontra-se internada num hospital num coma que já dura há alguns meses. Quando finalmente desperta, encontra-se num estado tão debilitado que os médicos não hesitam em avisar os seus dois filhos – Alex e Ariane – que a sua mãe não pode ser exposta a qualquer tipo de emoções fortes ou corre o risco de sofrer um segundo ataque cardíaco do qual provavelmente resultaria a sua morte.
Assim, Alex traça um elaborado plano cujo objectivo é o de não permitir que a sua mãe descubra que a Alemanha já não se encontra dividida.


Este filme foi uma boa surpresa. O mote em si é bastante diferente daquilo que estamos acostumadas mas aquilo que realmente mais nos agradou foi a quantidade de informação nova que aprendemos com a visualização deste filme.
Desde sempre que ouvimos falar de um país distante que um dia esteve dividido por um muro, mas nunca tínhamos realmente percebido a forma como os alemães viviam antes e depois da queda do muro, nem a importância que tal acontecimento teve para os cidadãos daquele país. Os pormenores apresentados no filme: as marcas dos alimentos, a moeda utilizada,…, ganham um lugar de destaque nesta história ao mesmo tempo que nos divertimos e deixamos impressionar pelos esforços levados a cabo pelo jovem Alex para que a sua mãe acredite que nada mudou no período em que esteve em coma.
O filme consegue prender-nos até ao último minuto enquanto vamos descobrindo que a vida desta família é muito mais complexa daquilo que à partida seria de prever.
O final consegue estar à altura, passando-nos uma mensagem muito mais profunda daquilo que à primeira vista possa parecer. Aqui, ganham destaque o amor que leva as pessoas a REALIZAR e ACEITAR (duas palavras chave neste filme) o imaginável e os sonhos de um jovem idealista para quem as coisas poderiam ter sido muito mais simples desde o início.

Sem dúvida, um filme a não perder.

Não olvidem o nosso PASSATEMPO !

Aqui fica o Trailer:







segunda-feira, 6 de setembro de 2010

9

Livro: Visto do Céu



Autora: Alice Sebold
Ano: 2002

Este belíssimo romance trata da vida e da morte, da vingança e do perdão, do esquecimento e da lembrança.
Traduzido em mais de duas dezenas de linguas, Visto do céu é o primeiro romance da autora Alice Sebold.

Susie, a narradora de toda a história, é uma adolescente que se encontra morta assim que o romance inicia. Do céu, Susie decide contar-nos o que aconteceu aquando da sua morte. Conta-nos a violação que sofreu do seu vizinho e a morte perpetuada pelo mesmo. Na tentativa de proteger quem ama, Susie tenta, de lá do cimo, alterar os acontecimentos que estão prestes a acontecer... Apesar de se tratar de uma morte brusca, a linguagem do livro é bastante leve poupando o leitor de falsos sentimentalismos.

O The New York Times Magazine referiu-se à obra como «Uma história de esperança incrustada numa realidade cinzenta.»

The Bookseller afirmou que este livro se trata de uma «Leitura extraordinária e compulsiva, um trabalho impressionante.»

Não podía estar mais de acordo!

O livro encontra-se já adaptado para o cinema com o mesmo título. Ainda não o vi mas, de qualquer forma, aconselho sempre, primeiro, a leitura da obra.

Curiosidade - Parece que a autora se baseou na própria experiência pessoal para escrever o livro (uma vez que foi vítima de violência e violação).


The Lovely Bones - www.wook.pt

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

6

Livro: O Alquimista


Título Original: O Alquimista
Autor: Paulo Coelho
Género: Aventura, Fantasia
Ano: 1988
Páginas: 160


Deve ser praticamente impossível encontrar uma pessoa que nunca tenha ouvido falar da mais conhecida obra de Paulo Coelho – O Alquimista. Este livro valeu-lhe vários prémios, reconhecimento a nível mundial e o título de um dos maiores autores dos nossos dias. Por causa de tudo isso, não resistimos a ler tão famosa obra, quanto mais não fosse para podermos falar sobre ela com alguém tendo uma opinião devidamente fundamentada.


A história, semelhante a uma fábula, relata a longa viagem de um jovem pastor, Santiago, que decide abandonar a sua terra natal e viajar até ao Egipto em busca de um tesouro enterrado sob uma das sete maravilhas do mundo – as pirâmides. Pelo caminho conhece várias pessoas que o vão ajudar na sua travessia pelo deserto ao longo de várias dificuldades e momentos de importantes decisões.

Quando acabamos de ler o livro a primeira coisa que nos passou pela cabeça foi: “- Só isto?!!”.
Desculpem-nos os grandes fãs desta obra, pois sabemos que muitas pessoas consideram este livro como um dos seus favoritos. Mas realmente não conseguimos compreender o porquê de tanto alarido em torno desta história. Tudo bem que é um livro que se lê com relativo interesse, com um final engraçado e algumas (só mesmo algumas) frases interessantes (as tão conhecidas frases de Paulo Coelho que normalmente são reproduzidas por várias pessoas, havendo mesmo livros criados com o propósito de recolher as frases com maior destaque). Mas, para nós, este livro está muito longe de ser um livro de auto-descoberta que nos faz ver a vida com “um novo olhar”, como nos foi descrito por muitas pessoas. É simplesmente uma história escrita de uma forma algo diferente, pejada de “chavões” e que, se espremermos muito bem, acaba por dar pouco sumo.
Mas lá está, isto é apenas a nossa opinião, sabendo muito bem que milhões de pessoas em todo o mundo elegem este livro como um dos melhores e que até já é esperado um filme que transportará para o grande ecrã a história que celebrizou Paulo Coelho.


Não se esqueçam de participar no nosso PASSATEMPO , mas tenham atenção às INSTRUÇÕES para que possam ficar realmente inscritos.

Boas Leituras!
Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%