Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

0

Livro: O Elmo do Horror


 
 
Título Original: The Helmet of Horror
Ano de Edição: 2010
Género: Mistério, Mitologia
Autor: Victor Pelevin
 

Ouvi falar de Victor Pelevin há uns meses atrás. Aparentemente seria um escritor revelação que estava a causar um burburinho no mundo literário. Por isso mesmo, mal tive oportunidade de comprar uma obra sua não hesitei!
 
Sinopse
“Quando a mítica Adiana ajudou Teseu a escapar do labirinto do Minotauro utilizando uma meada de linha, estabeleceu um precedente para as desnorteadas vítimas de um Minotauro do século XXI. Nesta reinvenção radical daquela velha história, o labirinto volta a existir na confusão sem fim da Internet. O único sinal para atravessar a alienada paisagem são as linhas que deixam rastos a partir de salas de chat onde estranhos estão sentados sozinhos, presos em frente dos seus monitores, utilizando estranhos nicknames e comandados pelo Elmo do Horror, o Minotauro em pessoa. Victor Pelevin criou um mundo hipnótico onde a informação é abundante, mas o conhecimento é, em última análise, inatingível. Nesta era cibernética, será a tecnologia mais do que um mito?”
 
Esta foi das leituras mais desafiantes deste ano!
A ideia é super original: apresentar uma narrativa sob a forma de uma conversa de chat. Confesso que, inicialmente, tive algumas dificuldades para me ambientar a este tipo de história mas mal entrei no “ritmo” a leitura tornou-se bastante fluida.
O principal desafio residiu nos conceitos apresentados pelo autor: várias teorias são descritas, com vários pormenores e detalhes que importam para que a história seja compreendida na sua totalidade. O factor mistério é chave neste livro pois uma leitura tão desafiante só poderia manter os seus leitores até ao fim se tiver por detrás um grande mistério, o que é o caso deste livro. Aqui o leitor pergunta-se constantemente: mas afinal onde é que eles estão? como é que foram lá parar? como podem escapar?
Contudo, o ponto-chave de “O Elmo do Horror”, a meu ver, é o seu final. Somos apanhados completamente de surpresa e o autor apresenta uma conclusão fenomenal. Não pude deixar de sentir-me estupefacta com a imaginação de Victor Pelevin!
Assim, aconselho este livro a quem gostar de desafios (a obra está a mil anos luz de ser uma leitura simples e rápida), aos fãs de mitologia e a quem gosta de experimentar obras originais.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

0

87ª Entrevista do FLAMES: the LOYD (banda rock portuguesa) - respostas dadas pelo vocalista Jou Maia

 


the LOYD
 
Os the LOYD são uma banda de rock portuguesa (originária de Santa Maria da Feira) formada em 2004. Em 2010 editaram o seu primeiro álbum, “Love and Revolution”, e passados 4 anos voltam aos discos com o seu novo trabalho - “Home”.

Página facebook: https://www.facebook.com/theloydband
Spotify: https://open.spotify.com/album/6qxkgAcl7yr6L41tli28xm
Novo video: https://www.youtube.com/watch?v=goQ03GxT2-Q

A todas as bandas o FLAMES pergunta...
 
Porquê a escolha deste nome para a banda?
Começamos bem esta entrevista (risos), nas várias entrevistas que já demos ao longo destes 10 anos já nos foi feita esta pergunta quase em todas e todas obtiveram a mesma resposta, não estamos preparados para revelar!!!
 
Como se conheceram, e como decidiram constituir a banda?
A banda nasceu em 2004, na altura foram 4 amigos que tinham como grande paixão a música que decidiram juntar-se para apenas "curtir" e fazer as coisas extras que normalmente as bandas fazem, (risos).. Mas em 2006 decidimos dar um passo em frente com a gravação do nosso primeiro trabalho o EP DONE, e logo 2 elementos saltaram fora, e foi nessa altura que o Paulo Azevedo, actual baixista, entrou e em finais de 2006 gravávamos o trabalho que foi lançado em Março de 2007 e foi para nós o "OK estamos aqui"!!!
 
Lembram-se do vosso primeiro ensaio? Onde foi?
Sim, o primeiro ensaio foi em casa do Jorge Resende, o primeiro guitarrista da banda, numa salinha pequenina e logo aí começaram a surgir ideias atrás de ideias!!!
 
Quais são os artistas que mais vos inspiram?
Temos vários artistas/bandas que nos inspiram. Como é óbvio e tendo todos apanhado os finais de 80 e década de 90 no seu auge, temos como referências Nirvana e claro o Kurt Cobain, Stone Temple Pilots, Alice in Chains, Foo Fighters e depois aquelas imortais como Queen, Ramones, Led Zeppelin. Mas todos temos estilos diferentes, claro tudo dentro do rock mas sub-géneros diferentes!!
 
Quem é que compõe as vossas músicas e escreve as vossas letras?
Como é normal alguém tem que surgir com uma ideia inicial, normalmente, e por ser natural surge de uma das guitarras, mas depois é obvio que todos participam directamente na composição dos temas, por isso a resposta será, todos os elementos!! Quanto à letra e sendo uma coisa mais pessoal, salvo raras excepções, sou eu (Jou Maia/ vocalista e guitarrista) que escrevo as letras!!!
 
Qual é o local onde mais gostariam de actuar?
Acho que não temos assim nenhum sítio em particular, gostamos de tocar em locais onde nos sentimos acarinhados, sejamos bem recebidos e acima de tudo que estejam com vontade de nos ouvir, isso para nós já chega é o nosso "WEMBLEY" (risos)!!
 
Que cartaz ou mensagem gostariam de ver ser erguida no meio do público durante um concerto vosso?
Eu pessoalmente, (Jou Maia), adorava ver um cartaz bem grande a surgir no meio do publico a dizer "CONVOSCO HÁ 40 ANOS", era bom sinal não era?? (risos)
 
Lembram-se de alguma situação caricata que tenha ocorrido num concerto vosso?
Connosco há sempre situações caricatas mas penso que não seja de bom tom ser exposto numa entrevista!!!!
 
Aos the LOYD o FLAMES pergunta...
 
Decidiram optar por cantar em inglês... houve alguma razão especial para isso? Estavam já a pensar numa possível internacionalização?
Quando tu tens como principal influência bandas que cantam a língua inglesa, acaba por ser natural a tua escolha de cantar em inglês, acho que não passa por opção, é natural!! Agora como é óbvio temos sempre o pensamento em um dia fazer uma tour lá fora como é obvio!!!
 
Porquê este nome para o vosso novo álbum? E o que podem esperar os vossos fãs dele?
HOME, porque primeiro, é um disco no qual nos sentimos verdadeiramente em casa está como queremos e gostamos, não temos ninguém a impôr seja o que for, fazemos o que queremos e está aí o resultado. Segundo, HOME porque foi gravado numa altura em que todos nós vimos pessoas amigas e familiares a partir de suas casas para procurar novas condições de vida lá para fora, acaba por ser também para eles este disco! Quanto ao que podem esperar, podem esperar onze temas rock e uma boa companhia de cerca de 45 minutos!!! Gostamos mais de ouvir o que acharam e não o que podem vir a achar!!
 
Procuravam fazer neste álbum “Home” algo que ainda não tinham feito com o “Love and Revolution” ou a vossa linha orientadora na criação deste segundo trabalho foi outra?
Tentámos afirmar a nossa linha musical neste disco, é um disco mais directo do que o Love and Revolution, não há qualquer tipo de maquinaria neste álbum há só guitarras, voz, bateria, baixo e umas pequenas teclas num tema, achamos que é assim que deve ser feito, não queremos enganar ninguém (risos)!!!
 
Muita gente esteve envolvida na criação do vosso vídeo “Walk Away”. Vocês tiveram alguma ideia original que depois foi desenvolvida e culminou neste vídeo? Ou não tinham nenhuma ideia inicial?
O vídeo WALK AWAY surgiu depois da Alexandra, a rapariga que tira a peruca no vídeo, que venceu o cancro, ter entrado em contacto connosco depois de saber que íamos fazer o vídeo e ofereceu-se para entrar sem qualquer problema e com uma atitude muito positiva mesmo, ao qual ficámos apaixonados e extremamente agradecidos pela sua força e exemplo de luta!!!
 
Como caracterizam o panorama da música rock em Portugal?
Não há espaço para bandas como nós, não há espaço para o rock, ninguém aposta em rock a não ser, e muito bem, rádios underground maioritariamente rádios online!! Hoje em dia as bandas trabalham para as rádios segundo os ideais das próprias isso limita, no meu ver, a liberdade artística, e nesse ponto começa a ciência isto é, as bandas compõem já a pensar que tem que ser um tema com o tempo x, o refrão tem que entrar na altura y, não pode ter muitas guitarras, etc., não há liberdade, e isso deve-se às principais rádios, mas penso que não seja por muito tempo, para o bem da música, da arte, do próprio artista e por fim para o bem do panorama da música em geral em Portugal!!!
 
Para além da música, que outras coisas gostam de fazer?
Todos gostamos de principalmente conviver com os amigos, festas, estar com a família, fazer desporto, ler, o normal!!!

Muito obrigada ao Jou Maia pela sua disponibilidade e obrigada aos the LOYD pela sua música :)
0

Entretenimento: Novo CD de Jessie J - Primeiras impressões


A primeira vez que ouvi falar em Jessie J foi há uns anos atrás quando vi o seu videoclip "Do It Like a Dude" e simplesmente... detestei! Imediatamente conclui que seria mais uma dessas artistas que tentam vingar no mundo da música mas que nunca alcançam o sucesso. Contudo, algumas semanas depois também eu sucumbi à febre do single "Price Tag" e, literalmente, apaixonei-me pela voz e excentricidade desta artista. Muitos consideram-na uma das melhores novas vozes da actualidade, Justin Timberlake chegou mesmo a afirmar que era a sua preferida!
 
Se durante os últimos anos Jessie J se apresentou como uma cantora voltada para videoclips semelhantes aos filmes do conhecido realizador Tim Burton, eis que agora volta aos álbuns com o seu novo trabalho "Sweet Talker", onde apresenta uma imagem bastante diferente.
 

Este álbum surpreendeu-me pois Jessie J aparece com uma imagem mais madura e despida de todo o aparato que caracterizou o início da sua carreira. A única coisa que encontro de semelhante neste trabalho com aquilo que ela tinha feito antes é a sua voz, que continua potente e capaz de atingir notas impossíveis.

 
A única música que conhecia previamente era a "Bang Bang", que já toca nos principais canais de música há algumas semanas. Contudo, rapidamente me rendi às restantes canções, num álbum equilibrado com músicas pop que fazem bater o pé e com baladas fenomenais, e tenho como minhas preferidas a "Ain't Been Done", cuja letra retrata a confiança da cantora nas suas capacidades, e a canção "Masterpiece", onde Jessie J mostra as suas forças de mãos dadas com aquilo que a torna frágil.
Não podia deixar de destacar, ainda, a mensagem escrita no livrinho que acompanha o álbum, na qual uma Jessie J humilde e assoberbada com aquilo em que a sua vida se tornou agradece de todas as formas a quem tornou reais todos os seus sonhos: os seus fãs!
 
As 3 palavras que encontro para descrever este disco são:
 
Sincero
Maduro
Sensual
 
0

Entretenimento: Jamie Cullum - Novo CD Interlude - Primeiras impressões


O que há de melhor do que um CD? Um CD com DVD!


Este é o novo trabalho de Jamie Cullum, um dos nomes mais sonants no panorama Jazz. Este música britânico tem, há 4 anos, um programa de Jazz na BBC sendo que, segundo o mesmo, este álbum foi concedido a pensar nele: “This album is meant to be a celebration of the radio show

É absolutamente impressionante ver um jovem rapaz a dedicar-se com tanta paixão ao Jazz. Aquela ideia obsoleta que o Jazz se destina a grandes dinossauros dá música pode perfeitamente ser, agora, posta de lado pois, com este CD, Jamie afirma-se como um excelente músico. 

Este novo álbum foi produzido por Ben Lamdin e conta com a participação de Laura Mvula e Gregory.



Em 3 palavras, este álbum é: 

Inovador

Jovial

Genuíno

terça-feira, 28 de outubro de 2014

0

Canal FLAMES: TAG | Livros que viram adaptações


Aqui está a nossa primeira TAG - onde falamos de livros que viram adaptações (ou poderiam vir a ser adaptações...):

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

2

Livro: Viajantes (Daniel Costa-Lourenço, Bruno Torrão e Marta Cruz)



Título: Viajantes
Autores:
Daniel Costa-Lourenço
Bruno Torrão e
Marta Cruz - fotografia
Páginas: 114
Editora: Livros de Ontem
Site da obra: Aqui
1ª edição limitada a 150 exemplares.
Todos os exemplares são numerados e assinados.

Sinopse:
Viajantes é um livro que conjuga a poesia de Daniel Costa-Lourenço e Bruno Torrão com a fotografia de Marta Cruz, tudo com o propósito de lhe mostrar Lisboa como nunca a viu. Através de uma poética por vezes amorosa, por vezes musical, o leitor é convidado a descobrir cada canto e recanto da cidade de Lisboa nos seus pormenores mais simples e reveladores. “Este livro é uma viajem pelo lado invisível de Lisboa, por aquela cidade que sentimos e que nos transforma, que nos serve de cenário e que, por vezes, é também personagem.”

Trailer do livro: Aqui

Opinião:
Mais uma vez a editora Livros de Ontem aposta num livro diferente, a pensar em cada detalhe, desde as páginas do livro, ao papel usado, ao próprio embrulho com que é entregue.

Trata-se de um livro com poesia de Daniel Costa-Lourenço e Bruno Torrão, complementado pela fotografia de Marta Cruz - um livro que é uma verdadeira ODE à cidade de Lisboa. Qualquer amante da capital de Portugal quererá ter esta obra na sua estante, para poder percorrer as suas ruelas sem ter de sair de sua casa. Aliás, acaba por ser essa a premissa do livro. As imagens são projectadas assim através das palavras dos dois poetas, mas também pela(s) lente(s) de Marta.

Vicente Alves do Ó inicia este livro com o belissimo prefácio! Acaba por encerrar nele, tudo o que acredito que esta obra é. 
Trata-se de um livro que apenas quem aprecia poesia conseguirá desfrutar a 100%, pois cada estrofe, cada "frase" encerra nela um significado especial sobre Lisboa. Apesar de tudo, e como já tive oportunidade de referir em muitos posts anteriores, é difícil para mim falar sobre obras como esta, pois não as sei apreciar, nem sei muito sobre poesia. Posto isto, acredito que há ainda muita coisa que nem sequer consegui vivenciar de forma plena! Ficou-me a vontade de percorrer Lisboa tendo em mente o que li.

Apesar dos dois autores serem bastante distintos, acabam por ser bastante complementares, pelo que a junção das duas "obras" resultou, aqui, muitíssimo bem, assim como a fotografia de Marta que deu uma novo alento e transformou este livro numa obra fora do comum. 

domingo, 26 de outubro de 2014

0

Entretenimento: Novo CD dos U2 - Primeiras impressões


Os irreverentes U2 estão de volta ao panorama musical, e já deram que falar com o seu novo CD "Songs of Innocence".


Género: Rock

Trata-se do 13º álbum desta banda irlandesa! Foi no evento de abertura da Apple Inc. que este CD foi anunciado e lançado, tendo este mesmo lançamento sido motivo de notícia em todo o mundo, isto porque todos os clientes do iTunes Store tiveram acesso ao CD de forma totalmente gratuita. 

Mas para nós, amantes de música, ter o CD em mãos pela primeira vez é sempre um momento excitante vivido com imensa alegria, e a chegada deste CD ao FLAMES pautou-se, precisamente, por este misto de emoções. 

Desde 2009 que os U2 não apareciam com um novo CD, pelo que a espera por parte dos fãs foi muito penosa. Mas finalmente eles chegaram e trouxeram um álbum que, de certo, lhes encheu as medidas. 



Depois de ouvir o álbum, a música que mais me chamou à atenção foi "Every Breaking Wave". É daquelas músicas que me fez fechar os olhos e viajar ao som da melodia. Assim, entrou directamente para a minha playlist de músicas favoritas dos U2. 

Em geral parece-me um CD bastante coeso e em sintonia com o que se tem feito, musicalmente, este ano. 

Todas as letras das músicas foram feitas por Bono e The Edge sendo que toda a banda esteve envolvida na produção musical do disco. 


Se tivesse de descrever o álbum em 3 palavras elas seriam: 

REVIGORANTE

COESO

OUSADO

0

Entretenimento: Novo CD dos Tokio Hotel - Primeiras impressões


Corria o ano de 2007 quando uma banda alemã tomou o mundo de assalto e Portugal foi um dos países fortemente atingidos por esta febre. Refiro-me, claro está, aos Tokio Hotel!
Lembro-me perfeitamente de ouvir as músicas desta banda, na altura, composta por 4 adolescentes em todos os canais de música. Tinham um som rock-pop e músicas que entravam facilmente no ouvido. O facto de não cantarem apenas em alemão mas também em inglês também ajudou a que esta banda continuasse a encantar milhares de fãs em todo o mundo durante alguns anos.
Contudo, nos últimos tempos nunca mais se ouviu falar neles. Lembro-me de há cerca de 1 ano ter comentado com uma amiga acerca deste estranho desaparecimento de uma banda tão conhecida. Pois bem... pelos vistos eles estavam a preparar-se para enveredar por um caminho completamente diferente pois este ano apanharam todos de surpresa ao apresentar o seu álbum "Kings of Suburbia".

  
O disco foi uma grande presença pois apresenta uns Tokio Hotel com uma sonoridade completamente diferente! Os apontamentos rock mantêm-se mas agora com um acentuado toque electrónico.
Confesso que a minha primeira reacção foi de alguma estranheza, mas ao ouvir o álbum uma segunda vez acabei por perceber esta mudança da banda e ver o quão mais actual este estilo musical está. Aprecio quando os artistas arriscam mudanças drásticas sem saber se serão ou não aceites, para mim isso tem um nome: coragem.
A minha música preferida é o primeiro single do disco, "Love Who Loves You Back", logo seguida pelo tema "We Found Us".
Mas o primeiro impacto que o álbum me causou não está relacionado com os seus temas mas sim com a sua componente estética... o disco (dourado de ambos os lados) e o interior da capa são lindos!! Nem sei por que é que ainda me surpreendo, pois o vocalista, o Bill, é conhecido por dar uma importância fulcral a todos os pormenores estéticos relacionados com a banda.


Concluindo, se tivesse que descrever este disco em 3 palavras essas seriam:
 
Surpreendente   
                Excêntrico      
                                      Refrescante                     

sábado, 25 de outubro de 2014

9

Passatempo: 124º Passatempo do FLAMES (em parceria com a autora Linete Landim)



Temos um novo passatempo, desta vez em parceria com a autora Linete Landim.
Queres ganhar este fantástico livro?
Já sabes bem o que tens de fazer não já?
Então vá :)
BOA SORTE

Sinopse:
"Um casamento orquestrado por duas famílias nobres, dois noivos estranhos um ao outro, duas vidas tão diferentes. Para Inês, uma jovem reprimida pela família o casamento significa um novo começo, uma nova vida. Para Afonso, o casamento é apenas algo para o qual não tem fuga possível. A renúncia por parte da família e um desgosto amoroso que quase o levou à loucura, fizeram do futuro Duque um homem sem coração. Sempre com a sombra da traição nos ombros, Afonso vê todos os homens como uma ameaça e sufoca a jovem esposa com as suas desconfianças. Inês estava longe de ser o seu ideal de mulher, a sua pureza e inexperiência não fascinavam o homem ardente e exigente, mal sabia que Inês lutaria pelo seu amor, que o surpreenderia de forma tão intensa e envolvente."

Tens até ao dia 9 de Novembro para participar, preenchendo o formulário abaixo disponibilizado. Podes participar no máximo uma vez por dia!



Notas:
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante a sua entrega. Esta será feita, gentilmente, pela Autora; 
- Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail enviando-nos os seus dados; findo esse prazo, na ausência de uma resposta, o FLAMES sorteará um novo vencedor; 
- Caso não vos apareça a setinha para descerem (no formulário), cliquem nele e desçam usando a seta do teclado.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

0

Evento: Apresentação do livro "Os meus olhos de Afonso" de Catarina Furtado



A Catarina Furtado esteve hoje no Jardim Escola João de Deus em Leiria a apresentar o seu novo livro "Os meus olhos de Afonso".

Trata-se de um livro infantil editado pela Oficina do Livro. 

Fiquem com algumas fotos do evento!









quinta-feira, 23 de outubro de 2014

3

Livro: O Homem Moderno




Ano de edição: 2013
Género: Ensaio filosófico
Autora: Cristiane Serruya
 

Escrito em 1988, “O Homem Moderno” é uma obra que mais de 20 anos depois, em 2013, viu o seu valor reconhecido pela atribuição de vários prémios.
 
 
Escrito quando a sua autora era uma jovem estudante universitária de apenas 18 anos, este livro apresenta-nos uma visão despida de floreados acerca da natureza do ser humano. Ao longo das poucas páginas que compõem a obra, o Homem é-nos apresentado como um ser egoísta, que se coloca sempre no centro sem olhar à sua volta. Contudo, embora aparentemente seres bem decididos e orientados, Cristiane destaca as constantes contradições em que todos acabamos por cair ao longo da nossa vida.
O protagonista desta história não tem nome nem tão pouco um rosto pois ele pode ser qualquer um de nós que, vivendo numa constante correria, nos arriscamos a ter uma existência completamente alienada daquilo que realmente interessa, tão preocupados que estamos em cumprir os nossos desejos egocêntricos.
A segunda parte de “O Homem Moderno” brinda o leitor com uma explicação sobre a origem deste texto bem como com uma breve descrição da biografia de Hannah Arendt e a forma curiosa como esta acabou por levar Cristiane a escrever esta obra. Estes pequenos apontamentos finais são não só curiosos como nos ajudam a compreender melhor o porquê destas palavras da autora.
 
 
Um livro que recomendo aos apaixonados pela Filosofia e a todos aqueles que gostam de obras que nos fazem colocar as coisas em perspectiva.
0

86ª Entrevista do FLAMES: Lídia Franco (artista portuguesa)


Lídia Franco


Lídia Franco é mais uma das artistas portuguesas entrevistadas pelo FLAMES que dispensa qualquer tipo de apresentações. É praticamente impossível que alguém que more em Portugal não a conheça. 
Para além de mãe e mulher de garra, Lídia é apresentadora de televisão e actriz, mas a sua dedicação para a cultura em Portugal vão para além destas duas facetas.
Começou a sua carreira artística como bailarina, seguindo-se o teatro e a representação. 
Foi condecorada com inúmeros prémios e é, sem dúvida, uma das mulheres mais respeitadas em Portugal. O FLAMES fez-lhe algumas perguntas, e a Lídia teve a amabilidade de perder um pouco do seu tempo a responder. Vejam o que nos disse em baixo. 

O seu FILME preferido: É impossível ter só um Filme preferido. São tantos além do "Blade Runner" por exemplo.
O seu LIVRO preferido: É impossível ter só um Livro Preferido. São tantos além de "O Livro do Desassossego" por exemplo.
O seu ANIME preferido:  Não tenho.
O seu MANGA preferido: Não tenho.
O seu Evento/Extretenimento/Espectáculo preferido: Teatro.
A sua SÉRIE preferida: Tantas,tantas,e "Absolutely Fabolous" e "Faulty Towers" [já falámos nesta série aqui no blogue. Vejam a nossa opinião aqui].


A Lídia já trabalhou em várias áreas relacionadas com a cultura, desde a dança, ao teatro, televisão e até tradução. Há alguma área no mundo da cultura que ainda não experimentou mas que a fascina e gostaria de um dia ter a oportunidade de experimentar?
Pintura. 

No cinema teve a oportunidade de trabalhar com diferentes realizadores e actores de renome. Há alguém que admira muito com quem gostaria de colaborar mas ainda não teve oportunidade de fazê-lo? 
Al Pacino.

Durante o período em que está a interpretar uma personagem em televisão ou em palco consegue desligar-se por completo dela ou “leva-a” consigo no seu dia-a-dia? 
Por vezes é difícil desligar completamente. Outras vezes até nem convém desligar.

Entre tantas obras contemporâneas editadas em Portugal, porque é que o livro “Óscar e a Senhora Cor-de-Rosa” de Eric-Emmanuel Schmitt mereceu uma atenção especial da sua parte? 
Pela Beleza do Texto e do Hino à Vida e ao Ser Humano que é este Maravilhoso Texto.

O monólogo “Óscar e a Senhora Cor-de-rosa” é uma peça de teatro com uma mensagem muito profunda. Qual foi o feedback que obteve do seu público no final de cada actuação? 
Comunhão Total. (Como só no Teatro pode acontecer).

O Teatro Nacional D. Maria II é um dos locais de referência do teatro em Portugal. Sente que a relação dos portugueses com esse local emblemático tem vindo a mudar ao longo dos anos? 
O Teatro Nacional D. Maria II tal qualquer teatro ou Instituição depende de quem o Dirige. Este Teatro tem variado a qualidade do seu trabalho consoante os diferentes Directores que tem tido.

Que conselho gostaria de dar a quem vai agora dar os primeiros passos no mundo do teatro e do cinema português? 
Trabalhar Trabalhar Estudar Estudar, Trabalhar Trabalhar sem nunca esperar resultados.

Como descreve o actual panorama cultural português? 
Quase inexistente, tal como o País.

Se pudesse voltar atrás no tempo, faria alguma coisa de maneira diferente?
Talvez tivesse ido viver para outro País, mas agora creio que é tarde e por isso não tenho que me queixar e tenho é que continuar a trabalhar para progredir sempre na minha Arte.

Muito obrigada pela sua disponibilidade Lídia!

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

0

Canal FLAMES: Livros lidos enquanto Beta Readers


Fazer de Beta-Reader é das coisas de que mais gostamos. 
Mesmo sendo muito trabalhoso, no fim a recompensa por saber que ajudámos um autor vale todo o esforço!
Fiquem com um vídeo onde vos mostramos os livros que lemos enquanto beta-readers, e que JÁ foram publicados.



Saibam mais sobre os livros falados no vídeo aqui

- http://flamesmr.blogspot.pt/2013/09/os-livros-que-lemos-enquanto-beta.html

7

Passatempo: 123º Passatempo do FLAMES (em parceria com a Marcador)


Mais um passatempo do FLAMES, desta vez com a parceria da MARCADOR. Estamos a oferecer 1 exemplar deste livro: 




Homeland – Segurança Nacional A origem 

Sinopse:
"Beirute. Durante uma tentativa de encontro clandestino com um novo contacto - nome de código Rouxinol -, Carrie Mathison, agente de operações da CIA, escapa por pouco a uma emboscada. Desconfiando de que a segurança no quartel-general de Beirute possa estar comprometida, a altamente especializada e volátil agente desafia o chefe de divisão num acalorado confronto que lhe vale o recambiamento para casa. Frenética e com pouco tempo a perder, Carrie aventura-se num chocante ato de insubordinação que a ajuda na revelação de indícios secretos que ligam o Rouxinol a Abu Nazir, o líder da Al-Qaeda no Iraque. Decidida a travar o mentor do plano terrorista, embarca numa obsessiva demanda que irá destruí-la. Um livro original e empolgante baseado na série de sucesso Segurança Nacional."

Para participar já sabes, preenche o formuálio em baixo (podes fazê-lo uma vez por dia) e... boa sorte! Têm até o dia 5 de Novembro de 2014 para participar.



Notas:
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante a sua entrega. Esta será feita, gentilmente, pela Editora;
- Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail enviando-nos os seus dados; findo esse prazo, na ausência de uma resposta, o FLAMES sorteará um novo vencedor;
- Caso não vos apareça a setinha para descerem (no formulário), cliquem nele e desçam usando a seta do teclado.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

0

Livro: O Gigante Gigantão (Pedro Jardim & Raquel Pinheiro)



Título: O Gigante Gigantão
Autor: Pedro Jardim (entrevista ao autor aqui)
Ilustrações: Raquel Pinheiro
Páginas: 29
Página facebook do livro: Aqui

Mais um livro infantil do autor Pedro Jardim, e mais uma vez o autor não desilude.
Trás-nos, desta vez, a história do Gigante Gigantão, um gigante diferente (isto é, especial) que se diferencia dos seus companheiros, maioritariamente, por não gostar de assustar anões. 

Uma história simples?
Bem que parece, mas encerra nela uma série de mensagens importantes, especialmente sobre a rejeição e espírito de entreajuda.

As ilustrações são da fabulosa Raquel Pinheiro. Fiquei absolutamente vislumbrada com elas!
Como se trata de um livro para crianças, as ilustrações são essenciais, bem como toda a estrutura do livro que, neste caso, achei muito adequadas. O tamanho do livro, das páginas, das ilustrações, e as cores vivas tornam-no perfeito para qualquer criança que goste de uma boa história e de certo que irão proporcionar momentos inesquecíveis entre leitores e crianças.

Aconselho-o vivamente!

Acompanhem ainda a leitura do livro com a música que foi criada para o livro! São estes pequenos detalhes que fazem com que a obra valha a pena.



Outras obras do autor: 

Crónicas do avô Chico - Vejam opinião aqui

A Senhora da Tapada - 1ª Edição - Opinião aqui

A Senhora da Tapada - 2ª Edição - Opinião aqui

O Dragão Rouxinol - Livro + CD - Opinião aqui

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

4

Evento: Lançamento do livro GALVEIRAS em Coimbra - José Luís Peixoto



Hoje, dia 17 de Outubro de 2014, o autor José Luís Peixoto esteve em Coimbra para a apresentação do livro "Galveias" e fê-lo no fantástico café de Santa Cruz.


José Luís Peixoto começou por agradecer e elogiar o café Santa Cruz um local que para ele é fabuloso para "se ler e se escrever"

Relativamente a este seu novo livro, referiu que "tenta incentivar o conhecimento do país". 

Galveias é uma vila no alto Alentejo sendo um local muito especial para José Luís Peixoto "uma grande parte do livro passa-se em Galveias e em locais reais"


Segundo o escritor o livro vai ter uma leitura diferente por parte das pessoas que moram em Galveias, mas de certo que terá uma leitura "diferente aqui também em Coimbra". 




"Uma das primeiras coisas que eu quero dizer com este livro é: Eu sou de Galveiras, eu sou do Alentejo, eu sou de Portugal".



"Este é um livro de N personagens, seguramente mais de 100 com nome, contrariamente a outros livros meus. Cada capítulo tem um protagonista diferente que se relaciona com imensas personagens"

"No início do livro há uma coisa sem nome que cai em Galveias. O que eu queria fazer com isto era mostrar que o Universo tinha apontado para Galveiras"

Foi um prazer estar 2 minutinhos com o autor. A fila de autógrafos era ENORME, o café estava cheio.. ficou a vontade de estar em outras ocasiões com José Luís Peixoto. 



quinta-feira, 16 de outubro de 2014

0

Espectáculo: Peça de Teatro "Eu Sou o Outro"


 
Quando vi as palavras “Teatro”, “Marionetas” e “Fernando Pessoa” numa mesma frase percebi que tinha encontrado o espectáculo que me transportaria para uma outra dimensão. Pouco dada a poesia mas fã acérrima de Fernando Pessoa, não podia deixar de ir ver a peça “Eu Sou o Outro”.
 
Em palco esteve apenas uma pessoa, aqui desempenhando o papel de Abílio, um taberneiro em tempos habituado a receber no seu estabelecimento o ilustre poeta português Fernando Pessoa. Contudo, há 5 anos que Pessoa deixou de lá ir e só resta a Abílio recordar-se deste ícone nacional através da sua poesia e de um grupo de 4 interessantes marionetas, sendo que uma delas representa o próprio Fernando Pessoa e cabe às restantes dar vida aos seus três mais famosos heterónimos: Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos.
 
O espectáculo superou todas as minhas expectativas! A encenação esteve absolutamente perfeita: o jogo de luzes utilizado foi absolutamente mágico, a disposição dos adereços surpreendia-nos a cada nova porta aberta e a utilização das marionetas levou-nos a acreditar que, por momentos, estas sentiam de facto tudo aquilo que estava a ser dito.
O meu preferido, Alberto Caeiro, trouxe-nos toda a sua simplicidade e não desiludiu, mas Ricardo Reis também mostrou porque é que merece um lugar de destaque na obra de Pessoa. Quanto a Álvaro de Campos? Toda a sua sofreguidão pela vida e por sentir tudo de todas as maneiras deixou os espectadores agarrados ao seu assento.
As poesias escolhidas foram algumas das mais célebres do escritor e o pormenor de dar uma voz específica a cada marioneta associada a uma banda sonora escolhida a dedo serviram para nos fazer mergulhar completamente no universo de Pessoa e relembrar o porquê de este poeta ser um dos nomes grandes da literatura no nosso país.
 
O único problema a apontar foi mesmo a duração do espectáculo, cerca de 50 minutos, pois uma vez começado a minha vontade era a de passar uma noite inteira a ver e a ouvir Fernando Pessoa e os seus três ilustres companheiros de muitas viagens.
Um espectáculo que recomendo sem qualquer dúvida! Apaixonados pelo teatro e por este grande poeta não hesitem em consultar as próximas actuações deste extraordinário espectáculo!
0

Entretenimento: LUISA SOBRAL; JESSIE J; KIESZA; CECILIA BARTOLI; DIANA KRALL; CHERRY; PAULA FERNANDES; QUEEN; RITA REDSHOES; LIKE US; XANA TOC TOC; ANA CLÁUDIA; STEREOSSAURO; KEEP RAZORS SHARPS; XINOBI; AVICII; TOKIO HOTEL; MARIA DE MEDEIROS; PEDRO ABRUNHOSA; MAU; PEDRO E OS LOBOS


Novidades no mundo da MÚSICA

LUISA SOBRAL - "Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa" é o novo disco e chega em Novembro - "Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa" já se encontra em pré-venda no iTunes "João" é o primeiro single Chegou hoje às rádios e a todas as plataformas digitais o single de avanço de "Lu-Pu-i-Pi-Sa-Pa". "João" pode ser ouvido aqui , sendo esta também a canção que os fãs recebem imediatamente ao fazer a encomenda da versão do álbum no iTunes , especialmente masterizada em áudio de alta qualidade (MFiT). "Este álbum fala sobre episódios da minha infância, alguns vividos por mim, outros por amigos ou crianças da minha escola. Todas as canções têm uma imagem associada: O recreio, a hora de almoço, a porta da escola, o campo de futebol onde jogávamos ao "mata", e várias outras que me ficaram na memória", explica Luisa a propósito de "Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa". O título do disco remonta a uma linguagem usada na infância de Luisa Sobral e, com certeza de muitos dos seus fãs: a língua dos pês. "Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa" chega às lojas no dia 3 de Novembro e é o terceiro álbum de estúdio de Luisa Sobral. A artista confessa: "Queria escrever canções para os pais ouvirem com os filhos. Para ser o disco que toca no carro a caminho da escola, enquanto as crianças ainda estão rabugentas e os pais meio ensonados. Para ser o cd das viagens de férias e cantarem todos juntos quando já estão entediados por parecer que a viagem não chega ao fim", continua. "Os discos que ouvi nestas situações marcaram-me bastante. Não tenho essa prepotência. Só gostava que fosse um disco para as famílias ouvirem juntas."

JESSIE J - Single "Bang Bang" escala os tops e antecipa novo álbum da cantora "Sweet Talker", terceiro disco de Jessie J, chega às lojas em outubro "Bang Bang" é o single de avanço para o terceiro álbum da britânica Jessie J. O tema, com a participação das cantoras Ariana Grande e Nicki Minaj, bateu já a marca de um milhão de singles vendidos e está nos lugares cimeiros da tabela pop de airplay das rádios norte-americanas. No Reino Unido, o tema está ainda em pré-venda no iTunes, mas está já no top 15 na lista de airplay das rádios. Ainda no que ao terreno britânico diz respeito, Jessie J será capa da edição de novembro da Cosmopolitan e estará na capa do número de dezembro da InStyle. "Bang Bang" estreou-se no final de julho no mercado norte-americano, tendo chegado na primeira semana a número 6 da tabela Billboard Top 100, dedicada às novidades musicais mais quentes do momento. "Sweet Talker" será composto por 12 canções na sua edição convencional, sendo que uma edição ‘deluxe’ do trabalho terá três outras faixas. O rapper 2 Chainz e os míticos De La Soul são alguns dos convidados do disco para além de Ariana Grande e Nicki Minaj.

KIESZA - "Sound of a Woman" é o álbum de estreia e chega a 20 de outubro - Disco integra "Hideaway" e está em pré-venda no iTunes "Sound of a Woman" é o álbum de estreia da canadiana Kiesza e chega às lojas a 20 de outubro. O disco, de 13 canções, foi antecedido por "Hideaway", vídeo que tem mais de 100 mil visualizações no YouTube e que no começo do ano entrou para número um nas tabelas de vendas britânicas, sendo o tema de estreia que mais vendeu em 2014. Este disco está em Pré-venda no Itunes desde o dia 22 de Setembro e tem download imediatos dos temas "Hideaway", "Giant In My Heart", "What Is Love", "So Deep and Bad Thing" numa 1º fase e depois, a 7 de Outubro, "The Love". "Fresca" e "vital", diz o The Evening Standard, Kiesza já atuou nos Estados Unidos nos programas televisivos de David Letterman e Jimmy Kimmel, preparando-se para apresentar o seu disco também no programa de Ellen Degeneres. "Hideaway", a canção que apresenta "Sound of a Woman", atingiu o lugar cimeiro de vendas no iTunes em 14 países e recebeu elogios de publicações como a influente Pitchfork. O tema, escreveu a publicação, junta um "brilhante e distinto sentir eletro" a um ritmo de dança que poderia ser da década de 1990, sempre guiados pela característica voz de Kiesza. Em novembro, a cantora estará na Europa para alguns concertos: Bruxelas, Amesterdão, Berlim, Londres e Manchester são algumas das cidades que receberão a canadiana.

CECILIA BARTOLI - Gravações inéditas recolhidas em São Petersburgo chegam a disco - O novo álbum de Cecilia Bartoli, uma das principais artistas contemporâneas ligadas à música clássica, chega a 13 de outubro. O disco, intitulado "St. Petersburg", inclui gravações inéditas escondidas, até agora, no arquivo Mariinsky, em São Petersburgo, na Rússia. São 11 músicas que se encontravam perdidas há mais de 200 anos e que Bartoli registou agora. A cantora lírica mezzo-soprano celebra neste trabalho uma época dourada para a ópera na Rússia, quando três imperatrizes, entre 1730 e 1796, voltaram-se para a Europa, e em concreto para Itália, para enriquecer a vida cultural na Rússia. Estas três mulheres – Anna Ioannovna, Elizaveta Petrovna e Catherine II – provaram ser politicamente vanguardistas e musicalmente aventureiras, como revela agora Cecilia Bartoli. "St. Petersburg" celebra não apenas estas três mulheres mas é também uma homenagem aos compositores de então do regime político russo: Francesco Araia (1735-59), Hermann Friedrich Raupach (1759-61), Vincenzo Manfredini (1761-63) e Domenico Cimarosa (1787-91). No disco, a soprano italiana explora a música de Agostino Steffani juntando-se a I Barocchisti e Diego Fasolis, com quem trabalhou nos seus dois últimos álbuns. Ao longo das últimas duas décadas, Cecilia Bartoli tornou-se, incontestavelmente, uma das principais artistas da música clássica. Os seus papéis em óperas, os seus concertos e projetos discográficos - lançados em exclusivo pela Decca - são aguardados, ansiosamente, em todo o mundo. O enorme sucesso dos seus registos a solo, como "The Vivaldi Album", "Italian Arias by Gluck", "The Salieri Album", "Opera Proibita", "Maria", "Sacrificium" e "Mission", reflete-se em vendas extraordinárias, que a colocam, em definitivo, na posição da mais bem-sucedida artista clássica da atualidade, com mais 10 milhões de exemplares vendidos dos seus trabalhos em CD e DVD. Cecilia Bartoli foi também já distinguida ao longo da sua carreira com diversos prémios, entre os quais se contam cinco galardões Grammy, dez prémios ECHO e seis prémios Gramophone, tidos como os Óscares da música clássica.

DIANA KRALL - CANCELA TOUR DESTE OUTONO POR MOTIVO DE DOENÇA "WALLFLOWER", O NOVO ÁLBUM, SERÁ AGORA EDITADO A 02.02.2015 -  Devido a complicações surgidas após um caso de pneumonia, Diana Krall viu-se obrigada a adiar a data de edição do seu novo álbum, assim como a digressão deste Outono nos EUA. "Wallflower", o novo álbum da pianista e cantora de jazz, vencedora de cinco prémios Grammy, tinha edição agendada para 13 de Outubro e a "Wallflower World Tour" arrancaria em Phoenix, EUA a 7 de Novembro. "Wallflower" será editado a 2 de Fevereiro de 2015 pela Verve Records. A condição clínica de Diana Krall agravou-se, impossibilitando a cantora de viajar ou fazer qualquer tipo de promoção num prazo de seis semanas a dois meses. Krall está extremamente desiludida por ter de anunciar esta decisão mas também consciente de que, seguindo o conselho dos seus médicos, esta é a única decisão possível de modo a assegurar a sua total recuperação. "Estou realmente triste por ter de adiar a edição do meu novo álbum "Wallflower" e a "Wallflower U.S. Fall Tour" para o próximo ano. Tenho batalhado com um caso de pneumonia grave e as ordens dos médicos são para descansar nas próximas seis semanas de modo a recuperar as minhas forças e saúde. Atuar é um privilégio e uma alegria para mim. Quando subo ao palco gosto de ser capaz de dar tudo o que posso. Tirar este tempo para recuperar vai-me permitir fazer isso novamente. É muito frustrante ter acabado o disco e não ser capaz de vos dar o meu melhor. Muito obrigada pela vossa compreensão." - Diana Krall As novas datas da "Wallflower World Tour" serão anunciadas nas próximas semanas. Para mais informação visitem www.dianakrall.com

CHERRY - ANUNCIA DATA E CAPA DE "LONDON EXPRESS" -  A apaixonante voz revelação nasceu em Lisboa, mas vive e trabalha actualmente em Londres. O disco é uma colecção de 11 canções, 11 histórias sobre mulheres (reais e do nosso imaginário), contadas e cantadas numa pop melódica, composta de momentos alegres e melancólicos, abertos a interpretações. O primeiro cartão de visita do disco, "Five Knives", já tem vídeo, faz parte da banda sonora da novela O Beijo do Escorpião (TVI) e entrou em airplay em diversas rádios nacionais. (Vejam a entrevista que a Cherry deu a o FLAMES aqui)


PAULA FERNANDES - Novo disco a 6 de Outubro EXCLUSIVO NO MEO MUSIC - Disco de duetos com Shania Twain, Michel Teló, entre muitos outros. Edição Portuguesa conta com participação de Anselmo Ralph e Mickael Carreira. Paula Fernandes, uma das maiores figuras da música brasileira contemporânea, edita a 06 de Outubro o seu novo álbum. "Encontros pelo Caminho" que poderá ser escutado, em exclusivo, no MEO Music a partir de hoje (aqui), integra duetos com artistas internacionais como Shania Twain, Michel Teló entre muitos outros e conta com duas surpresas para o mercado português: um dueto com Anselmo Ralph, "Pássaro de Fogo", e um outro com Mickael Carreira, "Eu sem Você". O trabalho junta duetos de sucesso de toda a carreira da cantora, casos de "Não Precisa", com Victor e Leo, "Pegando Lágrimas", com Chitãozinho e Xororó, "Criação Divina", com Zezé di Camargo e "Se Tudo Fosse Fácil" com Michel Teló. Aos clássicos do repertório de Paula Fernandes juntam-se duetos inéditos, como são exemplo os temas com Anselmo Ralph e Mickael Carreira, que também serão editados internacionalmente numa versão digital. Paula Fernandes tem regresso marcado para Portugal para 07 de Novembro e 08 de Novembro. Na primeira data, a cantora atua no MEO Arena, em Lisboa, tocando no dia seguinte no Multiusos de Guimarães.

QUEEN - "Queen Forever" chega a 10 de novembro e traz inéditos com Freddie Mercury Colaboração com Michael Jackson é uma das novidades do disco Três faixas nunca antes editadas com o falecido cantor Freddie Mercury são o destaque maior de "Queen Forever", novo disco do icónico grupo britânico, que chega às lojas a 10 de novembro. Entre as novidades do disco encontra-se "There Must be More to Life Than This", composição originalmente lançada em 1985 no primeiro álbum a solo de Freddie Mercury, "Mr. Bad Guy". A faixa surge agora numa versão inédita gravada com Michael Jackson, resgatada das sessões de gravação de "The Works", álbum de 1984 dos Queen. "Queen Forever" junta êxitos a canções menos conhecidas da banda que recebem aqui novas versões. "São coisas que juntámos ao longo dos anos e que são mais representativas do nosso crescimento enquanto banda, não são só os nossos grandes clássicos", diz o guitarrista Brian May sobre a novidade dos britânicos. "Queen Forever" estará disponível numa edição normal, com 20 faixas, e numa edição ‘deluxe’, de dois CDs, que trará 36 canções do icónico grupo de Freddie Mercury e Brian May. O registo pretende celebrar o extraordinário legado de uma das mais influentes bandas rock do mundo. William Orbit, prestigiado produtor que já trabalhou, por exemplo, com Madonna e Robbie Williams, produziu a nova versão de "There Must be More to Life Than This", gravada originalmente no começo da década de 1980 com Michael Jackson e nunca antes escutada. "Quando ouvi a música pela primeira vez no meu estúdio abri um tesouro providenciado por alguns dos melhores músicos de sempre. Ouvir a voz de Michael Jackson foi emocionante. Tão viva, tão fresca, tão pungente, foi como se estivesse no estúdio a cantar ao vivo. Com a faixa a solo do Freddie Mercury na minha mesa de mistura, o meu apreço por este dom deu-se a um nível ainda mais elevado", diz Orbit sobre o seu trabalho para a faixa. Outra das novidades de "Queen Forever" é "Let Me in Your Heart Again", composição de Brian May escrita originalmente para o disco "The Works" mas que não foi completa então. É um tema onde a voz intemporal de Freddie Mercury se destaca e ao qual foram acrescentadas novas partes de guitarra e coros de May e Roger Taylor (baterista). A terceira nova canção, "Love Kills", foi composta por Mercury e o produtor italiano Giorgio Moroder. A faixa foi inicialmente gravada para uma banda-sonora concebida por Moroder para o filme "Metropolis", de Fritz Lang, obra muda datada de 1927. Mercury gravou então uma versão da faixa, num registo mais dançante, que consistiu no seu primeiro single a solo, lançado em 1984. A versão agora editada é mais lenta e surge em tom de balada, tendo sido interpretada na mais recente digressão que juntou os Queen ao cantor Adam Lambert. Os Queen, uma das mais celebradas bandas rock do mundo, editaram recentemente o disco "Live at the Rainbow´74", registo de um dos mais emblemáticos concertos de sempre do grupo.

RITA REDSHOES - (veja a etrevista dela ao FLAMES aqui) - No festival italiano Karel Music Expo - Depois de nos passados fins de semana ter apresentado o seu mais recente disco "Life Is A Second Of Love" em Lisboa, no São Luiz Teatro Municipal, e no Porto, na Casa da Música, em duas apresentações esgotadas, Rita Redshoes viaja até à Sardenha, a Cagliari, para a sua estreia em território italiano. Na sua oitava edição, o "Karel Music Expo" reúne cerca de 30 artistas oriundos de todo o mundo para apresentações entre os dias 2 e 4 de Outubro. O concerto de Rita Redshoes, em que se apresentará a solo, decorrerá no dia de encerramento do festival, dia 4, no Teatro Civivo di Castello, partilhando o palco com os projectos italianos "Lillie on Mars" e "Jules Not Jude" e ainda os alemães "Damen Samuel" e "Mouse On Mars". Mais informações em Karel Music Expo.
Agenda:
04/10/14 – Festival “Karel Music 2014” / Cagliari / Itália
18/10/14 – Cine-Teatro / Rio Maior
24/10/14 – Transforma / Torres Vedras
20/11/14 – Conservatório de Música de Coimbra
21/11/14 – Teatro Clube de Alpedrinha

LIKE US - Primeiros concertos em Aveiro, Setúbal e Guimarães

26 de Outubro - Teatro Aveirense - Aveiro
09 de Novembro - Fórum Luísa Todi - Setúbal
16 de Novembro - Centro de Artes e Espetáculos (CAE) de Guimarães

Os Like Us, nova sensação da pop portuguesa, continuam a promover o seu disco de estreia e anunciam agora os seus primeiros três concertos em nome próprio: a 26 de outubro a banda toca no Teatro Aveirense, em Aveiro, a 9 de novembro deslocam-se ao Fórum Luísa Todi, em Setúbal, e a 16 de novembro atuam no Centro de Artes e Espetáculos (CAE) de Guimarães, sempre às 18h. A banda tocou recentemente na primeira parte dos R5, grupo de Ross Lynch, protagonista de uma série de TV de sucesso, que trouxe recentemente ao Coliseu de Lisboa a sua "Louder World Tour". Os vídeos dos Like Us superaram já a marca de um milhão de visualizações no canal VeVo, e a banda tem marcado presença em diversos programas televisivos. Os Like Us lançaram o single de apresentação, "You Mean The World to Me" na primeira metade do ano e desde aí a banda tem provado ser o novo fenómeno da pop em Portugal. "You Mean The World to Me" e "The Signs" fizeram parte da banda-sonora de "Sol de Inverno", a novela campeã de audiências transmitida pela SIC. A música "Contigo é Simples" pode agora ser escutada na banda-sonora da novela da TVI "Jardins Proibidos", e "I Feel Alive" é uma das canções presentes na nova ficção da SIC, "Mar Salgado". O disco de estreia dos Like Us foi editado no dia 28 de abril. Todos os espectáculos são às 18h. Bilhetes à venda nos locais habituais.

XANA TOC TOC  - Colecção Xana Toc Toc na Aldeia Colorida 6 Livros de histórias inéditas, actividades e autocolantes. A nova colecção de livros com as aventuras da Xana Toc Toc na Aldeia Colorida está à venda todos os sábados, até 1 de Novembro , com o Diário de Notícias e Jornal de Notícias. A colecção é composta por 6 livros de histórias inéditas + autocolantes + actividades relacionadas com o tema de cada história. Oferta de mala arquivadora no primeiro volume e no final da colecção, autocolantes extra para decorar a mala. Uma vez mais os mais pequenos vão poder mergulhar no mundo encantado da Xana Toc Toc, onde as aventuras não param!

ANA CLÁUDIA (foto por Teresa Q) - A Ana Cláudia poderia ter sido bailarina ou actriz, mas a música falou mais alto e licenciou-se em Jazz pela Escola Superior de Música de Lisboa. Desde então, tem sido presença assídua em várias formações musicais ligadas às raízes tradicionais portuguesas e ao Jazz, compondo as suas próprias músicas nos intervalos. Se lhe perguntarem que músicas são essas, dirá que canta coisas bonitas (muito bonitas) em português. Um ano depois de ter integrado a colectânea Novos Talentos Fnac com o tema “O Caminho Dela”, a Ana Cláudia gravou uma versão de “João e o Pé de Feijão”, do brasileiro Cícero, que espelha parte da sonoridade do álbum com que se vai estrear em nome próprio, pela NOS Discos, no dia 20 de Outubro. “Riso” é o primeiro avanço de “De Outono”. Na página de Facebook da Ana Cláudia pode ler-se que o Outono “É a estação das colheitas e dos inícios. De pegar nos frutos maduros e saboreá-los ao som das folhas que começam a cair. Este Outono vai ser especial. Mal posso esperar!” Está lançado o mote.

STEREOSSAURO - Com um background em Artes Plásticas e formado em Design, faz já algum tempo que Stereossauro trocou os lápis da Escola Superior de Artes e Design pelo sintetizador e pelo gira-discos, dividindo-se entre o DJing e a produção. Nome regular na programação de clubes e festivais, sagrou-se campeão do mundo de scratch, em 2011, com os Beatbombers, projecto que partilha com DJ Ride. Nos últimos anos produziu temas originais para compilações, remisturas e sonoplastias, e no dia 20 de Outubro edita, finalmente, o seu 1o álbum de originais com o selo NOS Discos. "Hold On" (clicar para ver vídeo), o single de apresentação de "Bombas em Bombos", resulta da colaboração interna da "família" Rockit (um colectivo que engloba artistas de várias disciplinas e que funciona quase como uma "cooperativa de ideias”), com o Gonçalo Santos e com a Helena Veludo. "O estúdio do Gonçalo, onde fazemos as reuniões da Rockit, está repleto de instrumentos musicais, por isso foi natural desafiá-los para uma jam que evoluiu para alguns temas de soul dos quais se destacou imediatamente o “Hold On”. Essa partilha, sem pretensão de ser algo mais sério, mesmo just for fun, deixa transparecer a simplicidade de fazer música que nos faz sentir bem, apoiada nos samples Motown, no bass eléctrico e na voz da Helena.”

KEEP RAZORS SHARPS - Keep Razors Sharp são Afonso (Sean Riley and The Slowriders), Rai (The Poppers), Bráulio (ex-Capitão Fantasma) e Bibi (Pernas de Alicate), uma banda de amigos que começaram a frequentar a sala de ensaios nos intervalos das saídas à noite. O percurso iniciou-se naturalmente e as músicas foram surgindo sob a premissa de nunca se prenderem a estilos ou limitações estéticas. Com apenas um single, “I see your face”, viram o seu nome ser referido entre as Apostas Nacionais para 2014! Rapidamente começaram a surgir convites para tocarem ao vivo e, pouco antes de actuarem no NOS Alive, deram a conhecer mais um single, “9th”. Super Bock Super Rock, Carviçais Rock e Reverence Festival Valada foram outros dos palcos onde os Keep Razors Sharp experimentaram os novos temas que vão ser editados, no dia 20 de Outubro, pela NOS Discos. “Isto, senhoras e senhores, é rock’n’roll de deixar as palhetas ensanguentadas.” in Mesa de Mistura.
Próximo concerto: 24 Outubro – Jameson Urban Routes – Musicbox Lisboa


XINOBI (vejam a entrevista que deu ao FLAMES aqui) -  "1975", O ÁLBUM DE ESTREIA, JÁ CHEGOU -   O primeiro trabalho do produtor da Discotexas já pode ser escutado em exclusivo no site do jornal Público. O álbum de estreia de Xinobi é uma viagem pelas influências da deep house, disco, funk, dub e surf guitar em 54 minutos, guiada por um dos fundadores da editora independente Discotexas, nome essencial da música de dança actual.


AVICII - "THE DAYS" É O PRIMEIRO AVANÇO DO NOVO ÁLBUM - Fenómeno global da música de dança chega com novo single e anuncia "Stories", o álbum, em 2015.   Ao longo dos últimos dois anos, Avicii tornou-se no DJ mais requisitado do mundo. "Wake Me Up" elevou-o a estrela global, chegando a número um em 84 países, e o álbum de estreia, "True", vendeu mais de 5 milhões de cópias e 25 milhões de singles à volta do mundo. Agora, o sueco regressa com "The Days", que acaba de ser disponibilizado nas plataformas digitais e é o primeiro cartão de visita de "Stories", o novo álbum, que sairá no início de 2015 e que, de novo, fará o equilíbrio entre a sonoridade única de Avicii e o abrangente apelo que esta tem entre os mais diversos fãs.

TOKIO HOTEL - "KINGS OF SUBURBIA" JÁ ESTÁ CÁ FORA! O novo álbum dos alemães Tokio Hotel já vê a luz do dia: "Kings of Suburbia" chegou hoje às lojas e plataformas digitais nacionais. Aquele que é o mais desafiante trabalho da banda já atingiu o primeiro lugar em 27 países e chega depois de já terem vendido mais de 7 milhões de unidades em todo o mundo e de atingirem disco de platina em 68 territórios. Para já, sabemos que Bill e Tom Kaulitz se mudaram para Los Angeles. Agora, conhecemos os frutos dessa experiência: "Quando chegámos à América pela primeira vez, eu não conseguia nem ouvir o nome Tokio Hotel, estava mesmo farto. Nós precisámos de um tempo para perceber o que queríamos, limpar a mente e começar de novo", revelou Bill. "Só queríamos viver, e isso sente-se aqui. Este disco é 100 por cento o que queríamos fazer.", adicionou Tom. "Love Who Loves You Back" é o mais recente single e já conta com vídeo oficial.

MARIA DE MEDEIROS - Concertos em Lisboa, Porto, Braga e Caldas da Rainha

4 Novembro - Misty Fest, Centro Cultural de Belém, Lisboa
5 Novembro - Casa da Música, Porto
6 Novembro - Theatro Circo, Braga
9 Novembro - Centro Cultural e de Congressos, Caldas da Rainha

Maria de Medeiros é uma mulher de muitos rostos, como o são todas as atrizes, mas de uma só voz, inconfundível, misto de inocência e sensualidade. É esta a voz que a tem permitido afirmar-se também como cantora, afinal de contas uma outra forma de agarrar os palcos e contar histórias às pessoas. Como cantora, Maria de Medeiros editou já três álbuns - A Little More Blue, Penínsulas e Continentes e ainda Pássaros Eternos - numa discografia iniciada em 2007 e que conta ainda com colaborações em trabalhos de outros autores, como o celebrado Femina de Legendary Tigerman (vejam a entrevista que nos deu aqui). Foi no teatro que Maria de Medeiros começou a cantar e nesta sua actividade artística "paralela" não tem parado de viajar por todo o mundo, recolhendo aplausos em muitos países, do Brasil a Angola, dos Estados Unidos a Espanha, Itália e, claro, França, país onde estudou e primeiramente se afirmou como actriz. Agora, Maria regressa a Portugal para apresentar novo trabalho que prossegue no seu muito particular caminho musical, entre chansons e bossas, tangos e jazz, pop e algo mais com toques de África. Depois de chegar a França para estudar aos 18 anos, Maria de Medeiros construiu um invejável currículo académico, tendo estudado nas melhores escolas com os melhores tutores. Começou por se afirmar no teatro, mas fez muito cinema, em França, em Portugal e até em Hollywood, onde foi estrela em filmes como Pulp Fiction de Quentin Tarantino ou Henry & June de Philip Kaufman. Mas além de brilhar em frente das câmaras, Maria de Medeiros afirmou também a sua visão pessoal em filmes de que assinou a realização, como o importante Capitães de Abril. Em todas estas condições - actriz no teatro e cinema, realizadora, cantora - Maria conseguiu obter os favores do público e da crítica e coleccionar importantes distinções, entre Globos de Ouro ou a Coppa Volpi do Festival de Veneza. Agora volta a pisar os palcos, de microfone em frente, com músicos de excelência a ajudarem-na a cantar outras histórias.

PEDRO ABRUNHOSA - Continua a esgotar salas em tempo record Mais de 200.000 pessoas já assistiram à digressão de "Contramão" Lançado há menos de um ano, a 2 de Dezembro de 2013, "Contramão", o sétimo álbum de originais de Pedro Abrunhosa, deu origem à maior digressão de um artista nacional em 2014. Pedro Abrunhosa & Comité Caviar têm actuado para plateias sucessivamente esgotadas, em salas ou ao ar livre, em alguns casos para mais de 30.000 pessoas - como na Queima das Fitas do Porto ou na Expofacic, em Cantanhede. Vários espectáculos esgotam poucas horas após o início de venda dos bilhetes, levando, sempre que as condições se encontram reunidas, à marcação de novas sessões. Para celebrar o sucesso de "Contramão", Pedro Abrunhosa está a preparar um conjunto de novidades para o público nacional e internacional.


Expeão - “Pirâmides do Bairro” é o novo vídeo de Expeão, e o terceiro single do álbum "O Fim De Todas As Estradas". Este álbum, editado pela Meifumado Fonogramas, foi composto na íntegra pelo músico, recorrendo a vários instrumentos vintage, sem samples, sem loops e sem computador. “Pirâmides do Bairro” faz uma analogia entre os blocos do bairro e as pirâmides do cairo, a verticalidade hierárquica desde quem vive na base de um sistema desigual de poder, a maioria, que vive em bairros pobres, e quem está no topo dessa pirâmide. Retracta o sonho e a vida na dura realidade de quem vive nos bairros e guetos urbanos da cidade do Porto, e a luta para escapar, contornar e conseguir continuar a sonhar "alto nas ruas em baixo". O vídeo relata a história de 3 jovens, inspirados por 3 artistas mais velhos: um grafitter, um bboy e um lutador de Muai Thai que vão crescendo e tornando-se naquilo que sonharam, passando de simples observadores dos processos artísticos dos seus ídolos a sujeitos praticantes das suas artes, escapando da vida que os podia levar à tragédia e à dissipação dos seus talentos. Rui Pina (Expeão), já conhecido pelas suas acções activistas, integrou o projecto Invictus, desenvolvido a convite de Joana Costa, nas escolas da Segunda Oportunidade de Matosinhos e EB Prof. Óscar Lopes. Estes jovens, tidos como jovens de risco de abandono escolar, puderam durante alguns meses escrever, desenhar, dançar e rappar, acompanhados por artistas do hip-hop, como Expeão, Third DNT ou Bboy Aiam. O hip-hop é uma das formas de expressão mais utilizadas nas vivências de rua, discutindo-se o que se vê, o que não se vê, mas se sabe, o que se sente, o que não se gostaria de sentir. Canaliza a agressividade e frustração que vem do crescer em sítios de despejo, de sofrimento, de tráfico, de abusos, de impotência. O vídeo é realizado por Diego Yañez (da produtora Kambio Studios), também sujeito e autor documental do projecto Invictus. https://www.facebook.com/expeao.oficial

MAU - Acabam de lançar um novo álbum de originais - Safari Entrepreneur - e estão de regresso aos palcos para apresentar este novo trabalho ao vivo. Dia 24 de Outubro, sexta-feira, marcam presença no Plano B no Porto. Os bilhetes para o Plano B podem ser adquiridos no local e data do espetáculo por 3€ ou 10€ na opção disco-bilhete. Em palco os MAU são Luís F. Sousa (voz, sintetizador), Nuno Lamy (sintetizador e baixo), Eliana (sintetizador e back vocals), Carlos Costa (percussão e guitarra) e Paulo Silva (bateria). O alinhamento destes concertos conta com os singles que já tocam nas rádios nacionais como "Cheetah", "Safari Entrepreneur Part 2" e o mais recente "Children Playing Adults" assim como os restantes temas do álbum acabado de lançar a 6 de OUT. Os MAU começaram em 2004 na Dinamarca e o seu percurso tem sido pautado pelos destaques internacionais aos vários singles e remisturas que têm feito. A maior evidência disso mesmo foi a presença assídua das criações ou recriações dos portugueses nos vários Tops (remisturas, originais e geral) do Hype Machine, o maior agregador de blogs do mundo, onde os MAU chegaram a ocupar o 6º lugar no top das remisturas e o 17º no top geral de toda a música divulgada na blogosfera.

PEDRO E OS LOBOS - Composto por sete temas originais, Um Mundo Quase Perfeito é o novo EP de Pedro e Os Lobos. Em palco, Pedro Galhoz (guitarras) será acompanhado por Marisa Anunciação (voz), Patrícia Andrade (voz convidada), João Novais (contrabaixo), Bruno Camilo (piano) e Roger Jordão (bateria). Neste trabalho, a paixão pelas guitarras, os velhos Blues sempre como referência e o gosto pela simplicidade resultam numa interpretação pessoal de paisagens musicais que reflectem vários estados de espírito diferentes. Um Mundo Quase Perfeito, realista, puro e sem subterfúgios, perdendo por vezes o equilíbrio das palavras e o politicamente correcto, apresenta-se com letras desprovidas de grandes revestimentos, puras na sua essência e no relato da condição humana. Um Mundo Quase Perfeito é igualmente um título revestido de alguma ironia, pois assenta num paralelismo em que se compara o mundo que temos, com o que poderíamos ter. O EP conta com a participação de inúmeros cantores e músicos conhecidos dos portugueses como Aldina Duarte, António Manuel Ribeiro (UHF), Carlos Pacman Nobre (5-30 entre outros), João Rui (A Jigsaw) e Tó Trips (Dead Combo). "Convidei músicos que admiro, alguns deles amigos de longa data com quem sonhava um dia colaborar e o dia chegou. Vale a pena sonhar!", é desta forma que Pedro Galhoz descreve o processo que levou à criação deste projeto, dividido em duas partes que se completam entre si e cujo trajeto se inicia agora e chegará ao seu término com a edição do Lado B em 2015.
Outras datas da digressão Pedro e Os Lobos:
18 de OUT - Cine Teatro João Mota – Sesimbra - 22.00h | Bilhete – 7,5€ ou 5€ em pré venda.
30 de OUT - Salão Brazil – Coimbra - 21.30h
31 de OUT - Showcase Fnac Coimbra - 22.00h - Entrada Livre
07 de NOV - C.C.Olga Cadaval – Sintra - 22.00h – Bilhete 8€
Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%