Envie esta página a um amigo!

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

4

Livro: O Jogo Final


Título Original: Ender’s Game
Ano: 1977
Ano de Edição: 2013
Género: Ficção Científica
Autor: Orson Scott Card


O género Ficção Científica deve ser dos géneros com o qual estou menos familiarizada. Mas quando surgiu a oportunidade de ler um dos livros que é considerado um marco da Ficção Científica, que já ganhou os mais prestigiados prémios de literatura dentro deste género, não consegui recusar.
A história de “O Jogo Final” decorre no futuro, numa época em que as viagens no espaço são algo de banal e em que outros planetas estão ocupados por seres humanos. Contudo, mesmo possuindo o Homem tecnologias altamente avançadas, continua a temer uma ameaça que há já várias décadas o atemoriza: os Insectóides, seres altamente inteligentes e com uma artilharia desenvolvida.
É urgente encontrar um comandante capaz de liderar a frota humana na luta contra esses perigosos seres de outro planeta, antes que sejam estes a destruir a Terra.
Por isso mesmo, as crianças mais inteligentes no mundo são selecionadas para irem para a Escola de Guerra, no Espaço. Entre essas crianças encontra-se Ender Wiggin, um verdadeiro génio com um potencial imenso. Provavelmente a última esperança da Humanidade. Conseguirá ele salvar-nos a todos?
Este livro revelou-se uma verdadeira surpresa. Enquanto à primeira vista este pode parecer ser “apenas mais um” livro de ficção científica, a verdade é que a história de “O Jogo Final” é muito mais intrincada e profunda em comparação com os demais livros sobre histórias no Espaço.
O ponto central do livro é mesmo o aspeto psicológico, o amadurecimento do protagonista que, ao longo dos anos, se confronta com questões complexas e incómodas. Questões que nos prendem a esta história e nos fazem querer virar sempre mais uma página.
A forma como Orson Scott Card consegue transportar o leitor para o interior da mente de um pequeno génio é soberba, e deixamo-nos conquistar por este rapaz, comover até com as situações pelas quais passa.
As batalhas também estão muito bem descritas, de forma clara não se incorrendo no erro de relatar segmentos de luta confusos e aborrecidos.
Um outro aspeco verdadeiramente interessante foi a ideia que o autor teve de levar os dois irmãos de Ender, que ficaram no planeta Terra, a montar um esquema para dominar todo o mundo recorrendo simplesmente à sua superioridade intelectual. Os seus diálogos são inteligentes, arrebatadores e "absorvem-nos" por completo.
Mas o verdadeiro presente, a cereja no topo do bolo de “O Jogo Final”, está mesmo no seu final: uma conclusão que me deixou estupefacta e com a sensação de, agora sim, fazer parte do grupo de pessoas que tiveram o privilégio de ler esta famosa obra.
Escusado será dizer que recomendo vivamente este livro!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

2

77º Passatempo do FLAMES (em parceria com a editora DinaLivro)

 

Quem aqui, como nós, é fã de romances históricos? Em parceria com a Dinalivro temos 1 exemplar deste livro para vos oferecer:

Sinopse:
"Uma obra em que o rigor factual convive com peripécias amorosas. Partindo de dados e eventos reais, o texto constrói uma heroína capaz de resistir aos infortúnios das invasões napoleónicas, mas impotente perante os jogos do amor. Talvez convenha destacar que a autora, Maria Moura-Botto, se distingue pela sua simpatia e capacidade comunicativa, tendo tido – ela própria – uma vida repleta de episódios interessantes, já que, entre os estudos de engenharia, história, arte ou gestão, foi professora, psicóloga, consultora financeira, etc."

.. já sabem... toca de preencher o formulário até ao dia 6 de Dezembro. Podem participar uma vez po dia! Fácil não?

PASSATEMPO TERMINADO

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

0

Livro: O Relógio



Título: O Relógio
Autor: Samuel Pimenta
Páginas: 33
Editora: Livros de Ontem
Blogue do autor: http://samuelpimentablog.blogspot.pt/


Samuel Pimenta foi o vencedor do prémio "Jovens Criadores 2012" com este "O Relógio".
Nesta obra o Eu lírico denuncia os vícios da sociedade contemporânea (ao mesmo tempo que demonstra o seu repúdio). Tudo isto ao som do... relógio.

Falar nesta obra não é tarefa fácil... ainda para mais é um estilo literário com o qual não me identifico muito. No entanto, gostaria de salientar a genialidade do livro. São 33 páginas... um pequeno tesouro... e muito para pensar e reflectir. O verdadeiro amante desta género vai demorar muito tempo a lê-lo, pois cada verso transporta-nos para um mundo paralelo...

O tempo é um dos conceitos chave deste livro. Quantos de nós nos queixamos da falta dele? É um conceito que está muito bem retratado ao longo dos diversos versos...

Não sei se me será permitida a analogia, mas enquanto estava a ler o livro lembrei-me muitas vezes do grande Fernando Pessoa (poeta que muito admiro!). Algumas passagens eram tão bonitas e sonoras, que dei por mim a lê-las em alta voz.

Uma outra peculiaridade do livro, a meu ver, foi a abertura que o autor tem para com os seus leitores. Foram muitos interessantes as primeiras páginas onde Samuel nos explica como, por vezes, cruza caminhos com Lise, a "entidade" que, aos olhos do escritor, concedeu "O relógio".

Um livro para ler, e reflectir...

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

11

Série: O Barco


Título Original: El Barco
Ano de estreia: 2011
Género: Mistério, Drama, Ação
Nº Episódios: 43
Produtores: Daniel Écija, Álex Pina e Iván Escobar


A transmissão da série espanhola “O Colégio da Lagoa Negra” terminou muito recentemente em Portugal e deixou para trás imensos fãs que se renderam à sua imensa qualidade. Por isso mesmo, não será de estranhar que muitos deles estejam agora a acompanhar mais uma produção de nuestros hermanos que se assemelha a “O colégio da Lagoa Negra” na fórmula escolhida: muito mistério, cenas carregadas de drama e alguma ação. Estou a falar, claro está, da série que conquistou milhões de pessoas em Espanha – “O Barco”.
  
A história começa quando um grupo de 40 estudantes do ensino secundário é selecionado para participar numa viagem de dois meses a bordo do barco Estrella Polar, graças a uma bolsa financiada pelo estado para dar a oportunidade aos jovens de aprender mais sobre a fauna marítima e o dia-a-dia de uma tripulação em alto mar.
Contudo, a tripulação também acolhe uma cientista, Julia Wilson, pensando que esta irá apenas desempenhar a função de professora dos 40 alunos quando, na verdade, a mulher está envolvida num projeto científico sem precedentes.
A tragédia acaba por ocorrer quando, numa das primeiras noites a bordo, Julia Wilson estabelece uma ligação via skype com os seus colegas cientistas em terra e descobre que o acelerador de partículas que os mesmos andam a construir há vários anos não está a funcionar bem, acabando por causar o maior desastre que a Terra alguma vez sofreu – um buraco negro que surge e faz com que 99% da superfície terrestre fique submersa.
Os tripulantes a bordo do Estrella Polar apenas se apercebem de uma enorme tempestade sem imaginar que muito em breve irão ficar a par de uma terrível notícia: provavelmente serão as únicas pessoas vivas à face da terra e o barco é o que mais parecido com terra firme existe.
Como irá o capitão do barco, o experiente Ricardo Montero, lidar com esta situação limite? Como irão as dezenas de pessoas a bordo do Estrella Polar reagir a uma tal tragédia? Serão capazes de encontrar o 1% de terra firme que sobreviveu ao desastre?
  
Esta série tem tudo para se tornar numa grande história: atores soberbos, o que não me surpreendeu de todo depois de ter visto a qualidade dos atores espanhóis na série “O Colégio da Lagoa Negra”, uma história poderosíssima e original e uma produção excecional.
O simples facto de tudo se passar a bordo de um simples barco causa no espetador uma sensação de claustrofobia e aflição constante, ao se perceber o quão frágil é toda a situação.
O fator psicológico também ganha um papel de destaque em “O Barco” ao ser possível acompanhar-se as diferentes reações que cada indivíduo tem a bordo do Estrella Polar e como é que cada um lida com a colossal tragédia que se abateu sobre eles.
E, como se tudo isto não fosse suficiente, o grande destaque para esta série está na sucessão de acontecimentos interessantes que prendem o espetador ao ecrã sempre na expectativa de descobrir que mais é que poderá acontecer a bordo de um simples barco e como é que estes sobreviventes conseguirão resistir num mundo tão inóspito.
Esta é uma série que recomendo a todos os amantes de histórias de mistério e muito drama à mistura. Acredito que esta também se tornará numa das melhores séries que alguma vez vi. Recomendo!  
3

76º Passatempo do FLAMES (em parceria com a Editora Europa-América)



 
Como sabem em Dezembro estreia a segunda parte do filme "O HOBBIT" e, como sabem, aqui no FLAMES gostamos MUITO de cinema e de literatura. Quem é como nós?

Em parceria com a editora Europa-América temos para oferecer 1 EXEMPLAR do livro para vos oferecer, para que fiquem a par da história que inspirou o filme.

Preencham o formulário em baixo e... BOA SORTE!


Notas:
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante

 a sua entrega;
- Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail

enviando-nos os seus dados; findo esse prazo, na ausência de uma resposta, o FLAMES
sorteará um novo vencedor;
- Caso não vos apareça a setinha para descerem (no formulário), cliquem nele e desçam

 usando a seta do teclado :) Qualquer problema adicional, contactem-nos.

PASSATEMPO TERMINADO!

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

8

1000 seguidores


Obrigada a todos os que nos segue... são já... 1000 seguidores no BLOGUE :) 



1

75º Passatempo FLAMES (em parceria com a editora Livros de Ontem)

QUEM AMA POESIA?
Temos, em parceria com a editora LIVROS DE ONTEM, um livro para vos oferecer! Trata-se do "O Relógio" de Samuel Pimenta (Vencedor do concurso Jovens Criadores 2012).


Para se habilitarem a ganhar este livro, preencham o novo formulário que se encontra em baixo e... BOA SORTE (Podem partilhar uma vez por dia o passatempo e, assim, ganhar mais uma participação extra).

Se tiverem dúvidas com o novo formulário,  contactem-nos ou por comentário em baixo, ou pelo mail flamesmr@gmail.com, ou pelo formulário de contacto ao lado.

a Rafflecopter giveaway
 
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante a sua entrega; esta será, gentilmente, feita pela Editora;
- Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail enviando-nos os seus dados; findo esse prazo, na ausência de uma resposta, o FLAMES sorteará um novo vencedor;
0

Livro: 50 Milhões de fãs não podem estar enganados


Editora: Bizâncio
Link do livro no site da editora: http://www.editorial-bizancio.pt/coleccoes.php?col=15&id=546
Pág.: 132
Número: 9 (pode ser lido independentemente dos outros)
ISBN: 978-972-53-0532
Ano: 2013
Autor: Stephan Pastis

Pérolas a Porcos, de Stephan Pastis, é uma colecção de tiras de BD. Algumas são absolutamente hilariantes, outras apresentam críticas à sociedade e a outras obras/autores.
O livro começa logo com uma "carta" comovente do autor a uma das pessoas que o inspiraram, não só para a construção deste livro, mas para toda a sua vida: um militar que perdeu a perna e que conheceu numa acção de voluntariado.
Tira a tira, Pastis apresenta-nos imensas personagens em diversas situações caricatas. Cada personagem tem as suas características (mais ou menos estereotipadas).

Assim, as personagens que compõem este livro são:

Rato - arrogante e egocêntrico, gosta de gozar com todos e tem ideias "brilhantes" que acabam por colocar os outros em algumas más situações;

Porco - lento de cabeça, ingénuo e vítima do escrutínio do rato, é impossível não se afeiçoar a ele;
Crocs - crocodilos que passam as tiras todas a tentar capturar uma zebra mas que, no entanto, não primam pela inteligência pelo que nunca conseguem atingir os seus fins. Têm a sua maneira própria de falar;
Zebra - sempre a ser atormentada pelos crocodilos, tem de estar continuamente alerta para não ser apanhada por eles;
Bode - a personagem rabugenta mas inteligente que gosta de ser tratada com o devido respeito;
Pato - soldado, gosta de ser prestável, mas nem sempre o consegue;
Gato - a minha personagem favorita. Absolutamente lindo, fofinho e delicioso, o gato não aparenta ser aquilo que é...

Mas estas não são as únicas personagens. Por vezes somos presenteados com personagens reais (como o próprio autor da tira), ou mesmo personagens de outras tiras de BD.

É um livro fortemente influênciado pela conjectura nacional (E.U.A.) que se vive, pelo que deve ser lido nesse espaço temporal, ou pelo menos é necessário que o leitor tenha algum conhecimento sobre a forma como a sociedade americana se comporta "actualmente" para que possamos enquadrar (e entender) bem algumas das histórias.

Um livro que aconselho vivamente aos amantes deste género.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

2

Evento: MTV EMAs 2013




Para muitas pessoas esta é uma das maiores cerimónias de prémios musicais do mundo: alguns dos nomes mais sonantes do panorama musical atual fazem questão de marcar presença nesta conhecida festa organizada pela MTV, que pretende premiar os melhores de entre os melhores que encantaram fãs em todo o mundo no último ano.
O passado Domingo não foi exceção e, na bela cidade de Amsterdão, organizou-se mais uma edição dos MTV EMAs, desta vez apresentada pelo divertido e irreverente membro dos LMFAO RedFoo.
Ao longo da cerimónia houve atuações para todos os gostos, desde a provocante Miley Cyrus, que continua a tentar de tudo para provar que já não é uma menina da Disney, passando pelas atuações fenomenais dos The Killers e dos Imagine Dragons que levaram a plateia ao rubro, até ao incontestável rei do Hip Hop, Eminem, que teve uma atuação que comprovou porque é considerado um dos maiores artistas do mundo da música de sempre.
Mas as atuações são apenas um adereço se considerarmos o principal objetivo desta cerimónia: atribuir prémios. Por isso mesmo, sem mais demoras, apresento-vos a lista dos vencedores das principais categorias:
 

Melhor canção:
 
Bruno Mars – “Locked out of heaven” (VENCEDOR)
Daft Punk feat. Pharrell Williams – “Get Lucky”
Macklemore e Ryan Williams – “Thrift Shop”
Rihanna – “Diamonds”
Robin Thicke feat. T.I. e Pharrell Williams – “Blurred Lines”

 
Melhor artista pop:

One Direction (VENCEDORES)
Justin Bieber
Katy Perry
Miley Cyrus
Taylor Swift

 
Melhor artista feminina:

Katy Perry (VENCEDORA)
Lady Gaga
Miley Cyrus
Selena Gomez
Taylor Swift

 
 Melhor artista masculino:

Justin Bieber (VENCEDOR)
Bruno Mars
Eminem
Jay Z
Justin Timberlake

 
Melhor atuação ao vivo:

Beyonce (VENCEDORA)
Green Day
Justin Timberlake
Pink
Taylor Swift

 
Melhor artista revelação:

Macklemore e Ryan Williams (VENCEDORES)
Bastille
Icona Pop
Imagine Dragons
Rudimental
 

Melhor artista rock :

Green Day (VENCEDORES)
Black Sabbath
Kings of Leon
Queens of the Stone Age
The Killers

 
Melhor artista alternativo:

Thirty Seconds to Mars (VENCEDORES)
Arctic Monkeys
Fall Out Boy
Franz Ferdinand
Paramore

 
Melhor artista hip hop:

Eminem (VENCEDOR)
Drake
Jay Z
Kanye West
Macklemore e Ryan Williams

 
Melhor videoclip:

Miley Cyrus – “Wrecking Ball” (VENCEDORA)
Justin Timberlake – “Mirrors”
Lady Gaga – “Applause”
Robin Thicke feat. T.I. e Pharrell Williams – “Blurred Lines”
Thirty Seconds to Mars – “Up in the Air”
 

Prémio artista Global:

Eminem (VENCEDOR)
 

terça-feira, 12 de novembro de 2013

0

Passatempo: 74º Passatempo do FLAMES (em parceria com a Editorial Bizâncio)


Temos, em parceria com a Editorial Bizâncio, o mais recente livro de uma coleção reconhecida em todo o mundo para vos oferecer , o livro “Pérolas a porcos 9 – 50 milhões de fãs não podem estar enganados” de Stephan Pastis:





Sinopse:

“Pérolas a Porcos, de Stephan Pastis, é o relato, tira a tira, da história de dois amigos:
o Rato, arrogante e egocêntrico, e o Porco, lento de cabeça, penosamente ingénuo,
um «ursinho de peluche». Acompanham-nos a Zebra, ativista dos direitos herbívoros;
o Bode, um crânio relutante que gosta de ser tratado com o devido respeito;
 e os Crocs obsessivamente carnívoros. Com esta trupe diversa, Pérolas traça uma caricatura
deliciosa dos defeitos e limitações da natureza humana.  
Senhoras e Senhores, o espetáculo continua…”
Têm até ao dia 21 de Novembro para participar.
Podem inscrever-se uma vez por dia, por isso já sabem: quantas mais vezes se inscreverem mais
hipóteses têm de ganhar!
Preencham o formulário abaixo disponibilizado e Boa Sorte!!!
Notas:
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante

 a sua entrega; esta será, gentilmente, feita pela Editora;
- Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail

http://www.editorial-bizancio.pt/images/spacer.gifenviando-nos os seus dados; findo esse prazo, na ausência de uma resposta, o FLAMES
sorteará um novo vencedor;
- Caso não vos apareça a setinha para descerem (no formulário), cliquem nele e desçam

 usando a seta do teclado :) Qualquer problema adicional, contactem-nos.

PASSATEMPO TERMINADO - FOTO DO PRÉMIO E VENCEDORA AQUI - https://www.facebook.com/103707256336074/photos/a.513319578708171.116780.103707256336074/717625818277545/?type=3&theater

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

3

Livro: O grande conspirador



Editora: Saída de Emergência
Ler excerto do livro: Cliquem AQUI
Informações sobre o Livro: AQUI
Nº de Páginas: 352

Este livro é a sequela do best seller "A conspiração de papel" (de que já falei num post anterior). Aqui vamos continuar a seguir as aventuras de Benjamin Weaver, espadachim exímio, ex-boxeur e actual caça ladrões. Encontramo-lo, logo no início no livro, no momento em que acaba de ser condenado por um crime que, há partida, não cometeu.
Se leu "A conspiração de papel" há algum tempo não se preocupe pois o autor vai enquadrando a história, não só tendo em conta o livro anterior, mas também faz um trabalho brilhante ao enquadrar o livro em termos politicos e sociais. 
A meu ver esta obra é mais cuidadosa nessa vertente histórica o que o torna num livro ainda mais didáctico, sem a vertente maçuda que caracteriza alguns dos romances deste género.
Tudo isto é acompanhado pelo humor que caracteriza as obras do autor e que, a meu ver, está ainda melhor conseguido aqui. De facto, já tinha afirmado que "A conspiração de papel" era o romance histórico mais divertido que já li, mas agora deparo-me com a necessidade de ter de discurdar de mim própria pois este segundo volume, nesse aspecto, é ainda mais genial. Dei sonoras gargalhadas com algumas passagens do livro, quase sempre associadas a Elias (a minha personagem favorita). Para além dele ser super divertido, é mulherengo, só pensa em dinheiro e comida boa e passa a vida a tentar convencer o amigo que este deve submeter-se a uma sangria (pratica médica muito utilizada na altura). Quando Elias aparece, o humor é garantido. Todos devíamos ter um Elias na nossa vida.

Apesar de "A Conspiração de Papel" e "O grande conspirador" serem memórias relatadas na primeira pessoa pela personagem principal (Benjamin Weaver), neste segundo livro o leitor sente-se um verdadeiro confidente das mágos do nosso herói. De facto, Benjamin conversa muito connosco e confidencia-nos sentimentos, revoltas e mágoas tendo o cuidado de nos ir colocando a par sobre as suas actividades anteriores (para o leitor mais esquecido ou para aquele leitor que não queira ou não possa ler o primeiro volume). E assim, a leitura torna-se fluída e simples, interessante e repleta de intriga e mistério.

Traições, aventuras, violência, tramas e intrigas não faltam neste livro, tudo regado com muita cerveja e vinho (por vezes de péssima qualidade), passado em prisões, clubes privados, ruas pobres e sujas de Londres... Um livro que aborda questões políticas oitocentistas e que, estranhamente, me soam bastante actuais..!

Resta-me esperar que as aventuras de Weaver não terminem aqui...

Por: Roberta Frontini

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

0

Livro: O Silo


 
 
Título Original: Wool
Ano de Edição: 2013
Género: Ficção Científica
Nº Páginas: 528
Autor: Hugh Howey
Editora: Editorial Presença

 

São vários os percursos que um escritor pode percorrer para atingir o estrelato, mas poucos o conseguiram fazer como Hugh Howey fez. O desconhecido escritor independente decidiu publicar a sua obra na plataforma Kindle da Amazon sem imaginar que depressa o seu livro se tornaria num dos maiores bestsellers da Amazon de 2011. Imediatamente, editoras em todo o mundo ficaram interessadas nesta história de sucesso. Tinha sido descoberta uma estrela.
  
A história de “O Silo” decorre num mundo pós-apocalíptico, num mundo completamente devastado e inabitável.
As únicas formas de vida existentes encontram-se num silo gigante subterrâneo com várias dezenas de níveis que servem de casa a milhares de pessoas.
Esta é a realidade conhecida há já várias gerações, pelo que ninguém sabe como era o mundo antes da vida no silo. A sua visão do exterior resume-se à transmissão de imagens captadas por câmaras de vigilância estrategicamente colocadas do lado de forma da estrutura gigantesca.
Ao longo de gerações, uma sociedade foi-se formando no interior do silo com as suas regras próprias, crenças e verdades.
Contudo, há sempre aqueles que não se contentam com aquilo que lhes é dito, há sempre aqueles que questionam as verdades instauradas e se perguntam o que existirá realmente para além da distante colina que as câmaras captam no exterior. São esses que não têm medo de quebrar as regras, de ignorar os tabus e de arriscarem a própria vida para conhecer o exterior da única realidade que conhecem – o silo.
 
A minha expetativa inicial era muito elevada, ou não houvesse várias críticas em todo o mundo a comparar esta obra de Hugh Howey a clássicos incontornáveis como “1984” de George Orwell e “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley.
E deve haver muito poucas coisas melhores do que terminar um livro e verificar que este correspondeu exatamente àquilo que era expetável!
A história é muito interessante e viciante: o autor vai apresentando novos elementos ao longo do livro e, assim, o leitor é constantemente surpreendido com novos factos, novas informações que alteram por completo a corrente de acontecimentos. A vontade de ler mais uma página torna-se quase compulsiva e deixa-nos agarrados a esta obra.
Mas aquilo de que mais gostei foi mesmo a incrível capacidade que o autor possui para criar uma realidade completamente nova a partir do zero. Ao imaginar uma sociedade que apenas conhece o interior de um enorme silo, Hugh Howey conseguiu descrever-nos um mundo novo até ao mais ínfimo pormenor: todas as leis, organização da sociedade, o valor atribuído a certos objetos e a formação de crenças foram pensados e descritos de forma exímia.
 
O resultado é um livro que apaixona qualquer leitor de ficção científica e que só conseguirá pousar este livro no último ponto final.
Um livro que aconselho!
1

73º Passatempo FLAMES (em parceria com a editorial Presença)


TEMOS 1 EXEMPLAR DESTE LIVRO PARA OFERECER. Preencham o formulário e.. BOA SORTE!


O Jogo Final de Orson Scott Card
Título Original: The Ender's Game
Páginas: 296

FILME ESTREIA EM PORTUGAL A 7 DE NOVEMBRO 2013

O Jogo Final é uma obra soberba que tem como protagonista Ender Wiggin, um rapaz em quem o governo  da Terra deposita todas as esperanças. No espaço interplanetário, um exército extraterrestre ameaça aniquilar a humanidade. Desesperados, os homens desenvolvem um programa de defesa que consiste no treino militar intensivo de crianças sobredotadas. Ender é o único que pode garantir a sobrevivência da grande família humana. Mas será ele suficientemente forte para se salvar a si próprio do precipício da loucura? Um livro empolgante, que tem agora uma versão cinematográfica protagonizada por Abigail Breslin, Harrison Ford e Ben Kingsley.

GÉNERO: Ficção e Literatura/Ficção Científica.
PÚBLICO-ALVO: Leitores do fantástico e de ficção científica.

Notas:
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante a sua entrega; esta será, gentilmente, feita pela Editora;
- Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail enviando-nos os seus dados; findo esse prazo, a ausência de uma resposta, o FLAMES sorteará um novo vencedor;
- Caso não vos apareça a setinha para descerem (no formulário), cliquem nele e desçam usando a seta do teclado :) Qualquer problema adicional, contactem-nos.


segunda-feira, 4 de novembro de 2013

0

Série: Fawlty Towers


Fawlty Towers


Ano:  Foi primeiramente emitida em 1975
Género: Comédia
Duração: Cerca de 30 min cada
Nº de Episódios: 12
Temporadas: 2
Criador(es): John Cleese e Connie Booth
País: Inglaterra

Esta é das séries mais divertidas que já vi em todos os tempos e nem sequer sou grande fã de Monty Piton.
Estreada em 1975 e com apenas 12 episódios, Fawlty Towers influenciou grandemente as séries dos anos 70.

História: Tudo se passa num hotel chamado, como devem calcular, Fawlty Towers. Basil Fawlty (John Cleese) é o dono e é casado com Sybil Fawlty (Prunella Scales). Ambos têm a seu cargo um cozinheiro espanhol chamado Manuel (Andrew Sachs) com imensas dificuldades em falar e entender inglês, o que proporciona uma série de situações caricatas, bem como uma empregada, Polly Sherman (Connie Booth) que por vezes tem de ser cúmplice de Basil e ajudá-lo a desenvencilhar-se das várias encrencas em que este se mete. 

Absolutamente hilariante do início ao fim, estes episódios proporcionam minutos de entretenimento garantido, e muitas muitas muitas gargalhadas.

A série ganhou 3 BAFTAs, ambas as temporadas vencendo a categoria "Best Situation Comedy". John Cleese também ganhou o prémio de "Best Light Entertainment Performance".

Curiosidades: Na lista dos 100 melhores programas de televisão britânica, esta série aparece em primeiro lugar.

sábado, 2 de novembro de 2013

0

Passatempo: 72º Passatempo do FLAMES


O mês de Novembro já chegou. Aproximamo-nos a passos largos do final do ano e, por isso mesmo, que tal participarem num passatempo que vos dá a possibilidade de ganhar um livro que encantará o membro mais novo da vossa família?
Pois é, em parceria com a Alfarroba e com o autor João Cunha Silva temos para vos oferecer um exemplar do recentemente editado livro “O Pintas e o Osso de Dinossauro”:



Sinopse:
"E se encontrasses um osso gigante? Um osso tão, tão grande que até parecia um osso de dinossauro. O Pintas descobriu um no jardim lá de casa. O que terá feito com ele?"

Participa até ao dia 11 de Novembro preenchendo o formulário abaixo disponibilizado. Põe à prova a tua imaginação e… Boa Sorte!

Notas:
- O FLAMES não se responsabiliza por extravios ou qualquer dano que o prémio sofra durante a sua entrega; esta será, gentilmente, feita pela Editora; 
- Após o anúncio do vencedor, este tem 4 dias úteis para responder ao nosso e-mail enviando-nos os seus dados; findo esse prazo, a ausência de uma resposta, o FLAMES sorteará um novo vencedor;
- Caso não vos apareça a setinha para descerem (no formulário), cliquem nele e desçam usando a seta do teclado :) Qualquer problema adicional, contactem-nos.


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

0

Lembram-se dos Power Rangers?


Jason Frank, por alguns tempos, ficou conhecido como sendo Tommy, o "Ranger Vermelho". Lembram-se?
Nascido em 1973, continua a representar, quer em filmes, quer no MMA - norte americano.
Tinha apenas 19 anos quando foi escolhido para o papel, devido às enormes dotes que possuía a nível das artes marciais.

Foi casados 2 vezes e é pai de 4 filhos.


Jason gosta muito de aderir a algumas redes sociais como o INSTANGRAM- http://instagram.com/JDFFFN# (sigam-no aqui).
Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%