Envie esta página a um amigo!

domingo, 30 de novembro de 2014

0

Entretenimento: Novo álbum de Tiago Bettencourt - Primeiras Impressões



 
Se há uns meses atrás entrevistar o Tiago Bettencourt foi um verdadeiro prazer, ouvir o seu álbum não teve menos importância.
Aliada à sua simpatia, o Tiago tem uma voz inconfundível com um tom aveludado e que me transporta para um estado de acalmia sempre que ouço as suas músicas.
Na altura da preparação da entrevista, tive o prazer de ouvir o seu álbum novo, "Do princípio", editado em Maio e foi com interesse que soube da reedição em Dezembro desse seu trabalho com uma surpresa: 6 temas gravados ao vivo no já famoso Concerto Mais Pequeno do Mundo!
São eles:
 
- Eu Esperei
- Fúria e Paz
- Do Princípio
- Só Mais uma Volta
- Maria
- Morena
 
As minhas músicas de eleição neste seu trabalho? A "Morena", que tem tocado em praticamente todas as rádios portuguesas e que, quando a ouço, não mais me sai da cabeça durante um par de horas, quer seja pelo seu ritmo contagiante, quer seja pela sua letra divertida.
Contudo, o tema que mais mexeu comigo e que mesmo tendo sido ouvido pela primeira vez há tantos meses ainda me faz parar para absorver cada uma das suas palavras é a música "Aquilo que eu não fiz". Uma crítica aos sucessivos governos que conduziram o nosso país ao seu actual estado? O próprio Tiago respondeu a essa questão na entrevista que o FLAMES lhe fez. Para mim tem uma letra poderosíssima e acredito que cada português que a ouça, neste momento actual de crise que Portugal atravessa, acabará por, inevitavelmente, adoptá-la como um hino seu. Concluindo, considero o  Tiago Bettencourt não só um artista completo como muito corajoso!

Descrevo este seu trabalho com as seguintes 3 palavras:
 
Honesto
Inteligente
Completo
0

Entretenimento: Banda Sonora do filme "The Hunger Games" - Primeiras Impressões


Com este álbum, "The Hunger Games: Mockingjay", decidi fazer algo que nunca antes tinha feito: ouvir a banda sonora de um filme antes mesmo de vê-lo. A única informação de que dispunha sobre o mesmo era o seu trailer e foi com essas imagens em mente que escutei atentamente cada uma das 14 músicas que compõem este trabalho.

 
Para começar, fiquei surpreendida quando verifiquei que a jovem Lorde não se limitou a participar com algumas músicas como, admirem-se, foi a produtora de todo o álbum!! Um passo sem dúvida arrojado para esta jovem cujo nome até há tão bem pouco tempo era completamente desconhecido.
Se passou no teste? Para mim sem dúvida alguma que esteve bem pois conseguiu não só juntar uma mão cheia de artistas conceituados e actuais (como por exemplo os The Chemical Brothers e a Charlie CXC) como descobriu o segredo para o equilíbrio num disco com a participação de músicos de diferentes géneros.
No geral, o álbum tem um som bastante electrónico com um toque soturno, o que me parece completamente adequado, não só tendo em conta as imagens que estão no livrinho que acompanha o disco como também aquilo que prevejo que este filme apresenta.   

 
Para mim, as 3 palavras que melhor descrevem este álbum são:
 
Arrojado
Alternativo
Futurista
0

Entretenimento: Notícias e Novidades - ANA MOURA; SELENA GOMEZ; BAND AID 30; PANDA E OS CARICAS; U2; SILENCE 4; ShadyXV; MARY J. BLIGE


Notícias e Novidades no Mundo da Música 

ANA MOURA -   Dois anos de "Desfado" confirmam Ana Moura como a artista portuguesa contemporânea com maior projecção internacional Prestes a atingir a marca das 100 mil unidades vendidas em todo o mundo, galardoado com a Quadrupla Platina em Portugal - onde se mantém no top nacional de vendas há 104 semanas consecutivas, desde a sua edição, a 12 de Novembro de 2012 -, eleito, em 2013, pelo britânico The Sunday Times, "Melhor Disco do Ano" na categoria World Music, "Desfado" completa hoje dois anos de existência e representa o epítome de uma carreira ímpar, que consagra Ana Moura como a artista portuguesa contemporânea com maior projecção a nível internacional. A digressão de "Desfado" - que teve início a 16 de Novembro de 2012, no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria e se encontra actualmente nos EUA e Canadá -, conta com 223 actuações, em 33 países, espalhados por 4 continentes e tem proporcionado experiências memoráveis, como o convite endereçado a Ana Moura para uma actuação no mítico clube de B.B.King, em Nova Iorque, que decorreu ontem, dia 11 de Novembro. Em Outubro, "Desfado" foi distinguido, nos Prémios Amália Rodrigues 2014, com o prémio "Melhor Disco", atribuído à versão duplo CD, intitulado "Desfado/Caixa Alfama", que chegou às lojas em Dezembro de 2013, cerca de um ano após a edição da versão standard. Ana Moura já havia sido distinguida com um Prémio Amália de "Melhor Intérprete", em 2008, pelo disco "Para Além da Saudade".

Próximos espectáculos: 
28 Dez - BUCARESTE, Sala Palatului ROM 
06 Mar - ZUG, Theatercasinno SUI 
07 Mar - LIECHTENSTEIN, Theater am Kirchplatz LIE 
08 Mar - LIUBLIANA, Cankarjev Dom ESL

SELENA GOMEZ - Novo single antecipa compilação de êxitos "For You" Novo tema "Heart Wants What it Wants" já disponível - A cantora norte-americana Selena Gomez anunciou o lançamento de um novo single e vídeo: "Heart Wants What it Wants", assim se chama o tema, está desde já disponível e antecipa o lançamento de uma compilação de êxitos. O tema estreou-se já nas plataformas sociais da cantora bem como na rádio e no VEVO. O vídeo, gravado em Los Angeles, California, foi realizado pelo premiado realizador Dawn Shadforth, que já registou vídeos de nomes como Florence and The Machine, Charlie XCX, Kylie Minogue ou Oasis. "For You", já disponível em pré-venda no iTunes, é o primeiro registo "best of" da cantora e atriz, e será editado a 24 de novembro. Escrito por Selena em conjunto com Antonina Armato, David Jost e Tim James, "Heart Wants What it Wants" é um forte tema, emocionalmente carregado, sobre amor não correspondido. O álbum de sucessos da cantora inclui três novos temas: "Heart Wants What It Wants", "Do It" e uma versão em espanhol de "More", para além de novas misturas para "My Dilemma" e "Forget Forever". Selena nasceu em 1992 em Dallas, no Texas, e começou pela representação, aos sete anos, na popular série infantil "Barney and Friends". A cantora, atriz, compositora e bailarina editou até ao momento três discos com o grupo Selena Gomez & the Scene e um quarto, em 2013, em nome próprio.



Fãs de NOW por aqui? Nós somos e temos vários destes CD'S. Sem dúvida que é das melhores compilações do ano. Todos os sucessos do ano num duplo CD.
Uma excelente sugestão para prenda de Natal não acham?




CD1
1. Pharrell Williams - Happy (From "Despicable Me 2")
2. Katy Perry – Birthday
3. Michael Jackson - Love Never Felt So Good
4. Aloe Blacc – The Man
5. Calvin Harris – Summer
6. Faul and Wad Ad vs. Pnau - Changes (Radio Mix)
7. Mr. Probz - Waves (Robin Schulz Radio Edit)
8. Shakira - Dare (La La La)
9. Bastille – Pompeii
10. OneRepublic - Counting Stars
11. Ariana Grande feat. Iggy Azalea – Problem
12. 5 Seconds Of Summer - She Looks So Perfect
13. Meghan Trainor - All About That Bass
14. Like Us - You Mean The World To Me
15. Tiago Bettencourt – Morena
16. John Newman – Cheating
17. Imagine Dragons – Demons
18. American Authors – Best Day Of My Life
19. Xutos e Pontapés - De Madrugada (Tu e Eu)
20. Amor Electro – Só É Fogo Se Queimar

CD 2
1. John Legend - All Of Me
2. Sam Smith - Stay With Me
3. Coldplay - Magic
4. Bruno Mars – Young Girls
5. MAGIC! – Rude
6. Clean Bandit feat. Jess Glynne – Rather Be
7. Disclosure feat. Sam Smith – Latch
8. Avicii - Addicted To You
9. Pitbull feat. Ke$ha – Timber
10. Klingande - Jubel
11. Duke Dumont feat. Jax Jones – I Got U
12. Tom Enzy e Mikkel Solnado – Get Up
13. Klangkarussell – Sonnentanz
14. David Guetta feat. Skylar Grey – Shot Me Down
15. Sia - Chandelier
16. David Bisbal feat. Cuca Roseta - Si Aún Te Quieres Quedar
17. A Great Big World - Say Something
18. Stromae – papaoutai
19. B4 - É Melhor Não Duvidar
20. Nelson Freitas feat. C4 Pedro - Bo Tem Mel

Band Aid 30 - Do They Know It’s Christmas? - Estrelas pop regravam clássico e juntam-se na luta contra o Ébola. 30 anos depois da gravação original de "Do They Know It’s Christmas?" Bob Geldof volta a fazer História, reunindo novamente as estrelas pop britânicas para a regravação do tema, desta feita para conseguir fundos que reverterão na ajuda da luta contra o Ébola. ED SHEERAN, SAM SMITH, RITA ORA, BONO, CHRIS MARTIN, PALOMA FAITH, ELLIE GOULDING, EMELI SANDE, OLLY MURS, ONE DIRECTION, JESSIE WARE, CLEAN BANDIT, BASTILLE, SINEAD O’CONNOR, ELBOW and ROGER TAYLOR entre muitos outros compareceram nos Sarm Studios para gravarem uma nova versão do clássico "DO THEY KNOW IT’S CHRISTMAS?". A canção tem assim novas vozes, nova música e foi agora produzida por MIDGE URE and PAUL EPWORTH. O projeto não tem fins lucrativos e todo o dinheiro recolhido com esta ação vai para o BAND AID TRUST e para a luta contra o Ébola. Todos os envolvidos cederam a título gratuito o seu tempo e serviços de forma a fazerem parte da História. A gravação do tema foi registada em vídeo. A canção começou a tocar nas rádios de todo o Mundo e está disponível para compra no iTunes. O single em formato físico será editado a 8 de Dezembro. Este vídeo, feito pela BBC, demonstra a urgência em travar o vírus.
 Espalhem a palavra: www.bandaid30.com

PANDA E OS CARICAS - Com sessão extra em Lisboa a 20 de dezembro - Espetáculo no Campo Pequeno com nova sessão - “Panda e os Caricas, o Musical”, espetáculo que em dezembro estará em várias cidades portuguesas, tem uma nova data em Lisboa: para além das sessões a 20 e 21 de dezembro às 11h00 e 15h00, o Campo Pequeno recebe nova atuação do Panda e dos seus amigos às 18h00 do dia 20, foi agora anunciado. Em dezembro, o novo e divertido musical ao vivo do Panda e dos seus amigos estará também em Coimbra (dia 13), Gondomar (14), Viseu (27) e Guimarães (28), já perto do final do ano. Neste musical, inspirado nos dois discos do grupo, as crianças são convidadas a ajudar a Pipa a escolher a profissão que melhor a caracteriza. O Matias, a Clarinha, a Pipa e o Pedro conquistaram a amizade do Panda – mas também cativaram a atenção e o carinho das crianças portuguesas. Foram esses meninos e meninas que tornaram o primeiro "Panda e os Caricas" um caso raro de sucesso: o CD e o DVD, que foi número 1 das tabelas durante meses, vendeu mais de 70 mil unidades. "Panda e os Caricas, o Musical" tem a duração de 1h15 e promete um ambiente com muita música, ritmos alegres e animação. Bilhetes:
13 Dez - Coimbra
14 Dez - Gondomar
20/21 Dez - Lisboa
27 Dez - Viseu
28 Dez - Guimarães

U2 - Vhils faz vídeo inspirado no último álbum "Songs of Innocente" -   Português entre 11 artistas que integram "Films of Innocence" - Onze dos mais reputados `street artists´ da atualidade foram convidados a conceber um vídeo inspirado pelo mais recente álbum dos U2, "Songs of Innocence". O trabalho, multidisciplinar e com murais políticos da Irlanda do Norte como referência, conta com o português Vhils, um dos mais celebrados artistas do género na atualidade. O filme, já disponível em pré-venda no iTunes, junta um grupo de artistas que tiveram total liberdade criativa para responder artisticamente à música dos U2 através de filmes em parte animados, em parte com imagens reais. As obras dos 11 artistas jogam com o tempo, cenários animados e realidade animada, levando arte de rua para o ecrã e juntando visões únicas num trabalho global e de equipa. A cada um deles foi entregue uma das canções do novo álbum. A Vhils coube o tema "Iris (Hold Me Close)". Para além de Vhils, integram “Films of Innocence” os artistas Oliver Jeffers, Robin Rhode, D*Face, Mode 2, Chloe Early, Ganzeer, Maser, Roa, DALeast e Todd James. O novo álbum dos U2, "Songs of Innocente", foi editado oficialmente no passado dia 13 de outubro e teve entrada direta para o primeiro lugar da tabela de vendas em Portugal, ali permanecendo durante três semanas consecutivas. "Songs Of Innocence" é o trabalho mais pessoal dos U2 até à data, mostrando assim as razões que levaram a banda a juntar-se. A família, as relações e a descoberta são alguns dos temas tratados neste álbum, o qual foi gravado em Dublin, Londres, Nova Iorque e Los Angeles, tendo sido produzido por Danger Mouse, Paul Epworth, Ryan Tedder, Declan Gaffney e Flood.

Vejam a nossa opinião sobre este fantástico CD aqui - http://flamesmr.blogspot.pt/2014/10/entretenimento-novo-cd-dos-u2-primeiras.html

SILENCE 4 - "SongBook 2014 Live" é editado em CD+DVD que regista ao vivo o concerto dos Silence 4, este ano, na Meo Arena, em Lisboa. Este foi um dos cinco espetáculos que a banda deu em 2014, o ano que ficará para sempre marcado pela reunião dos Silence 4 em palco, 13 anos passados após a suspensão inesperada da atividade do grupo, no auge do seu mediatismo e sucesso. Sofia Lisboa, Tozé Pedrosa, Rui Costa e David Fonseca despertaram a memória dos milhares e milhares de fãs que, à semelhança do ocorrido no final dos anos 90, lotaram as salas por onde grupo passou - o Coliseu Micaelense (São Miguel/Açores), a Praça do Mar (Funchal/Madeira), o Multiusos de Guimarães, a Meo Arena e o Estádio Municipal de Leiria. "SongBook 2014 Live" documenta esses momentos em CD+DVD, sendo este a última edição da banda já extinta. A banda pede agora aos fãs que partilhem fotos ou imagens que tenham sido feitas nos concertos de reunião, agregando tudo numa app construída especificamente para o efeito, com o objetivo de vir a ser feito um vídeo com as imagens aqui reunidas. Para participar aqui. "SongBook 2104 Live" traz à memória canções que conheceram altíssimos níveis de popularidade como "Borrow", "Angel Song", "My Friends" ou "To Give" e conta com a participação especial de Sérgio Godinho.

ShadyXV: Lançado CD duplo de celebração dos 15 anos da editora que Eminem fundou - A Shady Records, editora que Eminem fundou, celebra 15 anos com ShadyXV, um disco duplo que olha para o passado e para o futuro, e que inclui o novo single, "Guts Over Fear", e uma versão nunca antes ouvida de "Lose Yourself" (uma das minhas músicas favoritas do EMINEM). Já chegou às lojas o CD duplo ShadyXV, uma celebração do 15º aniversário da Shady Records, que aproveita também para lançar pistas para o que aí vem. Enquanto que um disco inclui uma “revisão da matéria dada”, com os maiores sucessos da editora (de “In Da Club”, de 50 Cent, a “Purple Pills”, dos D12), o segundo é composto por material inédito de Eminem, Slaughterhouse, Bad Meets Evil, D12, Yelawolf, para além de diversos convidados. É o caso de Sia, que participa no single "Guts Over Fear", cujo vídeo acaba de estrear. ShadyXV contém ainda uma versão demo, nunca antes ouvida, de "Lose Yourself", da histórica banda-sonora de "8 Mile" e que se viria a tornar na primeira canção de hip hop a receber um Óscar. Na verdade, o próprio Eminem confessou que nem ele se lembrava de que esta versão existia. A Shady Records foi fundada em 1999 por Eminem, o artista com mais vendas na história do hip hop, e pelo seu manager, Paul Rosenberg. Foi ali que se editaram as estreias de D12, 50 Cent ou Obie Trice, bem como vários discos do próprio Marshall Mathers. É até hoje um dos catálogos mais importantes da música urbana e é parte da Interscope Records.

MARY J. BLIGE - "London Sessions" chega Segunda Feira Ao lado de Sam Smith, Disclosure ou Emeli Sandé, é já na próxima Segunda Feira que o mais recente projecto da icónica "rainha do ReB", vê a luz do dia. Ao 13º álbum de estúdio, Mary J Blige cruzou o Atlântico para se reinventar e colaborar com alguns dos mais actuais e mais interessantes talentos britânicos, um risco que a levou para fora da sua zona de conforto, mas que reconhece a importância da sonoridade que está a sair do Reino Unido. E, segundo a crítica internacional, esta é uma lufada de ar fresco. Produzido nuns surpreendentes 20 dias - 10 de escrita e 10 de gravação - "The London Sessions" inclui a participação de nomes como Disclosure, Sam Smith, Emeli Sandé ou Naughty Boy, para além do produtor Rodney "Darkchild" Jenkins, colaborador habitual de Mary. "Right Now" é uma das quatro canções escritas ao lado de Sam Smith. Foi também divulgado um trailer que nos leva aos bastidores e às sessões de estúdio que aconteceram no Verão passado. A ideia para o álbum surgiu a partir do momento em que a cantora se encontrou com os Disclosure para a remistura de "F For You" - a dupla confessou que "a razão pela qual artistas como a Mary têm tanto sucesso é porque não têm medo de mudar completamente o que fazem". Já Sam Smith diz que este projecto "tem tanto de corajoso como de sincero". Mary J Blige é uma das vozes históricas da soul e do RandB e uma estrela global, com 8 discos de platina e nove Grammys (das 31 nomeações).

SPIN
"Vocally, Blige has never sounded better"

 COMPLEX
"Mary once again proves why she is a legend in the game"

DAILY TELEGRAPH (4*)
"A triumph: Blige sings with a shocking intensity"

THE INDEPENDENT (4*)
"Her strongest album in ages"

THE OBSERVER
"Collaborations between US RandB royalty and UK acts have become relatively common but it’s hard to think of one as heartfelt and classy as this"

sábado, 29 de novembro de 2014

0

Entretenimento: Novo CD dos TV On The Radio - Primeiras Impressões


 TV On The Radio


Para mim esta foi a estreia dos TV On The Radio. Penso que uma das primeiras coisas que se deva dizer deste álbum é que tem um art work fabuloso. O CD salta à vista na sua totalidade! 

Mas quando metemos o CD a dar, há outra coisa que salta à vista que é a originalidade da banda. De facto o que vamos encontrar aqui é indie rock, um género musical com o qual nunca me tinha deparado antes, mas que é contagiante. 


Este é já o 5º álbum desta banda proveniente dos USA que conseguiram captar imensos fãs com a originalidade dos seus sons e postura perante o mundo da música. É também o primeiro álbum a ser lançado após a morte de um dos integrantes do grupo.

Como era a primeira vez que ouvia a banda, pus-me a ouvir todo o seu repertório para poder conhecer melhor o trabalho que antecedeu este álbum, e achei que aqui o grupo está, musicalmente, muito mais maduro.

É daqueles discos que primeiros ouvimos com uma certa estranheza, mas que depois entram em nós.

Talvez os fãs da banda tenham alguma dificuldade em integrar as músicas deles, mas com o tempo (e depois de o ouvirmos com calma) conseguimos percebê-lo e senti-lo de maneira diferente. .

Preparem-se, por aposto que este disco (e as músicas integrantes) vieram para ficar!



1. "Quartz" 3:58
2. "Careful You" 5:12
3. "Could You" 4:01
4. "Happy Idiot" 3:03
5. "Test Pilot" 4:41
6. "Love Stained" 4:20
7. "Ride" 6:29
8. "Right Now" 4:23
9. "Winter" 3:41
10. "Lazerray" 3:37
11. "Trouble" 4:34
12. "Seeds"

Em 3 palavras, este CD é:

Original 
Poderoso
Intenso
Roberta Frontini
0

Entretenimento: DVD Queen Live at the Rainbow '74


 DVD Queen Live at the Rainbow '74

Quem costuma dizer que nunca teve a oportunidade de ver ao vivo uma das maiores bandas de todos os tempos, deixou de ter desculpas.

Aqui tem a possibilidade ideal de meter o DVD a dar e fazer uma viagem no tempo inesquecível.


Este DVD mostra-nos um marco importante no mundo da música, e muitos fãs dos Queen aguardavam ansiosamente por este DVD há anos!

O melhor é que vocês vão ficar, como eu, CHOCADOS com a qualidade da imagem! Quando meti o DVD a rodar nunca pensei que tivesse aquela qualidade! Os produtores estão, sem dúvida, de parabéns pelo excelente trabalho. 

Se não conhece bem a banda, não espere encontrar aqui os seus êxitos mais conhecidos, mas prepare-se para encontrar algumas músicas que, sem dúvida, transmitem bem o que era o rock daquela altura. 



Este é um álbum perfeito para aqueles fãs incondicionais de Queen, que agora podem ter em casa um dos marcos importantes da vida da banda. 


Portanto, encontre aqui o concerto que os Queen deram no Rainbow em Março de 1974 agregado ao de Novembro de 74.

 Alinhamento:
 1. Procession
 2. Now I'm Here
 3. Ogre Battle
 4. Father To Son
 5. White Queen (As It Began)
 6. Flick Of The Wrist
 7. In The Lap Of The Gods
 8. Killer Queen
 9. The March Of The Black Queen
 10. Bring Back That Leroy Brown
 11. Son And Daughter
 12. Guitar Solo
 13. Son And Daughter (Reprise)
 14. Keep Yourself Alive
 15. Drum Solo
 16. Keep Yourself Alive (Reprise)
 17. Seven Seas Of Rhye
 18. Stone Cold Crazy
 19. Liar
 20. In The Lap Of The Gods...Revisited
 21. Big Spender
 22. Modern Times Rock 'n' Roll
 23. Jailhouse Rock
 24. God Save The Queen

Em 3 palavras este DVD é:

Nostálgico
Revigorante
Fantástico
Roberta Frontini
0

Canal FLAMES: As colecções da Roberta - Agatha Christie


A Agatha Christie é uma das autoras mais faladas aqui no Blogue.

Fiquem com um vídeo onde vos mostro a minha colecção dos seus livros :)




Livros da Agatha Christie no FLAMES:






quinta-feira, 27 de novembro de 2014

0

Livro: À Cabeceira do Rei


 
Ano: 2014
Género: Histórico
Autor: Paulo Drumond Braga
Editora: Esfera dos Livros
  

Apaixonados por História? Peço uns minutinhos da vossa atenção para apresentar-vos uma obra muito recentemente editada em Portugal e que acredito que vos deslumbrará. Falo, claro está, do livro “À Cabeceira do Rei”.
 
Sinopse:
“D. Afonso Henriques, o Conquistador, viveu até ao limite das suas forças, falecendo com cerca de 76 anos. D. Fernando I, D. João II e D. João VI poderão ter sido envenenados. D. Afonso VI foi vítima na infância de uma «febre maligna» que o deixou marcado para a vida (…) D. Maria I ficou para a história como a Rainha Louca. Aos 57 anos revelaram-se os primeiros sinais de um transtorno mental que se foi agravando e a rainha acabou por falecer num avançado estado de demência. D. Maria II sucumbiu depois de o seu corpo exausto ter dado à luz 11 filhos no espaço de 16 anos. D. Manuel II, o último rei de Portugal, morreu asfixiado por um edema da glote, «no meio da mais patética aflição» (….) Percorrendo as vidas de todos os monarcas portugueses, o historiador Paulo Drumond Braga apresenta-nos uma perspetiva inovadora da nossa História. Porque a doença e a morte podem revelar muito sobre a forma como se viveu, esta obra original, baseada numa investigação inédita, dá-nos a conhecer as doenças de que sofreram os reis de Portugal e as possíveis causas de morte, assim como a evolução da medicina ao longo dos tempos.”
  
Gostei imenso desta obra por vários motivos.
Em primeiro lugar, gostei do facto de o autor (historiador, claro está!) no início de cada capítulo fazer sempre uma introdução histórica para nos relembrar dos pontos de destaque de cada soberano. É que parecendo que não, os anos foram passando e as aulas de História dos tempos da escola já vão bem lá longe, por isso qualquer ajudinha para relembrar os vários reinados do nosso país é muito bem-vinda.
Outro aspecto de que gostei muito foi da profunda pesquisa feita pelo autor. É evidente para o leitor que Paulo Drumond Braga não fala de cor, não só pelos detalhes e citações que utiliza, mas também pela extensíssima bibliografia a que recorreu para escrever este livro.
 
Agora relativamente ao tema principal da obra destaco quatro aspectos que me consquitaram:
- Adorei ver como é que a medicina evoluiu ao longo dos séculos. Não pude deixar de me sentir incrédula ao ler sobre os tratamentos a que eram sujeitos os nossos reis e sobre as crenças que na altura reinavam entre os médicos e cirurgiões (distinção esta muito bem explicada no livro).
- Gostei também de aprender sobre as doenças de que padeceram os governantes do nosso país e quais as suas causas de morte. Nunca tinha pensado seriamente sobre esse assunto e gostei de, pela primeira vez, parar para pensar como é que a sua vida privada foi, como eram eles quando não estavam sob os olhares do povo.
- Enquanto no caso de alguns reis as suas causas de morte são óbvias, noutros as teorias da conspiração são inevitáveis e dei por mim a conjecturar, com base nas informações do autor, nas possíveis causas de morte de alguns reis e até que ponto estas foram ou não provocadas por traidores.
- O uso recorrente do autor a citações deixou-me completamente deleitada! Não só pelo seu teor interessantíssimo mas também por poder assistir à própria evolução da língua portuguesa ao longo do tempo. Já para não dizer que me senti muito mais perto das personagens ao poder ler as suas próprias palavras nas cartas que escreveram aos seus familiares e amigos mais íntimos.
 
Concluindo, este foi um livro que, enquanto apaixonada por História, me “encheu completamente as medidas”. Recomendo-o a todos os amantes deste género literário e a todos os curiosos que queiram aprender um bocadinho mais sobre o nosso passado!

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

0

Entretenimento: Novo EP dos 5 Seconds of Summer - Primeiras impressões



Os 5 Seconds of Summer acabaram de lançar o seu novo EP, o "Good Girls", e mal tive a oportunidade fui a correr ouvi-lo para compará-lo com o seu álbum de estreia, "5 Seconds of Summer", que tanto sucesso alcançou um pouco por todo o mundo.
Quando escutei o álbum de estreia da banda fiquei com uma ideia que acabou por ser confirmada depois de ouvir as 4 canções que compõem este EP: o som dos 5 Seconds of Summer transporta-me para os anos 90 e lembra-me as bandas que, nessa altura, conquistavam as adolescentes ao som das suas guitarras, demarcando-se das boybands que tanto sucesso tiveram nessa década.
Com estes 4 jovens fico com a sensação de que não só têm boas vozes como também sabem dar bom uso aos instrumentos que tão habilmente tocam.

Relativamente aos 4 temas deste disco, tenho de começar por aquele que lhe dá o nome - "Good Girls". Já o conhecia do primeiro álbum da banda e aquilo que mais gosto nele é o humor da música (a frase que vem no autocolante que acompanha o EP traduz isso mesmo). 
A segunda música, a "Just Saying", é a grande novidade do álbum pois é um tema inédito. Contudo, apesar de ser bem conseguido, não é o meu preferido pois sempre fui fã de versões acústicas daí me ter rendido aos dois temas acústicos que o EP tem, o "Long Way Home" e o "Good Girls" (ambos já existiam no álbum de estreia mas em versão de estúdio). Sou da opinião de que as actuações em acústico são a verdadeira prova de fogo para qualquer artista pois aqui o destaque vai unicamente para a sua voz, e posso dizer com honestidade que os 5 Seconds of Summer passaram com distinção o teste! Têm vozes muito mais consistentes do que eu estava à espera.

As 3 palavras que melhor descrevem este EP são:

Refrescante
Descontraído
Alegre
0

Entretenimento: Songbook 2014 | Live (CD+DVD) - Primeiras Impressões



A primeira vez que fui ver um concerto.. adivinhem quem fui ver? Pois.. eles mesmo, os Silence 4! Na altura deram um concerto gratuito em Leiria e, tendo sido a minha primeira, vez (ainda por cima na fila da frente) este foi um momento que guardo com muito carinho. 
Por isso mesmo, este CD fez-me reviver tantas belas emoções.


Este ano os Silence 4, para marcar o seu 13º aniversário, voltaram a reunir-se para uma série de concertos. Um deles foi no Meo Arena, e precisamente desse concerto surge este CD que não podia começar melhor, com um dos seus maiores êxitos "A Little Respect". Segue-se a fantástica Borrow que, tal como David Fonseca faz questão de frisar, foi uma música que cresceu de forma desmesurada e se tornou numa das músicas mais ouvidas em Portugal. Mas as surpresas não acabam a aqui. A sexta música, por exemplo, conta com a participação de Sérgio Godinho que escrever a letra da música e que aqui se junta ao grupo para cantar. 

Neste álbum podem ainda ouvir êxitos como "To Give", "My Friends" ou "Only Pain is Real". Não é apenas um CD para os fãs de uma das maiores bandas portuguesas, mas para qualquer pessoa que experienciou a ascensão deste grupo e que se quer sentir nostálgico por momentos. 

CD
1 A Little Respect
2 Old Letters
3 Dying Young
4 Borrow
5 Not Brave Enough
6 Sextos Sentidos com Sérgio Godinho
7 My Friends
8 To Give
9 Cry
10 Angel Song
11 Empty Happy Song
12 Eu Não Sei Dizer
13 Only Pain Is Real
14 Sleepwalking Convict
15 Search Me Not
16 Breeders

DVD
1 A Little Respect
2 Old Letters
3 Dying Young
4 Borrow
5 Don't II
6 Not Brave Enough
7 Sextos Sentidos com Sérgio Godinho
8 My Friends
9 To Give
10 Cry
11 Ceilings
12 Angel Song
13 Empty Happy Song
14 Where Are You?
15 Eu Não Sei Dizer
16 Only Pain Is Real
17 Sleepwalking Convict
18 Invincible
19 Self-Sufficient
20 Silence Becomes It
21 Goodbye Tomorrow
22 Search Me Not
23 Breeders
24 Angel Song

Em 3 palavras, ouvir este CD é:
Nostálgico
Revigorante
Energético


Roberta Frontini

terça-feira, 25 de novembro de 2014

0

Entretenimento: Novos CDs dos Queen (Versão Normal + Versão Deluxe) - Primeiras Impressões


QUEEN 
Forever 
Versão Deluxe
Opinião pela Mariana


Depois de um risinho histérico inicial, fruto da excitação de ter um disco duplo da minha banda favorita de sempre nas mãos, abandonei todas as minhas tarefas e ouvi os 2 CDs que compõem esta compilação. Mais do que tudo, queria voltar a desfrutar da voz do maior cantor de todos os tempos (na minha opinião, claro está!) e dos fantásticos três músicos que acompanharam Freddie Mercury durante anos de glória e de um sucesso planetário.


Os dois discos contêm algumas das minhas músicas favoritas de sempre, tal como por exemplo:
- "Love of My Life", das baladas mais bonitas de sempre e escrita num contexto simplesmente comovente.
- "Who Wants to Live Forever", uma letra interessantíssima e uma parte instrumental sublime.
- "These Are the Days of Our Lives", quando penso no seu videoclipe e no facto de ser a última música protagonizada por Freddie Mercury antes de morrer até me arrepio!
- "I Was Born to Love You", adoro o seu ritmo electrizante. 
- "Somebody to Love", a voz de coro conjugada com o coro de vozes que o acompanha está simplesmente perfeita.
- "Friends Will Be Friends", um verdadeiro hino à amizade.
E é melhor parar por aqui senão corro o risco de enumerar todas as 36 canções que se encontram nesta edição Deluxe.
Qual o motivo desta minha admiração por esta banda? Simplesmente adoro a voz do seu vocalista, adoro as letras dos seus temas (note-se que em apenas 1 das 36 houve a colaboração de pessoas que não pertenceram à banda na criação das letras!), e, acima de tudo, a forma incrível, apaixonada e genial com que a banda encarava cada música. Refiro-me à composição da parte instrumental que está repleta de solos de guitarra estrondosos, orquestras fenomenais e coros de vozes usados de forma sublime. Para mim, tudo em Queen soa a perfeição e a genialidade!!


Contudo, esta compilação não é especial apenas pelos seus temas, mas também pelas fotos sublimes que embelezam o álbum. Fotos de uma nostalgia tal, que dei por mim a olhar para algumas delas e a tentar viajar no tempo e imaginar-me a assistir a um concerto desta banda. Até porque é comum os meus amigos ouvirem-me dizer que um dos meus grandes desgostos é saber que nunca terei a oportunidade de assistir a um concerto dos Queen pela voz de Freddie Mercury.


Descrever este álbum em apenas 3 palavras é tarefa árdua, mas aqui vai:

Nostálgico
Perfeito
Genial
----------------

QUEEN 
Forever 
Versão normal
Opinião pela Roberta


Existe, então, uma versão normal (que é a que vêm na foto em cima) e a versão Deluxe (de que a Mariana vos falou em cima). 

A primeira diferença que salta à vista é a capa dura (de plástico) em comparação com a capa de cartão da versão Deluxe, e este para mim é um ponto positivo da versão normal. 
A segunda diferença (também bastante óbvia) é o facto deste apenas trazer 1 CD em vez dos 2 da versão anterior pelo que, a diferença seguinte é bastante óbvia.
A terceira diferença é, então, o facto de este CD ser constiuído apenas por 20 músicas em vez da 18 + 18 da versão deluxe.
São elas: 
1 Let Me In Your Heart Again
2 Love Kills - The Ballad
3 There Must Be More To Life Than This (William Orbit Mix)
4 It's A Hard Life
5 You're My Best Friend
6 Love Of My Life
7 Drowse
8 Long Away
9 Lily Of The Valley
10 Don't Try So Hard
11 Bijou
12 These Are The Days Of Our Lives
13 Las Palabras De Amor
14 Who Wants To Live Forever
15 A Winter's Tale
16 Play The Game
17 Save Me
18 Somebody To Love
19 Too Much Love Will Kill You
20 Crazy Little Thing Called Love

A meu ver, e tendo eu ouvidos as duas versões, a versão Deluxe "compensa" mais, porque neste CD senti a falta de algumas das minhas músicas favoritas dos Queen. É certo que o propósito deste álbum era o de juntar os êxitos da banda às suas músicas menos conhecidas, mas mesmo assim senti a falta de grandes HITS.

No entanto apresenta algumas das novidades mais marcantes deste "regresso" dos Queen, como a "There Must Be More To Life Than This" numa versão inédita gravada com Michael Jackson. Neste CD podem ouvir, então, 3 faixas inéditas, o que é sem dúvida fantástico para os fãs da banda.

Assim, caracterizaria este CD com 3 palavras dizendo que é:

Nostálgico
Surpreendente
Compacto

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

4

Livro: A boneca de Kokoschka (Afonso Cruz)



Título: A Boneca de Kokoschka
Autor: Afonso Cruz
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 244
ISBN: 9789725649039

Sabem aqueles livros que nos enchem as medidads?
Aquele livro que lemos de boca aberta do início ao fim?
Aquele livro que nos faz pensar "estou em frente a um GÉNIO da literatura contemporânea".
Aquele livro que, assim que termina, pensamos "quero ler este livro outra vez, pela primeira vez!"
Aquele livro que, assim que acabas de o ler, tens de gritar ao mundo inteiro que é genial e te faz jurar que iniciarás uma autêntica cruzada para obrigar todos a lê-lo.
Pois bem!
Este é o livro!
A Boneca de Kokoska não se tornou no meu livro favorito de 2014, mas sim num dos meus livro favoritos de TODO O SEMPRE!

Não coloquei aqui a sinopse por uma razão muito simples: acho que a sinopse pode ser um pouco enganadora. No fundo no fundo, não o é, mas conheço pessoas que não gostaram muito do livro porque se desiludiram por causa da sinopse. 

Já tive oportunidade de falar um pouco deste livro num vídeo do Canal do FLAMES (vejam clicando aqui), mas este livro é tão maravilhoso e especial, que tive de fazer um post sobre ele. 
Um livro magistral, não foi por acaso que recebeu o Prémio da União Europeia de Literatura 2012.

Nesta maravilhosa obra, Afonso Cruz apresenta-nos uma série de personagens que acabam por se ligar  e entrecruzar umas às outras. As narrativas que são apresentadas e que parecem dispersas, acabam por se encontrar. É "um livro dentro de um livro" e quem o leu entenderá muito bem a que é que me refiro.

Alguns de vocês sabem que eu copio algumas das minhas frases favoritas para um caderno, para posteriormente as voltar a ler. Neste caso penso que seria impossível. Teria de escrever o livro todo o no caderno :p

Um livro magistral da qual não quero falar mais, porque quero desesperadamente que vocês o leiam!

Roberta Frontini 

domingo, 23 de novembro de 2014

0

Entretenimento: Novo CD dos Nickelback - Primeiras Impressões



Até há bem pouco tempo o meu conhecimento do reportório dos Nickelback resumia-se a zero, já que apenas conhecia aquele tema que foi interpretado pelo vocalista da banda em 2002 para a banda sonora do filme "Homem Aranha": a música "Hero". Por isso mesmo, mais do que descobrir um novo álbum, ouvir o "No Fixed Adress" foi um conhecer de uma banda de raiz.


A minha primeira impressão foi a de que eles são muito mais "rockeiros" do que aquilo de que estava à espera. São uma banda com um grande trabalho de guitarras e bateria em todas as músicas, o que lhes confere um som intenso e uma aura que só as verdadeiras bandas de rock conseguem alcançar. A voz rouca e carismática do vocalista acaba por ser a cereja em cima do bolo e acabei por surpreender-me com a qualidade da banda.
De todas as músicas, destaco as minhas duas preferidas, que o são fundamentalmente pelas suas mensagens especiais:
- A "Edge of a Revolution" tem uma letra forte que apela à união de todos nós e que nos compele a revoltarmo-nos contra as injustiças, que todos os dias vemos a acontecerem à nossa volta, e a cumprir com o nosso papel na busca por um mundo melhor.
- A canção "What Are You Waiting For?" consiste num "wake up call", num alerta para não deixarmos passar mais um minuto sequer sem lutarmos pelos nossos sonhos. É uma música motivadora que nos mostra que todos cometemos erros mas que isso não deve servir de desculpa para não perseguirmos aquilo que realmente nos faz felizes. Tal como a banda canta, só vivemos uma vez daí devermos aproveitar cada segundo a fazer aquilo de que realmente gostamos.

 
As 3 palavras que, para mim, melhor definem este disco são:
 
Motivador
Honesto
Actual
0

Canal FLAMES: Recomendações de Livros infantis #02


Olá :) 
Hoje no nosso canal acabou de sair mais um vídeo com recomendações de livros infantis... 
Ora espreitem...

Opinião - Gigante Gigantão AQUI

8

Passatempo: 129º Passatempo do FLAMES em parceria com a autora Linete Landim



Temos para oferecer mais 1 exemplar deste fantástico livro da autora Linete Landim!

Sinopse 
"Depois de anos a navegar pelo mundo, sem destino, sem amarras, o libertino Guilherme Monteiro encontra na pequena vila de Vale Ribeiro a sua mais temida aventura: ser um homem casado. Convicto de que jamais alguém terá o poder de alterar o seu estilo de vida, Guilherme aceita o noivado com leviandade, longe de imaginar que a noiva, Mariana Bento, o enfrentaria e lutaria por ele como seu esposo, seu amante... seu, só seu."

Notas:
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante a sua entrega;
 - Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail enviando-nos os seus dados; findo esse prazo, na ausência de uma resposta, o FLAMES sorteará um novo vencedor;
- Caso não vos apareça a setinha para descerem (no formulário), cliquem nele e desçam usando a seta do teclado.



0

Entretenimento: CD Songs from the Big Chair - Primeiras Impressões



Lançamento: 25 de fevereiro de 1985 
Relançamento em Portugal: Novembro 2014 pela Universal Music 
Gravação: Novembro de 1983 - Setembro de 1984 
Genero(s): Rock; Pop; Synthpop; Dance-pop 

Músicas
"Shout" – 6:33
"The Working Hour" (Orzabal, Stanley, Manny Elias) – 6:31
"Everybody Wants to Rule the World" (Orzabal, Stanley, Chris Hughes) – 4:11
"Mothers Talk" – 5:06
"I Believe" (Orzabal) – 4:54
"Broken" (Orzabal) – 2:38
"Head Over Heels" (Orzabal) – 4:32
"Listen" – 6:54

Porque está o FLAMES a falar de um CD de 1985???
Porquê?
Talvez porque este ícone da música dos anos 80 acabou de ser...regravado!

Considerado um dos melhores CD dos Tears from the Fears, este "Songs from the Big Chair" bem que merecia este novo destaque, até porque aproxima-se o 30º aniversário do lançamento deste álbum!


Quem não conhece a música Shout? Podem não a reconhecer pelo nome, mas podem ter a certeza que a reconhecerão logo a partir dos primeiros acordes. Esta banda foi sem dúvida das bandas mais emblemáticas da sua época (a época de ouro da música, e a que considero ter sido a altura em que mais boas músicas foram produzidas).


É inegável o contributo que "Songs from the Big Chair" trouxe à banda. Tendo abandonado as temáticas que caracterizavam as suas músicas anteriores, os dois músicos voltaram-se para questões sérias, como a política, e refizeram o seu estilo musical.

É inegável também a qualidade de todo o álbum. Não é por acaso que foi premiado cinco vezes com o disco de platina nos USA. 

A minha música favorita de todo o álbum é, sem dúvida a Shout, apesar de muitos considerarem a "Everybody Wants to Rule the World" como uma das músicas mais emblemáticas da banda. Independentemente disso, e gostos à parte, este CD sem dúvida que criará uma onda nostálgica naqueles que tanto tempo passaram a ouvir um dos melhores CD's dos anos 80. Sendo assim, arrisco-me a considerar esta remasterização como uma mais valia para quem tem aguçados gostos musicais, ou para quem simplesmente quer voltar a ouvir alguns dos temas mais fantásticos daquela altura. 

Descrever este álbum em 3 palavras não é simples, mas talvez: 

Nostálgico
Intenso
Reconfortante

sábado, 22 de novembro de 2014

0

Entretenimento: Novo CD de Bryan Adams - Primeiras impressões


Há vários anos que sou fã de Bryan Adams, muito por culpa do seu sucesso "Here I Am" que, em 2002, me chamou a atenção para este cantor de uma voz rouca inconfundível. A partir daí, fiz questão de não só acompanhar as suas novidades como também os seus maiores sucessos. Assim, foi com grande agrado que percebi que algumas das minhas músicas preferidas de sempre fazem parte do reportório do seu mais recente disco editado "Reckless", que consiste na celebração do 30º aniversário deste álbum mítico! 



Basicamente, deve ser difícil encontrar uma música deste grande artista que eu não goste, mas neste seu disco tenho de destacar três:
"Heaven": para mim faz parte da lista das melhores baladas de sempre e apesar de já ter ouvido dezenas de versões que existem por esse mundo fora, nada se iguala ao desempenho de Bryan Adams que simplesmente torna a música completamente sua e a canta com toda a alma e emoção.
"Summer of 69": se não a mais conhecida do cantor, será seguramente uma das suas canções mais emblemáticas. Adoro tudo nela: a ironia da letra (que já teve várias interpretações ao longo dos anos), o seu ritmo e o poder que tem para transportar qualquer um para o passado.
"It's Only Love": o que acontece quando se juntam duas vozes explosivas? Uma grande música nasce! Este dueto é protagonizado pelo grande Bryan Adams e a incrível e poderosa Tina Turner!! É uma parceria histórica que este disco vem recordar. Imperdível!




Por mais anos que passem, Bryan Adams continuará a ser para mim uma das melhores vozes masculinas de sempre e as suas canções, que encantaram várias gerações ao longo das décadas, permanecerão para sempre na memória dos seus fãs. Há artistas que nunca esquecerei e Bryan Adams é, com certeza, um deles!!



As 3 palavras que encontro para descrever este álbum são:
Nostálgico
Enérgico
Clássico

0

Entretenimento: Novo CD de António Zambujo - Primeiras Impressões


  
CD: Rua da Emenda
Intérprete: António Zambujo
Editor: Universal Music Portugal
Edição: Novembro 2014
Número de Discos: 1


Músicas:
1 Fatalidade
2 Valsa Do Vai Não Vás
3 Pica Do 7
4 Flinstones
5 Barata Tonta
6 Valsa De Um Pavão Ciumento
7 Canção De Brazzaville
8 Despassarado
9 Zamba Del Olvido
10 Último Desejo
11 Pantomineiro
12 O Tiro Pela Culatra
13 Valsa Lisérgica
14 La chanson de Prévert
15 Viver De Ouvido

Entrevista ao cantor AQUI

António Zambujo é considerado um dos cantores mais promissores na música portuguesa.
Recentemente lançou o seu novo disco denominado "Rua da Emenda" comporto por 15 músicas poéticas, onde transforma as cenas do quotidiano do dia-a-dia, em melodias para a vida.

São musicas actuais, que enquadram a conjectura actual portuguesa, como e o caso do "Valsa do Vai Não Vás" - "(...) se queres porém enriquecer... emigra lá para fora". 

Depois aparecem músicas como o "Pica do 7" - Vídeo aqui - com uma sonoridade (e letra) bastante divertidas. Aqui sim podemos ver claramente como nas suas músicas, António Zambujo pega em cenas do quotidiano e as transforma em mera poesia.

Surpreende-nos também com uma música em castelhano "Zamba Del Olvido", numa música que me parece que se destaca das demais pelo género. Na verdade, todas as músicas se destacam pois nota-se um claro desprendimento do cantor pelo fado, e um abraçar de novas sonoridades, como a música brasileira ou a africana.


António Zambujo também gosta de brincar e... enganar quem o ouve. Qual não foi o meu espanto quando, depois de uma maravilhosa introdução com acordes de guitarra portuguesa, encontro a música "La chanson de Prévert". Surpreendido terá também ficado o seu vasto público francês. De certo que irão adorar ouvi-la num dos concertos de António tem programado em França.

E a encerrar o CD uma música gravada... com um telemóvel "Viver De Ouvido"! E é com ela que António Zambujo se despede, num CD que ele afirmou ser um ponto de viragem na sua carreira.


Próximos concertos:
22 NOV Viana do Castelo, Centro Cultural POR
25 NOV São Paulo, TUCCA Concerto de Música Brasileira BRA
28 NOV Lisboa, Mercado da Ribeira POR
06 DEZ Fafe, Concertos Íntimos | Teatro Cinema POR
12 DEZ Ílhavo, Centro Cultural POR
13 DEZ Ponta Delgada, Açores, Teatro Micaelense POR
19 DEZ Figueira da Foz, Casino Figueira POR
20 DEZ Vila Real, Teatro de Vila Real POR
23 JAN Paris, La Cigale FRA
19 FEV Lisboa, Coliseu dos Recreios POR
21 FEV Porto, Coliseu do Porto POR

Em 3 palavras este CD é...

Original 
Ecléctico 
Fluido
Roberta Frontini

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

2

Filme: Transformers - A Era da Extinção


 
 
Título Original: Transformers – Age of Extinction
Ano: 2014
Género: Acção, Ficção Científica
Realizador: Michael Bay
 
Quando Michael Bay decidiu pegar num dos desenhos animados que marcou uma geração, os Transformers, e dar origem à sua versão cinematográfica há alguns anos atrás, foi com grande entusiasmo que fui a correr para a sala de cinema mais próxima. Na altura, o conhecido realizador não decepcionou e fiquei verdadeiramente maravilhada com o seu trabalho.
Assim, ao longo dos anos, fui acompanhando todas as sequelas e, embora não tendo o brilho e impacto do primeiro filme, fui gostando do que ia ver… até ter visto a mais recente sequela: Transformers – A Era da Extinção.
 
Começo a temer que Michael Bay tenha esgotado todas as suas ideias pois a receita começa a ser sempre a mesma: um indivíduo improvavelmente corajoso e forte, acompanhado por uma jovem beldade, lutam ao lado dos Autobots para salvar a Humanidade.
 
Esta história foi tão previsível, mas tão previsível, que estive literalmente durante a segunda metade do filme a questionar constantemente o porquê de eu insistir em ver a película até ao fim.
Não há dúvida de que os efeitos especiais continuam a ser soberbos e as cenas de luta realmente grandiosas, mas a trama foi tão desinteressante e repleta de clichés que, finda esta história, só posso desejar que Michael Bay não continue na sua saga de criar filmes sobre os Transformers, pois temo que os seus resultados venham a ser ainda piores. Nem sequer o sentido de humor de algumas personagens foi suficiente para tornar este filme ligeiramente mais interessante, muito pelo contrário apenas mostraram que imaginação é coisa que não tem abundado para os lados desta equipa de realização e produção…

terça-feira, 18 de novembro de 2014

0

Entretenimento: Novo CD do Sérgio Godinho - Primeiras Impressões


Quando há uns meses atrás o FLAMES teve a oportunidade de entrevistar o Sérgio Godinho não coubemos em nós de orgulho. Na altura, tivemos a oportunidade de falar dos seus concertos sob a temática "Liberdade", por isso foi com bastante curiosidade que agora ouvi o resultado desses espectáculos, no seu novo trabalho gravado ao vivo - "Liberdade":

  
Algo que me surpreendeu com este álbum é o facto de estas músicas terem tantos anos (décadas até) mas as suas letras continuarem tão actuais. O tema reivindicativo e o grito pela liberdade são uma constante ao longo das várias faixas e é inevitável que um sentimento de patriotismo não venha ao de cima. 

Outro aspecto que tenho de destacar prende-se com a natureza deste disco: uma gravação ao vivo! Admiro todos os artistas que têm coragem para transpor para um cd a sua voz sem quaisquer alterações de estúdio, sabendo que milhares de pessoas irão ouvir a sua voz sem filtros ou máscaras.
Contudo, não posso deixar de me lembrar de que Sérgio Godinho já cá andava a encantar os portugueses ainda antes de eu ter nascido, por isso a sua qualidade e coragem estão mais que comprovadas!


As 3 palavras que encontro para melhor descrever este álbum são:

Actual
Honesto
Ousado

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%