Envie esta página a um amigo!

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

0

Livro: Alex e as formigas navegadoras (João Cunha Silva)


Alex e as formigas navegadoras


Ficha Técnica
Autor: João Cunha Silva
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 72
Editor: Alfarroba
ISBN: 9789898745477
Coleção: Infanto-Juvenil

Sinopse
A Alex, uma formiga sonhadora e sem receios, irá pôr em prática um plano para salvar a colónia de formigas onde vive. Contará com a ajuda de um pássaro, um guarda-rios, e de um menino, o Simão.
Será que a colónia ficará a salvo?

Opinião
(Roberta Frontini)

A sinopse deste livro é enganadora pois parece que se trata de uma obra simples com uma mensagem simples... mas não é de todo. 
No então, João Cunha Silva é assim, consegue sempre fazer com que um livro se torno especial usando a criatividade, e por isso mesmo, eu já devia ter desconfiado que este livro seria diferente. 

Comecemos do princípio e compreenderão o porquê de eu achar que esta obra é muito criativa e uma excelente prenda para uma criança. 
O livro inicia-se com um poema escrito por uma criança de 11 anos (João David). Um poema lindíssimo que quando terminei de ler e vi que o autor tinha 11 anos, fiquei estupefacta. É preciso ler para se compreender. 
E depois, vem a originalidade. O livro tem imagens (trata-se de um livro infanto-juvenil), mas as imagens estão a preto e branco. No início estranhei esta escolha, mas assim que li o "convite" que o autor faz aos pequenos leitores no início, compreendi o porquê. De facto, a ideia é que o leitor transforme o livro, e o torne um pouco seu, através da pintura das imagens. Assim, de certo que não existirão livros iguais, se o leitor tiver a coragem de o transformar. Uma ideia que achei mesmo interessante.

A história está carregada de importantes valores, como a importância da amizade, do trabalho em conjunto, e da não desistência.
Lembrei-me um pouco de mim quando, pequena, via formigas e, vendo-as a carregar comida, pensava que ajudava pegando no que elas transportavam e metendo tudo mais perto do formigueiro (é o que dá ser-se filha única!).  Claro que com isto só as assustava ainda mais. Mas foi interessante ver o autor a pegar nalgumas destas cosias. por momentos, fez-me regressar à infância.

João Cunha Silva acaba também por dar importantes noções aos leitores, como o que é um narrador, o que significa omnisciente, etc. Fâ-lo de forma simples e directa. Mais uma vez, funciona muito bem.

E depois vem a cereja em cima do bolo: o posfácio de Ana Maria Rodrigues, licenciada pela Universidade de Lisboa, que explica de forma descomplicada, mais algumas coisas relacionadas com as formigas.

Gostei imenso desta história, e desafio-vos a lê-la e a virem aqui concordar comigo :)

Comprar AQUI

domingo, 29 de novembro de 2015

6

188º Passatempo do FLAMES em parceria com a Portugalmundo e o autor Fernando Cardoso


52 Livros
26 Vencedores



Leiam as regras, participem e BOA SORTE :)

Em parceria com a Portugalmundo temos 52 livros para oferecer a 26 vencedores. 
A partir de hoje preencham o formulário (podem preencher uma vez por dia) e habilita-se a ganhar um pack de 2 livros. 

Todos os dias sortearemos um vencedor dos que preencherem o formulário. 
Para ter uma entrada extra, envie-nos uma foto de si com um livro do autor Fernando Cardoso para flamesmr@gmail.com . Envie com o mesmo e-mail com que se inscreveu ou coloque o seu nome completo para validar-mos a entrada extra. 

Ultimo dia de participação possível: 24 de Dezembro 2015

Os resultados serão publicados no Blogue e um e-mail será enviado ao vencedor.

Se publicares o passatempo no teu facebook (ou outra rede social) ganhas - Ganhas MAIS 1 PARTICIPAÇÃO
Se publicares o passatempo no teu blogue ganhas - Ganhas MAIS 1 PARTICIPAÇÃO
Se estiveres inscrito nas nossas outras redes sociais, por cada uma - Ganhas MAIS 1 PARTICIPAÇÃO
Se enviares uma foto TUA com um livro do autor - Ganhas MAIS 1 PARTICIPAÇÃO

TERMINADO 
Vencedores
1º vencedor (29 Novembro 2015) - Susana Sofia Pereira de Sousa (Marco de Canaveses)
2º vencedor (30 Novembro 2015) - Sandra Elisabet Bettencourt (Lisboa)
3º vencedor (01 Dezembro 2015) - Paula Alexandra Rocha Fontes (Encarnação)
4º vencedor (02 Dezembro 2015) - Luana Mota Gonçalves (Pombal)
5º vencedor (03 Dezembro 2015) - Lélia Maria Russo Gigante Calado (Lisboa)
6º vencedor (04 Dezembro 2015) - Maria da Glória Vieira (Porto)
7º vencedor (05 Dezembro 2015) - Carla Ferreira Neves (Santo Tirso)
8º vencedor (06 Dezembro 2015) - Telma Sofia Mota Oliveira (Jovim)
9º vencedor (07 Dezembro 2015) - Maria Lúcia Marques Gomes Brandão (Esmoriz)
10º vencedor (08 Dezembro 2015) - Patrícia Carla Pacheco Viegas Madeira (Santarém)
11º vencedor (09 Dezembro 2015) - Márcia Cristiana Marques Ferraz (Fernão Ferro)
12º vencedor (10 Dezembro 2015) - Andreia Teixeira Augusto (Tortomil)
13º vencedor (11 Dezembro 2015) - Carla Pereira de Sousa (Marco de Canaveses)
14º vencedor (12 Dezembro 2015) - Maria Fátima Lopes Valente (Guarda)
15º vencedor (13 Dezembro 2015) - Filomena (...) Rodrigues Pereira de Sousa (Vila Nova de Gaia)
16º vencedor (14 Dezembro 2015) - Emilia Aguiar Silva (Matosinhos)
17º vencedor (15 Dezembro 2015) - Alexandra Maria Vieira Teixeira Reis (Vila Nova de Gaia)
18º vencedor (16 Dezembro 2015) - Maria João dos Santos Sousa Pacheco (Relva, Ponta Delgada)
19º vencedor (17 Dezembro 2015) - Samuel Ramos Patrocínio (Moura)
20º vencedor (18 Dezembro 2015) - Ana Catarina Ribeiro Cruz (Leça da Palmeira)
21º vencedor (19 Dezembro 2015) - Manuel Antonio Pereira (mira sintra)
22º vencedor (20 Dezembro 2015) - Ana Filipa Gomes Pereira (Braga)
23º vencedor (21 Dezembro 2015) - Paula Manuela Mota Cunha (Vila Verde)
24º vencedor (22 Dezembro 2015) - Cláudia Patrícia Marques Paulete Fernandes (Leiria)
25º vencedor (23 Dezembro 2015) - Sara Raquel Teixeira (Braga)
26º vencedor (24 Dezembro 2015) - Patrícia Alexandra Tavares Militão (Portalegre)

Mais informações sobre os livros e o autor - https://www.facebook.com/Os-meus-primeiros-Leitores-781221981994341/?fref=ts


0

Entretenimento: Novidades no panorama musical


Novidades musicais dos últimos 15 dias :) ora espreitem...

ANA MOURA
Anuncia digressão mundial

"Moura" apresentado nas maiores salas do país

Em 2016 Ana Moura parte em digressão com o seu 6.º disco de originais, "Moura", tendo sido hoje anunciada a primeira etapa nacional desta tour, com 5 concertos nas maiores salas do país. Os bilhetes estão disponíveis nos locais habituais.

É no berço de Portugal que decorre o primeiro espectáculo, no dia 12 de Março, no Pavilhão Multiusos de Guimarães. A 01 de Abril a digressão ruma a sul, apresenta-se na Arena D'Évora e, no dia seguinte, no Teatro das Figuras, em Faro. Em Lisboa, o concerto acontece a 09 de Abril, na maior sala do país, a MEO Arena. Este ciclo termina com um concerto no Coliseu do Porto, no dia 16 de Abril. 

"Moura" é o disco de consagração de Ana Moura e será apresentado um pouco por todo o mundo. A Europa e a América do Norte são os primeiros continentes a receber esta nova digressão, com concertos marcados na Áustria, Suíça, Alemanha ou França, onde se apresenta em Paris, no dia 19 de Fevereiro, no mítico Olympia. No outro lado do atlântico, nos Estados Unidos da América, Ana Moura já tem concertos marcados, entre outros, em São Francisco, Boston ou Nova Iorque, cidade em que actua no lendário Carnegie Hall.

Ultrapassada a marca dos 300 concertos, Ana Moura actua este sábado em Sydney, na Austrália, num espectáculo ainda integrado na digressão mundial de "Desfado", que termina no dia 4 de Dezembro, na Estónia. "Desfado" é o disco mais vendido da década e atingiu recentemente o galardão de Quíntupla Platina.

"Moura" foi editado no dia 27 de novembro. A Fnac tem, em exclusivo, uma edição especial, com dois temas extra. Na pré-compra, os fãs recebem uma réplica da capa, assinada por Ana Moura e numerada, numa edição limitada às 1000 unidades, aqui. O novo disco de Ana Moura pode também ser encomendado no iTunes, aqui. No ato imediato da compra, os fãs recebem o primeiro single do disco, o tema de Jorge Cruz, "Dia de Folga", que já toca em todas as rádios nacionais. 

21 Nov > SYDNEY, Enmore Theatre, NSW AUS
04 Dez > TALLINN, Jazzkaar EST
19 Fev > PARIS, Olympia FRA
20 Fev > LUXEMBURGO, Casin2000 LUX
12 Mar > GUIMARÃES, Pavilhão Multiusos
01 Abr > ÉVORA, Arena D'Évora
02 Abr > FARO, Teatro das Figuras
09 Abr > LISBOA, Meo Arena
16 Abr > PORTO, Coliseu
22 Abr > SÃO FRANCISCO, CA, Nourse Theater EUA
23 Abr > EDMONDS, WA, Edmonds Center For The Arts EUA
26 Abr > NOVA IORQUE, Carnegie Hall EUA
28 Abr > NORTH BETHESDA, MD, Strathmore Hall EUA
29 Abr > BURLINGTON, VT, Flynn Theatre EUA
30 Abr > BOSTON, MA, Berklee Performance Center EUA
21 Mai > DORTMUND, Konzerthaus Dortmund ALE
25 Mai > GENEBRA, Theatre du Leman SUI
26 Mai > ZURIQUE, Volkshaus Zürich SUI
29 Mai > VIENA, Wiener Konzerthaus ÁUS


LUDOVICO EINAUDI 
Apresenta novo disco nos Coliseus do Porto e Lisboa 

Ludovico Einaudi está de regresso a Portugal, depois das triunfantes apresentações de 2013 em que esgotou, com várias semanas de antecedência, as lotações da Casa da Música, no Porto, e do CCB, em Lisboa. 

Desta vez, o celebrado pianista italiano traz-nos o seu mais recente trabalho, Elements, que tem, justificadamente, merecido os mais rasgados elogios da imprensa internacional. Em palco, com Einaudi, um ensemble para dar dimensão orquestral a uma música de exceção. Elements, de acordo com o próprio Ludovico Einaudi, resulta "de um desejo de recomeço, de seguir um diferente percurso de consciência". Ou seja, em palco, estará um renovado artista cuja música há muito que conquista um mais do que merecido reconhecimento internacional: Einaudi é o artista do universo da clássica que contabiliza mais streams no Reino Unido, o que diz muito do seu estatuto, e aquele que tem encabeçado as tabelas de vendas de música erudita tanto em Inglaterra como em Itália, com vendas que já se aproximam dos dois milhões de cópias. 
Gravado no campo, em Langhe, em Itália, o novo disco de Ludovico Einaudi é, de acordo com o próprio artista, "uma experiência única, acompanhada pelos ritmos pulsantes de uma primavera explosiva". O espetáculo garante, por isso mesmo, uma experiência singular. A acumular a este novo contexto, há toda a bagagem proporcionada pela prodigiosa carreira de Ludovico Einaudi que o público português tem tido o privilégio de acompanhar de perto: é verdade que o pianista tem conhecido uma plateia cada vez mais ampla, graças, por exemplo, a triunfais apresentações no Barbican ou no festival iTunes, mas Portugal há muito que lhe reconhece o talento, tendo-lhe aplaudido as prestações a solo ou ao lado de Rodrigo Leão. Com música profundamente evocativa usada abundantemente em publicidade ou em cinema - incluindo o fenómeno Amigos Improváveis, Ludovico Einaudi, em boa verdade, dispensa qualquer apresentação. 

Elements é o seu novo e entusiasmante projeto, oportunidade absolutamente imperdível para testemunhar em direto as novas direções da sua singular arte. Em Lisboa e no Porto. Nos Coliseus. Bilhetes já à venda na Bilheteira Online, Ticketline, bilheteiras dos Coliseus do Porto e Lisboa, Lojas FNAC e Worten e locais habituais.

ÁTOA 
Banda vai apresentar "Idade dos Inquietos" em vários showcases nas lojas FNAC 

Pouco mais de um mês depois de terem revelado nas suas redes sociais o lançamento do seu primeiro disco, chegou finalmente às lojas o muito aguardado "Idade dos Inquietos", o primeiro álbum de originais dos ÁTOA, grupo que é um dos maiores fenómenos recentes da música portuguesa.

Os ÁTOA vão apresentar as novas canções deste "Idade dos Inquietos" em vários showcases nas lojas FNAC. Desde o último dia 13 que o disco está disponível em exclusivo no serviço de streaming MEO Music, onde se pode ouvir uma surpresa, uma canção extra, "Física do Sul", que só está disponível na plataforma do MEO.

Produzido maioritariamente por João Bessa (responsável por algumas produções ou co-produções de artistas como Pedro Abrunhosa, Os Azeitonas ou Miguel Araújo), "Idade dos Inquietos" é um álbum que reflete a maneira de ser destes quatro amigos que juntos formam os ÁTOA, através de um conjunto de 11 canções originais (na versão MEO Music são 12) todas escritas e compostas por elementos da banda. "Falar a Dois" e "Distância" foram as canções que apresentaram os ÁTOA e que rapidamente conquistaram milhares de fãs, que se têm mostrado impacientes para saber mais pormenores acerca deste primeiro álbum. Formados por Guilherme Alface (voz, guitarra, piano), João Direitinho (guitarra, voz, piano), Rodrigo Liaça (bateria, percussão, voz, piano) e Mário Monginho (baixo, guitarra), só com estas duas primeiras canções o grupo conseguiu uma enorme projecção: o vídeo de "Falar a Dois" já ultrapassou as 400 mil visualizações, enquanto o teledisco de "Distância" soma mais de 900 mil visualizações no YouTube, além de ter sido durante várias semanas a canção portuguesa mais procurada no Shazam. Deram mais de 25 concertos em 2015, entre os espetáculos mais emblemáticos que os ÁTOA já deram em tão pouco tempo contam-se concertos no Festival MEO Sudoeste, na MEO Arena (onde fizeram a primeira parte de Jessie J), na discoteca Bliss, e várias Semanas Académicas e Recções ao Caloiro um pouco por todo o país. A curiosidade quanto ao álbum "Idade dos Inquietos" pode agora ser satisfeita em qualquer loja ou plataforma digital.

DIOGO PIÇARRA
Reedição de "Espelho" já disponível nas lojas

A edição especial do álbum de estreia de Diogo Piçarra, "Espelho", chega hoje às lojas. Ao longo destas semanas, têm sido disponibilizados pequenas amostras do que os fãs podem encontrar no DVD extra que esta edição traz.

Diogo Piçarra já deu a conhecer o tema "Meu é Teu", em dueto com Isaura, para ver aqui; e pequenas amostras dos temas: "Por Quem Não Esqueci" uma versão do clássico dos Sétima Legião, para ver aqui; e do enorme sucesso "Tu e Eu", para ver aqui. A versão física desta edição especial inclui um DVD, realizado por André Tentúgal. Um DVD gravado propositadamente num universo que remete aos ambientes em que Diogo Piçarra filmava os seus vídeos caseiros, com os quais foi aumentando a sua base de seguidores no canal de Youtube (com mais de 79 mil subscritores).

São 6 temas gravados em vídeo. Para além dos já citados, foram ainda reinterpretados em formato acústico os temas "Sopro", acompanhado por Filipe Cabeçadas, que também está presente em "Perfeito" juntamente com André Tentúgal (além de realizador, músico dos We Trust), "Não te Vou Esquecer" acompanhado por um quarteto de cordas, o qual participa também nas músicas "Sopro" e "Por Quem Não Esqueci". Também presente no DVD, estará o “Making Of”, com várias cenas de bastidores das gravações.

PAUS
Com novo single e primeiras datas europeias

"Pela Boca" é o primeiro avanço para "Mitra", o próximo álbum de PAUS, com edição agendada para 12 de Fevereiro (Universal). O álbum é apresentado em várias datas nacionais e internacionais, sendo já divulgadas as datas na Bélgica e Holanda.

A realização é de João Pedro Moreira (Buraka Som Sistema, Regula, Ana Moura, entre outros) e conta com a colaboração na captação de André Leal. 
O vídeo foi filmado no Musicbox, em Lisboa, no passado dia 24 de Outubro.

O tema "Pela Boca" consta do disco "Mitra", que tem data de edição no próximo mês de Fevereiro. No mês seguinte (Março), a banda avança para uma série de datas que incluem Groningen, Utrecht, o festival Paaspop e o mítico Paradiso (Amesterdão), nos dias 23, 24, 25 e 26 de Março, respectivamente. A 27 de Março a banda atua na consagrada Ancienne Belgique (Bruxelas).

Para breve são anunciadas as datas nacionais de apresentação de "Mitra".

Datas:
23 / Mar - Groningen - Vera (NL)
24 / Mar - Utrecht - Ekko (Holanda)
25 / Mar - Paaspop Festival (Holanda)
26 / Mar - Amesterdão - Paradiso (Holanda)
27 / Mar - Bruxelas - AB (Bélgica)



Banda Sonora de "Star Wars - The Force Awakens" chega às lojas a 18 de dezembro

Música foi novamente composta por John Williams

Um dia depois de se estrear nas salas de cinema portuguesas aquele que é garantidamente um dos filmes mais aguardados do ano, "Star Wars: O Despertar da Força", chegará também às lojas a sua banda sonora, composta uma vez mais por John Williams, editada pela Universal Music. O disco inclui um booklet de 16 páginas.
O compositor John Williams tinha já sido o responsável pela música dos anteriores filmes da saga e volta nesta nova fase de "Star Wars", agora a comando do realizador J.J. Abrams.

Vencedor de 5 ÓSCARES®, John Williams é considerado um dos compositores que definem uma geração americana de compositores que incluem nomes como Aaron Copland e Leonard Bernstein. O compositor é responsável pela música de filmes míticos como "Tubarão", "Indiana Jones", "Jurassic Park" ou até da saga "Harry Potter".

A Lucasfilm e o realizador visionário J.J. Abrams uniram forças para o levar para uma galáxia muito distante, com o regresso de Star Wars ao grande ecrã, através de "Star Wars: O Despertar da Força", que estreia a 17 de Dezembro. O filme é protagonizado por Harrison Ford, Mark Hamill, Carrie Fisher, Adam Driver, Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac, Lupita Nyong'o, Andy Serkis, Domhnall Gleeson, Anthony Daniels, Peter Mayhew e Max Von Sydow. Kathleen Kennedy, J.J. Abram se Bryan Burk são os produtores, contando com Tommy Harper e Jason McGatlinc omo produtores executivos. O guião é de J.J. Abrams & Lawrence Kasdan e Michael Arndt.

RIHANNA anuncia uma nova digressão mundial

"ANTI World Tour" arranca a 26 de fevereiro de 2016 e prolonga-se até agosto de 2016

Três anos depois da sua última digressão mundial, a multiplatinada artista Rihanna anunciou uma nova digressão, "ANTI World Tour", que servirá para promover o seu próximo álbum de estúdio, "ANTI". A digressão, produzida pela Live Nation, arranca a 26 de fevereiro do próximo ano na Viejas Arena, em San Diego, sendo que só na América do Norte contará com perto de 40 datas, entre Nova Iorque, Los Angeles, Toronto, Chicago, Vancouver ou Washington DC. A Samsung e a PUMA são parceiras da parte norte-americana desta digressão. O rapper Travis Scott será o convidado especial de Rihanna nestes concertos. Depois dos EUA, a cantora segue para a Europa, onde tem concertos marcados em Londres, Amesterdão, Berlim, Milão, Viena, entre outras cidades. Os bilhetes para as datas europeias são colocados à venda no próximo dia 3 de dezembro no site Live Nation.

Rihanna permanecerá na Europa de 11 de junho até 12 de agosto, sendo que nestes concertos contará com o canadiano The Weeknd como convidado especial, além de estar confirmada a presença do rapper Big Sean nas primeiras partes.
Os membros da plataforma TIDAL terão um acesso exclusivo à pré-venda de bilhetes para os concertos da "ANTI World Tour", que decorrerá de 30 de novembro a 2 de dezembro.
Envolto em mistério continua a estar o próximo álbum de estúdio da cantora, "ANTI". Em outubro foi divulgado o artwork do disco, da autoria do artista contemporâneo Roy Nachum, numa inauguração de uma exposição na MAMA Gallery, em Los Angeles.
Entretanto, ao longo deste ano Rihanna lançou três singles que rapidamente se tornaram das canções mais populares de 2015: "FourFiveSeconds" - numa colaboração com o rapper Kanye West e o veterano Paul McCartney - , "Bitch Better Have My Money" e "American Oxygen".

Rihanna é hoje um ícone incontornável não só da música moderna, mas da indústria do entretenimento e do mundo da moda. Até agora já vendeu mais de 54 milhões de álbuns em todo o mundo e 240 milhões de canções em formato digital, o que faz dela a artista que mais vendeu em plataformas online desde sempre. Em sete anos lançou sete álbuns, 13 dos seus singles alcançaram o n.º 1 dos tops e vendeu 8 prémios Grammy. A cantora é também a artista mais vista no Vevo/YouTube, com mais de 7 mil milhões de visualizações e 23 vídeos certificados pela plataforma Vevo, um recorde para qualquer outro artista. Rihanna é também uma das artistas com mais seguidores no Facebook, com mais de 81 milhões de amigos. Em paralelo à carreira na música, a cantora já lançou seis fragrâncias, duas coleções com a Armani, quatro coleções com a linha de roupa River Island, além de ser representante para a MAC & Viva Glam e de ser a nova cara da campanha "Secret Garden", da Dior.


SEU JORGE

Regressa a Portugal em Março para concertos em Lisboa e Guimarães

Imagine-se numa sala, com uma plateia completamente sentada, num ambiente descontraído e intimista, com um cenário que nos leva até ao Rio de Janeiro e ao "calçadão" de Copacabana. Neste novo espetáculo ouvir-se-ão as novas músicas bem como todos os seus grandes sucessos… será certamente um momento de "Felicidade"!
Seu Jorge, nasceu em 1970 em Belford Roxo no Rio de Janeiro – Brasil. Músico dos pés à cabeça, cantor, compositor, instrumentalista, produtor e ator, define-se a si mesmo como um cantor e compositor popular, que gosta de inúmeros géneros musicais, mas cujo fundamento é o samba: "…O samba é a nossa verdade, nossa particularidade, é nossa medalha de ouro, nosso baluarte, nosso estandarte brasileiro."

Com uma carreira internacional brilhante, tem em Portugal uma legião de fãs que fazem dele um dos artistas brasileiros mais ouvidos e reconhecidos atualmente no nosso País.
Depois de ter estado em Portugal a apresentar o seu último trabalho "Músicas para Churrasco I", Seu Jorge, regressa a Portugal em março de 2016, para apresentar o seu mais recente trabalho "Músicas para Churrasco II", dia 4 de Março no Multiusos de Guimarães e dia 5 de Março no MEO Arena, em Lisboa.
Canções como "Felicidade", "Bipolar", "Mina Feia", "Burguesinha", "Mina do Condomínio", "Amiga da Minha Mulher", entre muitas outras, vão fazer parte do alinhamento destes dois grandes espetáculos, que não poderá perder.

4 Março - Pav. Multiusos, Guimarães
5 Março - MEO Arena, Lisboa

BURAKA SOM SISTEMA
Divulgam primeiras datas da tour 10 anos

Amesterdão, Roterdão, Berlim, Paris, Londres e Bruxelas são as primeiras cidades divulgadas a receber os Buraka Som Sistema em 2016. São as primeiras divulgadas de uma tour que marca a celebração dos 10 anos de carreira.

Depois da anunciada paragem em Agosto deste ano, os Buraka Som Sistema anunciam agora as datas europeias em que vão fazer apresentações nas cidades que marcam de alguma forma a história da banda de Branko, Blaya, Conductor, Kalaf eRiot. São espectáculos que pretendem marcar o legado do grupo com uma das carreiras mais singulares a nível mundial.

Dos concertos memoráveis na ADE em Amesterdão, às históricas noites em Paris e Londres, os Buraka pretendem marcar de forma vincada esta ultima ronda antes da entrada no hiato. Em todas as noites, os Buraka têm como companhia os Alo Wala, nome que também pertence à label Enchufada.

Para breve são divulgadas mais datas incluindo, obviamente, Portugal.

Datas na Europa:
25 Fev - AMESTERDÃO (Melkweg)
26 Fev - ROTERDÃO (Annabel)
27 Fev - BERLIM (Yaam)
04 Mar - PARIS (Trabendo)
05 Mar - LONDRES (Electric Brixton)
18 Mar - BRUXELAS (Ancienne Belgique)
19 Mar - LAUSANNE (Les Docks)

sábado, 28 de novembro de 2015

0

Canal FLAMES: Bookhaul de Novembro 2015



Não, não celebrei o Natal em Novembro. Contudo, a quantidade de livros que chegou a minha casa foi tão generosa que por momentos senti que o dia 25 de Dezembro já tinha chegado!

Aqui está o meu Bookhaul para o mês de Novembro:

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

0

Livro: Fangirl (Rainbow Rowell)



Ano de Edição: 2015
Género: Romance
Autora: Rainbow Rowell
Editora: Saída de Emergência

Adquirir AQUI

O meu primeiro contacto com a autora Rainbow Rowell foi com o livro "Eleanor and Park" e posso afirmar que foi um início auspicioso. Na altura, fiquei com a ideia de que esse era o grande sucesso da autora, contudo fui ouvindo e lendo várias pessoas a falarem de uma outra obra sua que, pelos vistos, seria tão boa ou ainda melhor - "Fangirl". Por isso mesmo, mal o livro chegou a Portugal não pensei duas vezes e decidi logo começar a lê-lo!

Sinopse: 
"Cath ama os seus livros e a sua família. Haverá espaço para mais alguém? Todo o mundo é fã dos livros de Simon Snow. Mas Cath vai mais longe: ser fã desses livros tornou-se a sua vida. Ela e a sua irmã gémea, Wren, refugiaram-se na obra de Simon Snow quando eram miúdas, e na verdade foi isso que as salvou da ruína emocional que foi a perda da mãe. Ler. Reler. Interagir em fóruns, escrever ficção baseada na obra de Simon Snow, vestir-se como as personagens dos livros. Mas essas fantasias deixam de fazer sentido quando se cresce, e enquanto Wren facilmente abandona esse refúgio, Cath não consegue fazê-lo. Na verdade, nem quer. Agora que vão para a universidade, Wren não quer ficar no mesmo quarto de Cath. E esta fica sozinha e fora da sua zona de conforto. Partilha o quarto com uma miúda arrogante; tem um professor que despreza os seus gostos; um colega atraente mas que apenas fala sobre a beleza das palavras... e, ainda por cima, Cath não consegue parar de se preocupar com o seu pai, tão querido, frágil e solitário. A pergunta paira no ar: será que ela consegue triunfar sem que Wren lhe dê a mão? Estará preparada para viver a vida em seu nome? Escrever as suas próprias histórias? E se isso significar deixar Simon Snow para trás?"


Opinião:
"É-me simplesmente impossível não comparar as duas obras. De facto, se com "Eleanor and Park" temos uma história completamente centrada num casal e a componente emocional é a chave de todo o livro, com "Fangirl" somos presenteados com vários personagens, cada um deles com os seus próprios problemas e pontos críticos que necessitam resolver ao longo do livro.

Neste livro, como seria de esperar, continuamos no mundo adolescente, mais precisamente no início da idade adulta. Foi interessante acompanhar a nossa protagonista na sua adaptação à Universidade e ver como é que ela lidou com os obstáculos que uma mudança dessas acarreta para a vida de qualquer um. Acompanhamos a protagonista quando se apaixona pela primeira vez, quando é traída por aqueles que ama, quando percebe que tem de ser forte para cuidar da sua família... São várias as situações que põem a jovem Cath à prova e testam o seu carácter e determinação.

Um detalhe muito interessante na obra prende-se com o facto de Rainbow Rowell criar uma analogia claríssima entre a história de Simon Snow e a de Harry Potter. Até eu que nunca li nenhum livro do famoso feiticeiro percebi imediatamente a ligação. Assim, ao longo do livro deparamo-nos com excertos dos livros das aventuras de Simon Snow, um herói inventado pela autora para figurar nesta história. Esse foi um detalhe de que gostei muito, até porque a escritora soube usar certos parágrafos de Simon Snow que, sendo analisados a um nível um pouco mais profundo, estavam relacionadas com a vida e os dilemas da própria Cath.

Se é óbvio que Rainbow Rowell sabe como criar um bom romance para jovens adultos, é igualmente claro que sentido de humor é algo que não lhe falta. A autora consegue ser super divertida em várias passagens e com isso aligeirar momentos que poderiam tornar-se demasiado dramáticos. É este equilíbrio o que mais aprecio nela e é este um dos motivos que me faz querer continuar a ler mais livros dela. Este e o facto de ter ficado muito curiosa. Curiosa com o quê? Tendo sido "Eleanor & Park" e "Fangirl" tão distintos, fiquei com uma enorme vontade de ler um terceiro livro para perceber se a autora continuará com uma variação tão grande.

Se ainda não decidiram qual a vossa próxima leitura e se querem algo leve, divertido mas com uma boa mensagem não hesitem em dar uma oportunidade a este livro!"

Por Mariana Oliveira

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

0

Livro: A Felicidade (leitura em conjunto)


Leitores:
Alípio Vieira Firmino (LinkedBooks)
Joana S. Almeida
Mariana Oliveira
Roberta Frontini

Título: A Felicidade
Autor: Lluís-Anton Baulenas



Não é todos os dias que 4 pessoas decidem comprar exactamente o mesmo livro. A conclusão de tudo isto? Um post inédito no FLAMES: 4 leitores dão a sua opinião. Esperamos que gostem!

 
Sinopse:
"Barcelona, 1909. Todas as noites, no Teatro Soriano, Nonnita executa o seu número de variedades nadando praticamente nua com uma foca. O italiano por quem se apaixonou e de quem espera um filho, desapareceu de repente sem deixar rasto; e, todas as noites, no regresso a casa, os seus mortos vêm consolá-la e dar-lhe forças. Mas a cidade está a sofrer uma transformação radical, com demolições em massa no seu bairro e bombas anarquistas que todos os dias fazem ir qualquer coisa pelos ares; e Nonnita está a ficar cansada de lutar… Eis senão quando aparece no teatro Demi Gambús, o sucessor de uma longa linhagem de ladrões de casaca, para assistir ao espectáculo. Será que Nonnita lhe vai conseguir cobrar a felicidade que um dia ele lhe roubou? Na linha de A Sombra do Vento, este é um romance admirável de amor e ódio, dúvida e descoberta, esperança e desforra. Na Barcelona primorosamente recriada por Lluís-Anton Baulenas, circulam saltimbancos, oportunistas, activistas políticos e jovens que saíram das aldeias em busca da sobrevivência na cidade grande, cujas pequenas histórias anónimas constroem, afinal, a História com H grande. E, à medida que as páginas vão avançando - como referiu o jornal El País -, o leitor consegue sentir a ilusão de que, sim, agora é feliz."


Opinião - Alípio
“A Felicidade” de Lluís-Anton Baulenas foi um livro que nos despertou bastante curiosidade na Feira do Livro do Porto em 2014, não somente pelo valor que se destacou (3€) mas também pela vontade que tínhamos em participar numa leitura em conjunto. No entanto foi a opinião de HP\De Tijd na capa que terá sido o verdadeiro mote para tomarmos a opção de compra. A obra foi descrita como: “Um romance tão delirante como A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafón”, e sendo nós apreciadores dessa pérola da literatura, não houve sequer necessidade de votos nem grandes juízos para chegarmos ao consenso de o comprar.
Acho que foram sem dúvida alguma, uns 3€ muito bem gastos. O autor revelou de facto qualidades que adoro. Para começar, tem o cuidado de ambientar o leitor à época em que toda a trama se desenrola. Ou seja, é descritivo o suficiente sem se tornar maçudo (acontecimentos históricos e monumentais, modo de vida…).
A introdução dos personagens reporta-nos passagens das suas vidas que nos leva a amá-los ou odiá-los na hora. Foi instantâneo o apego que senti em relação a uma delas, Nonnita Serrallac (personagem principal). Uma mulher com coragem suficiente para o mais bravo dos guerreiros a querer como aliada numa luta pela vida. Uma coragem do tamanho do seu coração, portadora de uma bondade tal, que lhe consegui perdoar todas as trapaças em que se envolveu. Após feitas as “apresentações”, o entrosamento entre elas vai-se desenvolvendo com naturalidade e fez-me sentir como um espectador de novela, em que cada dia passado gerava um novo episódio, levando-nos a ansiar pelo capítulo seguinte.
Lluís Anton Baulenas, a meu ver, precisa ainda de aperfeiçoar alguns aspectos, tais como os diálogos (por vezes não sabia quem era que estava a falar). É necessária uma leitura MUITO atenta ou então podemos ficar confusos num ápice, pelo que tive que recuar algumas vezes em certos parágrafos para me situar. Em suma, acho que o conjunto desses “episódios” resultaram num desfecho que me deixou admiravelmente surpreso e satisfeito. Quando terminámos a leitura, cheguei à conclusão que esta obra, tal como os seus personagens, ou se ama ou se odeia, como podem constatar nas opiniões aqui apresentadas. Se já tiveram oportunidade de a ler, deixem a vossa em forma de resposta.


Opinião - Joana

Para mim, é literalmente o pior livro que eu já li.


Opinião - Mariana

Foi na Feira do Livro do Porto, no ano passado, que comprei este livro. Foram dois os motivos que me levaram a comprá-lo: o primeiro prendeu-se com o seu reduzidíssimo preço e o segundo baseou-se numa frase na capa que comparava Lluís-Anton  Baulenas a Carlos Ruiz Zafón, um dos meus autores preferidos de sempre.  
Pois bem, deixem-me começar por clarificar uma coisa: este autor não tem nada a ver com o incrível Zafón! A única coisa que têm em comum é o facto de ambos escolherem Barcelona como palco das suas histórias. E as semelhanças ficam-se por aqui.

Agora relativamente à obra "A Felicidade", foi com pesar que percebi que o autor não tinha uma escrita que me cativasse. A premissa do livro é interessante, contudo Baulenas perde-se muito na descrição de detalhes e episódios que não são muito relevantes para o desenrolar da trama e isso acaba por desmotivar os leitores.
As personagens são várias, cada uma com as suas características particulares. Gostei mais de umas do que de outras, mas não posso dizer que tenha adorado nenhuma delas.  Eram, como posso explicar... esquisitas!
Contudo, nem tudo é negativo neste livro pois houve duas coisas que me agradaram: gostei do sentido de humor do autor e da ironia que imprimiu na história, um pouco naquela ideia de "cá se fazem cá se pagam"; também apreciei bastante os últimos capítulos pois senti que aí o autor conseguiu dar à história um ritmo interessante e os acontecimentos sucederam-se de uma forma curiosa e engraçada. Se todo o livro tivesse seguido o exemplo destes últimos capítulos sem dúvida que "A Felicidade" teria despertado em mim um interesse muito maior.
 

Opinião - Roberta

Há livros que nos cativam logo desde início... Outros custam a começar, mas depois não os conseguimos largar. Há ainda os que nos surpreendem no final, ou os que até são fabulosos inicialmente, mas que depois murcham no final. 

Há muitos tipos de livros, mas o livro A Felicidade não se enquadra em nenhuma das categorias anteriores. Este livro, posso dizê-lo com a maior segurança, foi a maior porcaria que já li em toda a minha vida. 

Alguém poderá agora começar a pensar "então porque o leste?", boa pergunta. Na feira do livro do Porto anterior nós os 4 adquirimos o livro e, tal como demonstra a foto em cima, estavamos carregados de vontade e expectativa para o começar a ler em conjunto. A prespectiva de podermos vir a trocar opiniões entre nós, conversar e ser acompanhados durante a sua leitura era algo que me motivou imenso, e penso que foi essa a principal razão pela qual o decidi iniciar. No entanto, penso que fui a primeira a começar-me a queixar da falta de qualidade do livro. Nunca nos dias da minha vida me custou tanto ler um livro, e se não fosse o facto de termos começado esta aventura em conjunto, nunca o teria terminado.  

Perdi horas e dias da minha vida a ler esta grandessíssima porcaria, por isso mesmo não me vou alongar mais e vou enumerar de forma sucinta os aspectos negativos dele.

Aspectos negativos:

  • A capa é absolutamente horrível. 
  • Na contracapa este livro é comparado com "A sombra do vento"... só se esqueceram foi de dizer que as duas obras são totalmente distintas e que o que uma tem de qualidades a outra tem de defeitos.
  • Quem é que, no meio de uma narrativa, utiliza a expressão "etc etc?".
  • As imagens e cenas de sexo e de violência com animais são das coisas mais nojentas que já li na vida.
  • Nonita é a personagem principal e é também, a meu ver, a pior personagem que já foi criada na história da literatura. A personagem não tem ponta por onde se lhe pegue.
  • Num mesmo diálogo uma personagem trata a outra por tu e depois por você e depois por você de novo... o autor faz menção a isso mesmo, mas nem se dá ao trabalho de nos explicar.
  • Este parece ser um dos grandes problemas do autor. Não gosta de explicar as coisas e dá-lhes um "final" mágico. A título de exemplo, e sem querer deixar nenhum spoiler, o autor decide que certas coisas acontecem porque sim. Numa dada cena em que as coisas poderiam ter corrido mal, o autor prefere explicar que "mesmo que alguém tivesse visto não diria nada" a ter de explicar. É difícil explicar sem dar spoilers, mas se alguém quiser saber mais pode-me contactar. O que quero dizer é que em vez de ele explicar de forma a que faça sentido, prefere não explicar dizendo que nada de mal poderia acontecer... porque sim (no fundo é isto). 
  • A linguagem é muitas vezes porca e desnecessária.
  • Por vezes as mudanças de cenários são feitas de forma abrupta sem qualquer explicação ou menção.
  • Os diálogos são forçados e muito... hum... idiotas!
  • Os tempos verbais são alterados ao longo do texto. Por vezes numa mesma página o autor fala no passado, depois no presente, depois noutro tempo verbal qualquer.. enfim.. 
  • A trama principal era muitas vezes esquecida para se centrar em pormenores desnecessários. 
  • Não vou sequer pronunciar-me sobre o título... vi tudo menos felicidade (especialmente em mim...!!).

Aspectos positivos: 

  • Aprendi que nunca mais vou perder o meu tempo a ler coisas que não valem a pena...
Deveria ser possível pedirmos o nosso dinheiro de volta (e especialmente o tempo perdido nisto). Quanto às estrelas, 0 (ZERO). E só meti 1 no Goodreads porque não há a possibilidade de meter o zero!



domingo, 22 de novembro de 2015

sábado, 21 de novembro de 2015

2

108ª Entrevista do FLAMES: Isabel Stilwell (escritora e jornalista portuguesa)



Isabel Stilwell

Isabel Stilwell é jornalista e escritora. Desde o Diário de Notícias, onde começou aos 21 anos, que contribui de forma essencial para o jornalismo português. Fundou e dirigiu a revista Pais e Filhos, foi directora da revista Notícias Magazine durante 13 anos e directora do jornal Destak até ao final do ano de 2012, entre muitos outros projectos. Paralelamente escreveu vários livros de ficção, contos e histórias para crianças, mas a sua grande paixão por romances históricos revelou-se em 2007, com o bestseller "Filipa de Lencastre", a que se seguiram "Catarina de Bragança" e "D. Amélia", com crescente sucesso. Em abril de 2012, foi a vez de "D. Maria II", que vendeu mais de 45 mil exemplares, e mereceu uma edição especial para o mercado brasileiro. Em outubro de 2013 lança um novo romance histórico intitulado "Ínclita Geração", sobre a vida de Isabel de Borgonha, filha de D. Filipa de Lencastre, e em maio de 2015 publica o seu mais recente livro sobre a mãe do nosso primeiro rei, "D. Teresa". Em julho de 2015 viu traduzido para inglês o seu primeiro romance histórico, "Philippa of Lancaster - English Princess, Queen of Portugal". No tempo que lhe sobra de crónicas, entrevistas, livros infantis e conferências para os mais velhos, e os mais novos, dedica-se a investigar e a escrever o seu próximo romance histórico.
(Fonte: http://www.isabelstilwell.com/Biografia.aspx)

O seu Filme preferido: “A Música no Coração”
O seu Livro preferido: “Senhor dos Anéis”, do J.R.Tolkien
O seu Anime preferido: nenhum
O seu Manga preferido: nenhum
O seu Espectáculo/Evento/Programa de Entretenimento preferido: “Os Miseráveis”
A sua Série preferida: “Anatomia de Grey”, “Scandal”, “Downton Abbey” (a primeira série), adoro ter um pretexto para me alienar...

A Isabel é das autoras portuguesas mais versáteis. No entanto, considera-se de alguma forma "refém" de um género literário ou acha que, sem dificuldades, os portugueses a veem como uma escritora de diferentes géneros? 
Sinto que tenho públicos diferentes para os livros diferentes que escrevo. Os romances históricos, para minha felicidade, têm leitores muito heterogéneos, dos 16 aos 90, como o Tintin, e que descobriram (ou redescobriram) o gosto pela História. Mas há depois leitores dos livros infantis, leitores dos meus livros sobre Adolescentes, ou mais recentemente dirigidos aos avós, como o mais recente de todos “Diário de uma Avó Galinha”. Uns são os recreios dos outros... Acho que o facto de ser essencialmente jornalista, ajuda a criar registos diferentes com mais facilidade. 

O seu livro "Philippa de Lencastre" tem agora uma versão inglesa. Como tem sido o feedback de quem o leu nessa língua? 
A tradução é da minha irmã Martha, e é fabulosa. Sinto que o livro ganhou em ser traduzido para inglês, sobretudo neste caso em que mais de metade se passa exatamente em Inglaterra. É claro que quem lê não faz a comparação, mas o feedback tem sido fantástico, tenho ouvido as pessoas dizer que querem ir para casa depois do trabalho para continuar a ler. Ou que o leram de uma assentada. São coisas que faço quando gosto do livro que estou a ler. Dito isto, os canais de distribuição não são fáceis, não é fácil fazer chegar o livro aos potenciais leitores. A Fnac entendeu que os estrangeiros em Portugal que leem em língua inglesa estão interessados, e tem nas suas lojas. A Bertrand também, e o Pingo Doce colocou nas suas lojas no Algarve. Depois recebi a ajuda individual de muita gente desta comunidade: a embaixadora do Reino Unido apresentou o livro em Cascais, e há umas semanas estive no Funchal, onde a cônsul do Reino Unido na Madeira fez uma apresentação da obra. A International Women of Portugal, um grupo interessantíssimo, que acolhe as mulheres que chegam ao nosso país, e se querem reunir com outras que estão a passar pela mesma experiência, e organiza encontros em redor de livros, workshops, visitas a museus, etc, tem sido também extraordinária. E agora é possível comprar o livro através do site da própria editora, a Livros Horizonte. Mas vamos ver, não é fácil. Gostava que corresse bem, porque disso depende a tradução do seguinte – "Catarina de Bragança".

Nos seus livros, tenta sempre falar de pessoas que, de alguma forma, admira? 
Diria que, acima de tudo, as personagens principais têm de me suscitar curiosidade, vontade de as conhecer melhor. Invariavelmente fico depois a admirá-las. Mas nunca no registo de adoração. O que me fascina é a sua vida, como viveram e superaram os obstáculos, a coragem que tiveram para enfrentar dificuldades inimagináveis — já pensou no que terá sentido, por exemplo, a rainha D. Amélia quando o seu filho querido foi assassinado na mesma carruagem em que seguia, para além do marido? E D. Maria II, criança, rainha aos 7 anos, e enviada sozinha para a Europa, para descobrir em Gibraltar que o tio lhe roubara o trono? Se me ponho para aqui a falar sobre elas, nunca mais me calo. 

A História de Portugal sempre foi um “bicho-de-sete-cabeças” para algumas pessoas. Acha que os seus romances históricos podem ajudar a desmistificar esta ideia? 
Não quero estar para aqui a dizer bem de mim mesma, lol, mas a verdade é que acho que sim às duas perguntas. Que sim, que muitas vezes a História, como é dada nas escolas, pode ser uma seca, cheia de nomes e datas que não dizem nada a quem aprende, e sim, que um romance histórico, ao revelar os personagens que fizeram a História como pessoas de carne e osso, que amam e odeiam, que choram e se apaixonam, pode ajudar a contextualizar a informação mais factual. Sabe-se que precisamos de ligar as coisas entre si para as memorizar, que a informação nova precisa de, alguma forma, estar ligada àquela que já temos... 

Num dos seus últimos livros, a personagem principal (D. Teresa) não é uma personagem muito querida pelos portugueses. Porquê falar nela? 
Não é muito querida pelos portugueses porque não a conhecem. A história em redor de D. Teresa que nos foi “vendida” é a história dos vencedores, e ela foi a derrotada, e como se sabe os vencedores tendem sempre a diminuir aqueles sobre os quais triunfaram. D. Teresa é filha de Afonso VI de Leão e Castela, Imperador de todas as Espanhas, e herda dele a ânsia de poder. Mas é uma mulher, e uma mulher que luta pelo poder, que é capaz de quase tudo para conseguir alargar os seus domínios, e que ainda por cima escolhe o homem com quem dorme, mesmo sendo ele casado, não pode ter “boa reputação” num tempo medieval. Mas os traços da sua personalidade que então eram considerados diabólicos, de uma Jezebel ou serpente, à luz dos dias de hoje são lidos de uma forma completamente diferente. E é por isso que, acredito, ninguém fique com a mesma opinião sobre a rainha Teresa, depois de ter lido este livro. 

Como é que a Isabel se “reinventa” a cada nova obra que escreve dentro do mesmo género literário?  Quando estou a escrever, há momentos em que tenho muito medo de não me “reinventar”, em que sinto que estou a repetir palavras, que os diálogos não são suficientemente originais, tanta coisa, mas depois sou sempre levada por caminhos diferentes porque as minhas personagens principais são absolutamente únicas. São elas que marcam o livro e o cunham. 

No panorama literário português, a Isabel é uma referência para nós mulheres pois aborda com mestria a vida de algumas das maiores portuguesas da nossa História. Sente isso como sendo uma responsabilidade, uma honra ou um misto de ambos? 
Obrigada por me dizerem uma coisa dessas! É ótimo ouvir elogios, e sentir que dei a conhecer mulheres que estavam cheias de pó nos bastidores, mas como leitora de romances históricos que sou, sei que há quem os faça muito melhor do que eu. E a cada nova rainha, ambiciono conseguir fazer cada vez melhor. A cada novo livro tenho um receio horrível de desiludir os leitores. “E se é desta que não sou capaz de manter a curiosidade, o ritmo, o entusiasmo dos outros”, penso. Quando o professor Guilherme Oliveira Martins, que apresentou a D. Teresa e por quem tenho uma enorme admiração, disse que os meus livros estavam cada vez mais conseguidos, tive vontade de lhe acender uma velinha! Mais um que não posso desiludir, decididamente isto é uma montanha russa de emoções. 

Muito obrigada pela disponibilidade e simpatia Isabel!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

2

Passatempo: 187º passatempo do FLAMES (em parceria com o autor Nuno Nepomuceno)


Que o autor Nuno Nepomuceno é talentoso não restam dúvidas. Contudo, se ainda havia alguém que duvidava da sua simpatia e generosidade este passatempo é mais uma prova inequívoca de que como o Nuno há muito poucos escritores em Portugal! Assim, o FLAMES tem para oferecer, em parceria com o autor, um exemplar do seu mais recente livro "A Hora Solene", última parte da trilogia "Freelancer":


Sinopse:
"Lutai, vós, homens de valor. Londres, Reino Unido. Numa fria noite de tempestade, um homem é esfaqueado e abandonado na rua. A poucos quilómetros de distância, um terrorista pertencente a uma organização criminosa auto-intitulada O Gótico entrega-se aos serviços secretos. Ao mesmo tempo, um avião sofre um violento atentado ao sobrevoar a Irlanda e um vídeo é enviado à redacção de uma famosa cadeia televisiva. A intriga acentua-se quando um milionário começa a ser alvo de extorsão. No centro destes acontecimentos, encontra-se André Marques-Smith. Alto funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o espião português é obrigado a protegê-lo. Mas não está sozinho. Foragidos, dois colegas dissidentes regressam e revelam ao mundo a verdadeira génese de um antigo projecto de manipulação genética. E há ainda uma mulher. Em parte incerta, esta enigmática espia de feições orientais poderá ser a chave de todo o mistério. Mas que explicação haverá para o seu desaparecimento? Conseguirão os dois agentes ultrapassar o fosso criado entre eles? Através de uma viagem frenética por entre os deslumbrantes cenários reais de Moscovo, Londres, Hong Kong, Macau, Praga, o Grande Buraco Azul e Lisboa, os perigos multiplicam-se e André dá por si a lutar pela sobrevivência. Questões sobre ética, moral, religião, família e o valor da vida humana são levantadas. E uma teia de falsas verdades, ilusões e complexas relações interpessoais é desvendada no derradeiro capítulo de uma série policial que já marcou a ficção portuguesa. Inspirado num discurso de guerra de Winston Churchill, depois de ver o talento confirmado com A Espia do Oriente, revelado ao público através da vitória no Prémio Literário Note! 2012 com O Espião Português, Nuno Nepomuceno apresenta A Hora Solene, a terceira e última parte da trilogia Freelancer. Um romance de espionagem imprevisível, no já característico estilo sofisticado e intimista do autor, onde os valores tradicionais da cultura nacional se fundem com uma abordagem inovadora e única que o irá surpreender." 


Podes participar uma vez por dia até ao dia 5 de Dezembro. Boa sorte! 
Notas:
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante a sua entrega.
- Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail enviando-nos os seus dados; findo esse prazo, na ausência de uma resposta, o FLAMES sorteará um novo vencedor.

TERMINADO - Parabéns Venâncio Sousa (Enxara do Bispo)

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

0

Livro: Vira a página (Caderno criativo para seguires em frente no amor) - Opinião dupla





Título: Vira a Página
Autora: Rebecca Béltran
Ilustração: Adrià Frutós
Editor: Arena
Data de lançamento: Outubro 2015
ISBN: 9789896650056
Nº de páginas: 144

Sinopse:
"Os ex nascem, crescem e reproduzem-se e, mesmo que agora não acredites, deixam de ter importância.
Um caderno de actividades diferente e divertido para esqueceres o teu ex. Se precisas de esquecer uma relação que correu mal, se não encontras o teu lugar neste mundo e acreditas que nunca vais mais recuperar a alegria de viver, abre este livro e vira a página!
Um caderno diferente e divertido que acompanha o sucesso no mercado dos cadernos criativos, mas inovador por tratar especificamente do amor. 

Mais de 100 actividades divertidas e criativas para exorcisar os teus demónios e esquecer o teu ex.
Escreve, cola, risca e pinta, mas sobretudo diverte-te e segue em frente.
Ao terminares, perceberás com alegria que o sol continua a brilhar todas as manhãs."


Opinião da Roberta

Como alguns de vocês sabem eu sou absolutamente viciada em cadernos de actividades, sejam eles livros para pintar ou, simplesmente, para nos deixar entretidos. 

Este caderno de actividades tem tanto de divertido como de útil, isto porque tem actividades mais criativas (como colocar os nomes dos ex namorados em lápides num cemitério) como de útil (como no caso em que o leitor terá de criar uma lista de coisas coisas das quais se livrou assim que saiu da relação). 
Este último ponto da lista, por exemplo, é mesmo bastante útil e pode ajudar a pessoa a repensar a relação terminada.

Outras vantagens deste livro são as lindas ilustrações, as frases/citações de autores fantásticos, e o facto de haver actividades que não são centradas no ex (porque também nem tudo tem de girar à volta da relação/ex-namorado). 

Aquela tua amiga que pensava ter descoberto o príncipe encantado está de rastos e não sabes como ajudar? Oferece-lhe este livro e de certeza que lhe vais proporcionar bons momentos. E ainda podes participar em algumas actividades com ela. 

Este é um livro divertido e que é adequado para um grande leque de faixas etárias. A autora e ilustradora estão ambas de parabéns, assim como a editora pela qualidade do trabalho final.  



Opinião da Mariana:

Se a componente estética de qualquer livro é importante, quando se trata de um caderno de actividades é fulcral.
Por isso mesmo, foi com agrado que percebi que "Vira a Página" é um caderno com ilustrações geniais: simultaneamente divertidas, directas, coloridas e adequadas a cada ideia apresentada.

Ao longo do caderno, as leitoras são desafiadas a fazer uma série de tarefas cujo objectivo, tal como o título indica, é ajudá-las a seguir em frente após um amor que correu menos bem. As tarefas vão desde a elaboração de desenhos, a construção de listas, a participação de amigos nos desafios e o planeamento de um futuro mais risonho.

Contudo, não quero transmitir a ideia de que se trata apenas de um caderno com uma veia cómica acentuada. A verdade é que "Vira a Página" também tem lugar para vários pensamentos profundos, aqui transmitidos por mulheres conceituadas e que são um verdadeiro exemplo do poder feminino.

Na prática, a autora deste livro sabe que não é um simples caderno que vai ajudar a resolver tudo o que está errado na vida de alguém que acabou uma relação. No entanto, de todas as peças necessárias para voltar a pôr a engrenagem da vida a funcionar esta pode ser uma peça fundamental que, por certo, arrancará gargalhadas nas suas leitoras e irá ajudá-las a perceber que o final de uma relação não significa o fim do mundo, mas sim o começo de um muito mais brilhante e interessante! 

Este é o caderno ideal não só para quem está a passar por um processo de ruptura, mas também para quem tem uma amiga ou conhecida que poderá estar a sofrer neste preciso momento pelo final de uma relação pela qual não vale a pena lutar. Por vezes temos de ser nós a ajudar quem não consegue ver para além da escuridão e "Vira a Página" poderá ser o primeiro passo na direcção certa!

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

0

Livro: O clube dos Ténis Vermelhos (Ana Punset)



Título: O Clube dos Ténis Vermelhos (El club de las Zapatillas Rojas #1)
Autora: Ana Punset
Páginas: 272
Publicado em Outubro 2015 em Portugal
Editora: Nuvem de Letras

Sinopse:
Um livro sobre a amizade entre raparigas. Lúcia, Rita, Bia e Marta são amigas inseparáveis desde sempre e para sempre. Um dia Marta traz uma má notícias: ela e a família vão mudar de casa para Berlim! As quatro amigas decidem criar O CLUBE DOS TÉNIS VERMELHOS, para ficarem juntas para sempre e provarem que a verdadeira amizade é mais forte que a distância.

Opinião:
Foi com enorme espanto que me vi agarrada a este livro, como se fosse uma criança/adolescente, saboreando cada página da história com interesse genuíno.
Isto porque, na verdade, Ana Punset é uma brilhante contadora de histórias, com uma escrita muito bem cuidada e apelativa para os jovens. A edição está também fantástica com ilustrações deliciosas (eu sei, eu sei, sou uma criança, mas não tenho culpa de gostar de livros ilustrados) e com palavras no texto sublinhadas ou com uma diferente formatação, que por vezes mimetizam na perfeição os sentimentos das personagens. Não é por acaso que a autora já vendeu mais de 60.000 exemplares! Tenho a certeza que será um sucesso aqui também.
Claro que não posso dizer que este livro me tocou da mesma forma que outros livros para adultos, ou da mesma forma que me tocaria se o tivesse lido em miúda, mas quem me segue aqui no blogue e no canal já percebeu que eu adoro livros infantis e para crianças, e que os leio com frequência.
O livro passa-se em Barcelona, cidade que ainda não visitei, mas que me fascina bastante. 
Aborda vários temas como a rivalidade entre pessoas, o poder da amizade, a vida com pais divorciados, o amor...! Tudo numa linguagem cuidada e simples. 
As referências a filmes e outros livros também é uma constante, assim como a bandas e músicos conhecidos (falam em Muse! A minha banda favorita). 

Mais uma vez dou por mim a ler estes livros e a pensar... será que posso voltar atrás no tempo e ler estes livros? Posso?

Roberta Frontini
0

Evento / Entretenimento: Audiçao em primeira mão do disco «Idade dos Inquietos» dos ATOA


«Idade dos Inquietos» dos ATOA


No dia 11 de Novembro de 2015, o FLAMES deslocou-se propositadamente a Lisboa para o evento Magusto dos Inquietos. 
Basicamente, estivemos com outras bloggers a ouvir, em primeira mão o disco dos ATOA - Idade dos Inquietos.


Mas não fomos sozinhas. Connosco vieram 2 fãs da banda vencedoras do nosso 184º Passatempo. 
As fãs que ganharam esta oportunidade foram a Sara e a Mariana. 



O disco está absolutamente fantástico, e a maturidade musical das músicas fez-me, por momentos, pensar que os membros da banda eram mais velhos do que são. 
Apesar de eu conhecer a banda desde que se encontravam no Tradiio, devo dizer que a sua evolução me surpreendeu bastante. 

Não percam eos ATOA de vista!

"Idade dos Inquietos" já está disponível no MEO Music numa versão que inclui uma música exclusiva.

Já se pode ouvir o álbum de estreia da banda que é um dos maiores fenómenos recentes da música portuguesa, os ÁTOA. "Idade dos Inquietos" chegará às lojas no próximo dia 20 de novembro, mas está, durante uma semana, em exclusivo no serviço de streaming MEO Music, e inclui uma surpresa, uma faixa extra, "Física do Sul", que só estará disponível nesta plataforma do MEO para escuta aqui.

"Idade dos Inquietos" conta com 11 canções originais (na versão MEO Music são 12), todas elas escritas e compostas por elementos dos ÁTOA. São 11 músicas que reflectem a maneira de ser dos quatro amigos e as suas vivências do dia-a-dia. As canções foram produzidas na sua maioria por João Bessa (responsável por algumas produções ou co-produções de artistas como Pedro Abrunhosa, Os Azeitonas, Miguel Araújo) e foram gravadas nos Groove Wood Studios, no Porto. 

Formados por Guilherme Alface (voz, guitarra, piano), João Direitinho (guitarra, voz, piano), Rodrigo Liaça (bateria, percussão, voz, piano) e Mário Monginho (baixo, guitarra), a banda foi revelada com os singles de sucesso "Falar a Dois" e "Distância", canções que rapidamente conquistaram o público português. Além de integrar a banda sonora da telenovela da SIC "Coração D'Ouro", o vídeo de "Falar a Dois" soma mais de 400 mil visualizações. Já "Distância" conta com mais de 860 mil visualizações no canal do YouTube, o single chegou ao número 1 do TNT – Todos No Top – da Rádio Comercial, e foi durante semanas a música portuguesa mais procurada no Shazam.



Roberta Frontini

domingo, 15 de novembro de 2015

0

Entretenimento: Novidades no Mundo da Música


NELSON FREITAS 
 ESTREIA "MIÚDA LINDA", O NOVO SINGLE 


A espera terminou: "Miúda Linda" é o novo single de Nelson Freitas e é o primeiro avanço daquele que vai ser o seu quarto disco, sucessor do aclamado "Elevate", a editar em 2016. O vídeo, que conta com a participação de Diana Taveira, acaba de estrear aqui. Em declarações à RFM, o artista afirmou que "a canção é inspirada em todas as miúdas lindas do mundo". A história de Nelson Freitas começou, curiosamente, como break-dancer. Depois de uma passagem pelo grupo Quatro, lançou-se a solo para misturar as suas raízes Cabo-Verdianas com géneros como o hip hop, R&B e house, num estilo que se tornou a sua assinatura pessoal. 
O álbum de estreia, "Magic", vendeu mais de 70 mil cópias em todo o Mundo, seguido de uma digressão de 2 anos. O segundo disco, "My Life", elevou a parada, vendendo mais de 90 mil cópias, e dali extraíram-se singles como "Rebound Chick". Depois, "Elevate": o terceiro trabalho é sinónimo do mega sucesso "Bô Tem Mel" ou "Something Good". Aí, Nelson Freitas trabalhou com artistas e produtores de Angola, Cabo Verde, Congo, Holanda e Marrocos. Mais tarde, em Novembro do ano passado, encheu o MEO Arena com um espectáculo recheado de surpresas.

RODRIGO LEÃO 
 "o retiro" de Rodrigo Leão conquista imprensa nacional 

~
Álbum editado com o selo da Deutsche Grammophon já é um sucesso

O mais recente álbum de Rodrigo Leão, "o retiro", já chegou às lojas e tem conquistado um pouco por todo o lado a imprensa da especialidade. Um projecto orquestral com que Rodrigo Leão sonhava há muito, gravado, com a Orquestra e o Coro Gulbenkian, "o retiro" é algo de novo na sua carreira. É um disco que reconhecemos como seu, síntese de três décadas de experiência como compositor e instrumentista, mas que as reorganiza e reconfigura de formas novas, surpreendentes. Ao longo dos seus 13 temas, "o retiro" organiza-se como uma suite orquestral de ambientes e melodias que existem como um todo indissociável, unidas pela inconfundível inspiração melódica de Rodrigo Leão. Reconhecemos imediatamente a sua "identidade" sonora, mas sentimos também que viaja aqui para novos destinos. O álbum é um dos grandes desafios da longa e frutuosa carreira de Rodrigo Leão, tendo sido gravado por Tobias Lehmann (responsável por muitos registos da lendária editora Deutsche Grammophon) no Grande Auditório Gulbenkian, aproveitando a acústica extraordinária desta sala. O músico contou ainda com as colaborações do seu quarteto de cordas habitual (Viviena Tupikova, Bruno Silva, Carlos Tony Gomes e Denys Stetsenko) e por cúmplices regulares, como Celina da Piedade e Selma Uamusse, que interpreta "Melancolia", primeira canção a ser apresentada deste novo álbum. Steve Bartek (ex-Oingo Boingo e braço direito do compositor de Tim Burton, Danny Elfman) e o violoncelista Carlos Tony Gomes colaboram ainda com Rodrigo Leão nos arranjos orquestrais. Fruto deste trabalho, a crítica não se tem poupado a elogios ao novo trabalho do compositor português. Público / Ípsilon (Vítor Belanciano) "O álbum chama-se "o retiro" e, como o título já indicia, contém música que procura o silêncio, encarando-o como algo envolvente, síntese de três décadas de experiência como compositor e instrumentista, numa espécie de suite predominantemente instrumental que existe como um todo, algures entre o popular e o erudito, o orquestral e o eletrónico, no contexto de uma música de ambientes depurados e tranquilos. (…) É talvez o conjunto de temas mais melancólicos que alguma vez compôs, marcados pelo sentido da ausência, mas também pela ideia de renascença." Diário de Notícias (Maria João Caetano) "Primeiro disco de Rodrigo Leão com a editora alemã Deutsche Grammophon (especializada em música clássica, ‘o retiro’ é uma obra que o músico só poderia ter feito agora, com quase 35 anos de carreira" Visão (Pedro Dias de Almeida) "Da new wave dos anos 80 até à entrada, com o novo disco, "o retiro", no catálogo da prestidiadíssima Deutsche Grammophon foi uma grande viagem, mas sem grandes cortes ou ruturas. Como foi possível?" Correio da Manhã (Pedro Rodrigues Santos) "É um dos trabalhos mais ambiciosos de Rodrigo Leão e o início de um novo ciclo de uma carreira musical com mais de três décadas." Este mês Rodrigo Leão apresentará as composições de "o retiro" numa série de concertos muito especiais. 

No dia 18 atuará no Coliseu do Porto e nos dias 20 e 21 no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, concertos que contarão com a presença dos mesmos músicos que colaboraram nas gravações do álbum. Os bilhetes para estes espetáculos já se encontram à venda.

THE BEATLES 
 REEDIÇÃO HISTÓRICA DE "1"


Pela primeira vez na história, as 27 canções e vídeos dos Beatles que chegaram a número 1 nas tabelas dos Estados Unidos e Reino Unido aparecem numa edição conjunta, com um minucioso trabalho de restauro, que foi preparado durante meses. A histórica compilação que já vendeu mais de 30 milhões de cópias à volta do mundo, chega às lojas em formatos completamente novos: + as edições "1", em CD/DVD e CD/Blu-Ray, que compilam as 27 faixas e os 27 vídeos; + as edições "1+", em CD/2DVD e CD/2Blu-Ray, com um disco adicional composto por 23 outros vídeos raramente vistos e um livro de capa dura, recheado de ilustrações, anotações do crítico de música pop Richard Havers a acompanhar cada faixa, e um ensaio do jornalista Mark Ellen; + e ainda, a reedição só de um CD áudio, com as 27 faixas, e o lançamento em DVD e em Blu Ray dos 27 vídeos.

Em Dezembro chegará ainda a edição "1" em vinil, acompanhada de 4 postais e de um poster, numa réplica fiel da edição original. Todas as canções têm agora novas misturas de áudio, nascidas a partir das cassetes originais e da responsabilidade de Giles Martin e de Sam Okell nos estúdios de Abbey Road. Os vídeos foram restaurados através de uma digitalização em 4K dos negativos de 35mm, uma limpeza frame-a-frame, ajuste de cores, melhoramentos digitais e outros minuciosos detalhes, levados a cabo por uma equipa de 18 pessoas ao longo de meses. O processo e os resultados desse trabalho podem ser vistos neste trailer. Paul McCartney e Ringo Starr gravaram ainda alguns comentários específicamente para esta edição. Os Beatles, como nunca antes foram vistos, 15 anos depois da primeira edição de "1".

Uma excelente prenda de Natal para os fãs não acham? 

ANA MOURA 

Novo álbum "Moura" é editado dia 27 de novembro

Pré-vendas disponíveis


"Moura" é o nome escolhido para intitular o 6.º álbum de estúdio de Ana Moura. Uma escolha que evidencia o cunho pessoal que Ana Moura tem dado a todos os detalhes que envolvem este trabalho e que se revê no lettering do disco, que aqui aparece como uma assinatura. "Moura" é também o título da canção que encerra o disco, com letra do escritor José Eduardo Agualusa e música do artista angolano Toty Sa'Med. Outra das novidades hoje reveladas é o dueto de Ana Moura com Omara Portuondo no tema "Eu Entrego", de Edu Mundo. "Dia de Folga", da autoria de Jorge Cruz, foi o primeiro avanço do novo álbum e já toca nas rádios nacionais. Ficou também disponível no VEVO, o primeiro dos quatros webisódios previstos até ao lançamento do álbum, com imagens da gravação do disco em Los Angeles, EUA, e uma breve entrevista a Ana Moura, em que desvenda um pouco mais do novo álbum.




Com data de edição prevista para dia 27 de novembro, "Moura" está, a partir de hoje, disponível em pré-venda:

https://itunes.apple.com/pt/album/moura/id1056797122?app=itunes&ign-mpt=uo%3D4

http://www.fnac.pt/Ana-Moura-Moura-Edicao-Exclusiva-Fnac-CD-Album/a928436#bl=MUPr%c3%a9-vendas-M%c3%basicaBLO3


JUSTIN BIEBER


Justin Bieber junta-se a J Balvin em remix de "Sorry"
"Sorry", uma das mais recentes canções que Justin Bieber desvendou do seu próximo álbum, "Purpose", atingiu o 2.º lugar do top Billboad Hot 100 e o seu vídeo conta com mais de 60 milhões de visualizações no YouTube. "Sorry" já tinha entrado diretamente para o primeiro lugar da lista Billboard + Twitter Tracks, uma classificação semanal das canções mais vezes mencionadas e/ou partilhadas no Twitter, nos Estados Unidos. O single anterior, "What Do You Mean", liderou este top durante seis semanas consecutivas entre setembro e outubro. Agora Justin Bieber juntou-se ao artista colombiano J. Balvin para uma remistura latina de "Sorry" que, certamente, continuará a conquistar novos públicos a estes dois cantores tão bem sucedidos, sendo que esta sexta-feira chegará às lojas o muito aguardado novo álbum de Bieber, "Purpose". Já "Ginza", último single de J. Balvin, continua a liderar o top Hot Latin Songs da Billboard, pela quinta semana consecutiva. "Ginza" estreou-se em 1.º lugar nos tops do iTunes nos EUA e Porto Rico, alcançou o n.º 1 do top do Spotify em vários países e quebrou o recorde do vídeo cantado em espanhol mais visto nas primeiras 24 horas, além de ter entrado diretamente para o top 5 das listas Hot Shot Debut e Hot Latin Songs Chart da Billboard. Recentemente o vídeo de "Ginza" quebrou ainda um novo recorde, sendo o primeiro vídeo de um artista latino-americano a ultrapassar as 100 milhões de visualizações em 62 dias, ultrapassando assim o recorde que anteriormente pertencia a "Bailando". J. Balvin está ainda confirmado para participar na próxima cerimónia de entrega dos Grammys Latinos, que se realiza a 18 de novembro, e para os quais concorre em duas categorias: Melhor Interpretação Urbana e Melhor Canção Urbana.

SHAWN MENDES 

~
"Stitches" de Shawn Mendes é o grande sucesso do momento
O single atingiu o primeiro lugar de airplay nos EUA.
O álbum "Handwritten" é reeditado no dia 20

O jovem cantor Shawn Mendes é definitivamente um dos grandes fenómenos da pop atual e o sucesso do single "Stitches" está aí para o confirmar. Depois de ter alcançado a marca de platina no mercado norte-americano e ter atingido o top 5 do Billboad Hot 100, a canção que está a conquistar adolescentes (e não só) por todo o mundo atingiu ainda o primeiro lugar da tabela de airplay pop nos Estados Unidos. A estrela pop lusodescendente vive assim um momento alto do seu percurso musical, sendo que no próximo dia 20 de novembro chegará ao mercado a muito aguardada reedição do seu álbum de estreia. Entre as surpresas que serão desvendadas em "Handwritten Revisited" estão quatro canções inéditas e cinco versões ao vivo de temas que já faziam parte do alinhamento original. Será ainda lançada uma versão exclusiva deste "Handwritten" que inclui um DVD com o concerto que Shawn Mendes deu no Greek Theatre, em Los Angeles, no passado dia 16 de agosto. No ano passado a revista Time elegeu Shawn Mendes um dos adolescentes mais influentes de 2014, tendo-se transformado de uma sensação viral da Internet para uma estrela pop que conquista milhares de adolescentes em todo o mundo. Esse fenómeno reflete-se no quão bem acolhido foi o seu álbum de estreia. Dele foram retirados cinco singles de sucesso, sendo que "Life of the Party" e o referido "Stitches" chegaram à marca de platina nos EUA, enquanto "Something Big" atingiu o ouro. Shawn Mendes foi ainda o mais jovem artista em quase cinco anos a ter um álbum no primeiro lugar do top da Billboard. Em dezembro o cantor prepara-se para se juntar à digressão "Jingle Ball Tour 2015", promovida pela iHeart Radio, que juntará estrelas pop de topo em atuações que começam no dia 1 de dezembro e só terminam no dia 19 do mesmo mês. De lembrar que Shawn Mendes já soma mais de cinco milhões de seguidores no Instagram, 4,4 milhões de seguidores no Twitter e 4,3 milhões no Vine, além dos seus vídeos contaram com mais de 260 milhões de visualizações na plataforma VEVO, o que mostra a dimensão deste cantor que está a conquistar tudo e todos.

DIOGO PIÇARRA

Reedição de "Espelho" disponível em pré-venda no iTunes 
A edição especial do álbum de estreia de Diogo Piçarra, "Espelho", chega às lojas a 20 de novembro. Ao longo destas semanas, têm sido disponibilizados pequenas amostras do que os fãs podem encontrar no DVD extra que esta edição traz. Diogo Piçarra já deu a conhecer o tema "Meu é Teu", em dueto com Isaura, para ver aqui; e pequenas amostras dos temas: "Por Quem Não Esqueci" uma versão do clássico dos Sétima Legião, para ver aqui; e do enorme sucesso "Tu e Eu", online desde hoje, para ver aqui. A versão física desta edição especial inclui um DVD, realizado por André Tentúgal. Um DVD gravado propositadamente num universo que remete aos ambientes em que Diogo Piçarra filmava os seus vídeos caseiros, com os quais foi aumentando a sua base de seguidores no canal de Youtube (com mais de 79 mil subscritores). São 6 temas gravados em vídeo. Para além dos já citados, foram ainda reinterpretados em formato acústico os temas "Sopro", acompanhado por Filipe Cabeçadas, que também está presente em "Perfeito" juntamente com André Tentúgal (além de realizador, músico dos We Trust), "Não te Vou Esquecer" acompanhado por um quarteto de cordas, o qual participa também nas músicas "Sopro" e "Por Quem Não Esqueci". A edição digital desta edição já se encontra disponível para pré-venda aqui.

CUCA ROSETA

Digressão internacional passa por Espanha, Brasil e Holanda 
O sucesso mundial de Cuca Roseta é cada vez mais uma realidade. 
Nos próximos dias Cuca irá atuar no Festival de Fado de Sevilha (17.11) e no Festival de Fado do Brasil, com concertos marcados a 19 e 20 de novembro, nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Num curto regresso a Lisboa, Cuca Roseta parte novamente no início de Dezembro, para uma extensa tour na Holanda, Bélgica e Luxemburgo onde irá percorrer 14 cidades. Depois de um verão muitíssimo bem sucedido, com mais de 50 concertos realizados, o novo trabalho de Cuca Roseta "Riû" - que recebeu largos elogios da critica e do público - tem elevado a fadista para um patamar de grande destaque e reconhecimento. "Riû" tem a participação de Djavan e junta composições de Cuca Roseta a Bryan Adams, Ivan Lins, Pedro Joia, Jorge Drexler entre muitos outros. A fadista prepara ainda novidades para 2016, que revelará em breve.
Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%