Envie esta página a um amigo!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

4

Anime: O Meu Vizinho Totoro

Título: O Meu Vizinho Totoro
Título Original: Tonari no Totoro
Ano: 1988
Escritor e Realizador: Hayao Miyazaki
Género: Animação e aventura
Duração: 86 minutos


Este foi dos animes que mais nos surpreendeu. Surreal e delicado, consegue prender-nos ao ecrã não só pelas personagens que nos apresenta, mas também pelo invulgar história que nos conta.

Duas meninas (Satsuke e Mei) mudam-se para uma outra casa (no campo) com o seu pai, por forma a poderem estar mais perto do Hospital onde a mãe se encontra internada. E é nesse novo lugar que encontram uma floresta mágica, habitada por estranhas criaturas (os Tototos). E é com eles, que estas duas meninas têm pequenas mas mágicas e inesquecíveis aventuras.

Este foi o primeiro anime que vimos de Miyazaki e ficámos logo fãs, tendo visto todos os seus outros trabalhos. Atenção porque Miyazaki não é um realizador de filmes com muita acção, muitas peripécias, muita história. As suas obras são calmas e delicadas, mas é também isso que gostamos nele.

Aqui fica o trailer:


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

3

Filme: Os três mosqueteiros



Título Original: The three musketeers
Ano: 2011
Género: Aventura, Acção, Romance
Realizador: Paul W. S. Anderson


Filmes sobre os famosos três mosqueteiros e o seu companheiro D'Artagnan já todos estamos fartos de ver, aliás, quem já não ouviu vezes sem conta a máxima "um por todos e todos por um"? Bem, foi exactamente com este espírito que fomos ver este filme a semana passada (depois de insistirem connosco para vê-lo), e foi por isso mesmo que tivemos uma agradável surpresa! 

A história gira em torno de um colar de diamantes que, se não for recuperado pelos mosqueteiros, poderá originar uma guerra entre França e Inglaterra. Tudo isto porque o cardeal de Paris, o Cardeal de Richelieu, arquitectou um plano maquiavélico que, se resultar, fará  com que o jovem e ingénuo rei de França pense que a sua rainha o anda atraír com o chefe do seu país rival, o George Villiers.

Até aqui nada de novo, dirão vocês. De facto, a história base para este filme não é muito original. Contudo, aquilo que nos fez gostar do filme foram as constantes reviravoltas que a história toma ao longo da trama. Quando achávamos que ia surgir um cliché típico deste tipo de filmes, eis que algo que não estávamos à espera acontecia e nos deixava surpreendidas e entusiasmadas! Os pequenos apontamentos de comédia, que nunca faltam nestes filmes, também serviram para torná-lo mais divertido.
Só houve um aspecto de que não gostámos tanto: em algumas cenas, a banda sonora escolhida foi bastante despropositada (não se justifica que, em cenas de relativa acalmia, de repente começasse uma música épica que mais fazia lembrar o clímax de uma grande batalha). Mas, tirando este pequeno pormenor, achamos que este filme, com certeza, agradará à maioria dos fãs da história dos lendários mosqueteiros, pois não faltam aqui os grandes duelos de espadas, os grandes palácios com a alta nobreza e as belas paisagens e monumentos da cidade berço dos mosqueteiros - Paris.

Fiquem com o trailer:



                                                                                                                                                                                        


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

0

Livro: O Chalé de Cork


Título: O Chalé de Cork
Autor: Quinto Arantes
Edição: 2010
Nº de páginas: 68

    Não lemos este livro por conhecermos o autor, nem por nos terem falado nele. Houve algo neste livro que não nos fez resistir: foi o facto de uma parte das receitas deste livro reverter a favor de uma associação: a AMA (e nós nunca ficamos indiferentes a estas coisas).
    O livro está muito bem escrito, mas talvez tenha um defeito: é que nos cria muitas expectativas e depois termina abruptamente (e nós somos curiosas e queríamos mais) ;).

   No entanto é um livro giro, escrito em português (por um português) e que pretende ajudar uma associação (o que é que queríamos mais?) ;).

   A história é muito simples: o protagonista sai da sua terra natal para se tentar encontrar como pessoa. Na tentativa de responder à sua crise existencial, refugia-se numa comunidade agrícola, com regras muito especiais... Uma comunidade no verdadeiro sentido da palavra, onde os sentimentos e as emoções, os laços e as tarefas são partilhadas por todos. 

Um livro pequenininho que aconselhamos a todos a ler ;) 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

0

Entretenimento: Important things with Demetri Martin


Ano de Estreia: 2009
Nº Temporadas: 2


Vamos correr o risco de falar de um programa muito pouco conhecido em Portugal. Contudo, não conseguimos evitar fazê-lo pois este é, sem dúvida, um dos nossos programas televisivos preferidos de sempre!
Em "Important things with Demetri Martin" o apresentador, o próprio Demetri Martin, fala-nos das coisas mais importantes da vida (ou melhor, as que ele considera importantes...) sob um ponto de vista muito original e caricato. Comediante nato, Demetri consegue surpreender-nos a cada episódio com as conclusões mais absurdas e engraçadas acerca de TUDO o que conseguirem imaginar. Não há um assunto que ele não aborde e fá-lo sempre de uma forma divertida e, surpreendentemente, lógica.
Ainda está para ser feito o episódio deste programa que não nos faça rir às gargalhadas, tal é o talento, sagacidade e inteligência de Demetri Martin.

Para quem nunca ouviu falar deste programa mas ficou curioso, aqui fica o link da Comedy Central através do qual podem ver vários sketchs de "Important things with Demetri Martin". Divirtam-se!!!

1

8º PASSATEMPO do FLAMES: RESULTADOS

Obrigada a TODOS os 120 Participantes neste passatempo!!

A vencedora é a MARISA FERREIRA!!! Parabéns Marisa. Vamos entrar em contacto contigo pelo e-mail!

Por favor, continuem a vir ao FLAMES e a participar nos nossos passatempos.

domingo, 16 de outubro de 2011

1

Livro: Não sei como ela consegue


 A Editorial Presença está a oferecer um destes livros a um dos nossos leitores. Também nós lemos o livro, mas antes de vos deixarmos a nossa opinião, aqui fica o que se encontra na capa do livro:

“Kate Reddy trabalha numa das mais antigas e distintas instituições do coração financeiro de Londres, a Edwin Morgan Foster. Para esta mulher de sucesso, o dia devia ter no mínimo 48 horas! É que ser casada e mãe de dois filhos exigentes (a Emily de 5 anos e Brian de 1) não é tarefa fácil para quem quer manter-se no topo de uma empresa igualmente exigente.
Kate está habituada a contar os segundos tal como as outras mulheres contam calorias, sendo apenas uma vitima da “falta de tempo” que afecta milhões de mães que trabalham neste inicio do século XXI. Desde as empadas caseiras que tem de fazer para a filha levar para a festa da escola, até lembrar-se de verificar o Dow Jones, cancelar tratamentos de beleza e arranjar tempo para sexo, Kate vive numa constante corrida contra o tempo! A sua única distracção consiste nos e- mails que recebe de um cliente seu admirador…
Deixe-se impressionar por esta hilariante tragicomédia sobre o sucesso, contada na primeira pessoa sob a forma de diário, um pouco ao estilo de O Diário de Bridget Jones. Tal como este bestseller, Não sei como ela consegue foi objecto de uma adaptação ao cinema com estreia em 2011…”

e nós cá deixamos o trailer:




Relativamente à nossa opinião do livro: Gostámos muito de o ler. 
Não sendo o nosso estilo de livro, tem uma leitura simples e cativante que nos faz desligar um pouco da realidade (sejamos sinceras, também nós nos sentimos um pouco como Kate). O livro, muitas vezes, tem termos, expressões e referências que não conhecemos bem devido ao facto de não sermos de Inglaterra, mas as notas de rodapé oferecidas pela tradutora do livro fazem toda o sentido e integram-nos ao longo da leitura. É também um livro bastante divertido e irónico e, talvez por a autora ser jornalista, a escrita é muito simples e fluida. É escrito na primeira pessoa, o que também ajuda à fluidez da leitura, e alterna descrições da protagonista com e-mails que envia (e as suas respostas), que têm a função de quebrar um pouco o tipo de escrita; bem como as listas que Kate vai fazendo (que temos a certeza que muitas meninas que estão a ler isto também fazem). 

É um livro interessante, que nos afasta um pouco do nosso dia-a-dia e nos faz conhecer a realidade de Kate que, cada vez mais, se assemelha ao dia-a-dia de muitas das mulheres de sucesso de hoje. Não somos mães, mas a autora tenta também, com o livro e usando ironia e bom humor, dar algumas “dicas” para mães atarefadas como ela. 

Ah, e ser virem o filme, não se esqueçam de dar uma espreitadela também ao livro. Ainda não o vimos, mas somos apologistas de que, em geral, o livro costuma valer sempre mais a pena. 

Alguém leu o livro? Estão a pensar ler? O que acham? E aproveitem para tentar ganhar um exemplar participando no nosso 8º passatempo!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

6

Série: Camelot



Título Original: Camelot
Ano: 2011
Nº Episódios: 10
Género: Drama, Histórico, Fantasia
Produtor: Michael Hirst e Chris Chibnall


Há muito tempo que não desistíamos de ver uma série, mais precisamente desde "Heroes". Mas a verdade é que "Camelot" não nos deu outra hipótese...

Tinha tudo para ser uma grande série: baseada na lenda de Camelot, a história apresenta-nos Arthur, um jovem criado como pebleu que, na verdade, é o filho herdeiro do rei Uther. Quando o governante morre, o feiticeiro Merlin decide encontrar o jovem e transformá-lo no rei que ele sempre foi. Contudo, a tarefa de Arthur não será fácil pois a sua meia-irmã Morgana, uma perigosa feiticeira, estará disposta a tudo para ficar com o trono. 


O nosso fascínio por histórias da época medieval levou-nos a aguardar com imenso entusiasmo pela estreia de "Camelot" desde o primeiro dia em que ouvimos falar dela. Contudo, tal como se costuma dizer, "quanto mais alto o vôo maior a queda".
Os episódios são extremamente aborrecidos e dolorosamente previsíveis. Se estivessemos  na década de 90, esta série teria tudo para ser um sucesso, mas a elevada qualidade das séries dos dias de hoje não nos permite ter paciência suficiente para ver os 10 episódios de "Camelot" (desistimos ao fim do 6º episódio).
E, pelos vistos, não fomos as únicas a não ficar agradadas com esta história pois soubemos há pouco que a série foi cancelada e não serão feitos mais episódios. A isto chamamos "uma óptima decisão"!

Fiquem com o trailer que nos "enganou":

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

2

8º PASSATEMPO do FLAMES


    A Editorial Presença vai publicar no dia 18 de Outubro de 2011 o livro "Não sei como ela consegue". O FLAMES ainda não teve oportunidade de o ler para vos dar a nossa opinião, mas irá fazê-lo e irá postar aqui o que acha do mesmo. 

   Mas porque o FLAMES não gosta de ler sozinho, a Editorial Presença teve a gentiliza de nos dar 1 EXEMPLAR do livro para que um dos nossos leitores o possa levar para casa para ler. 

  Queres ganhar este livro? Então preenche o formulário em baixo. 
  Entretanto, vamos deixar algumas informações sobre o livro:

Título: Não Sei Como Ela Consegue
Autora: Allison Pearson
Preço com IVA: 16,90€



segunda-feira, 10 de outubro de 2011

3

7º Passatempo do FLAMES - RESULTADOS

 
Mais um passatempo terminou e, finalmente, chegou a altura de anunciarmos os três vencedores que irão receber este livro!!!!!!! Agradecemos, novamente à Editorial Bizâncio que vos vai enviar os prémios!

Queremos agradecer também a todos os restantes participantes. Esta não foi a vossa vez, mas continuem a participar e irão, com certeza, ganhar. Aproveitamos, desde já, para avisar-vos que mais passatempos estão prestes a chegar, por isso... Estejam atentos!!

Mas avancemos para aquilo que realmente interessa, os Vencedores! 

As três "felizardas" que irão ganhar um exemplar do livro são:

- Diana Matias
- Filipa Fontana
- Magali Martins

Muitos parabéns e...boas leituras!!
 
Ah, é verdade, ontem foi o aniversário de John Lennon :)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

2

Entretenimento: Agora ou Nunca




A televisão em Portugal nunca mais foi a mesma depois de um dos programas mais emblemáticos da década de 90 !
Entre 1996 e 1998 a Sic transmitiu o programa "Agora ou Nunca", tendo como apresentador o conhecido Jorge Gabriel. Basicamente, o objectivo do programa consistia em desafiar os concorrentes a enfrentarem os seus maiores medos (verdadeiras fobias para alguns!) a troco de dinheiro. Jorge Gabriel ia aumentando o prémio até um determinado limite e aí chegávamos a um momento de decisão: é "agora ou nunca"! As reacções dos concorrentes eram as mais diversas, sendo que alguns se recusavam a enfrentar o seu medo a troco de qualquer quantia enquanto outros acabavam por ceder e, depois de minutos de verdadeiro suplício proporcionados pelos desafios colocados pelo apresentador, iam para casa com mais umas notas no bolso.
Mas estaríamos a ser tremendamente injustas se nos ficássemos por aqui na descrição de tal concurso, pois ainda não referimos um momento, ou melhor, o MOMENTO em que Portugal parou para rir. Tudo aconteceu no mítico episódio em que um senhor, com um terrível medo de iguanas, decidiu enfrentar todos os seus receios e tentar levar o dinheiro para casa.



A reacção do senhor enquanto Jorge Gabriel lhe colocava a iguana na cabeça foi tão desproporcionada que ainda hoje é o dia em que muitos se referem ao concurso como o "concurso do ponha ponha ponha" (expressão incessantemente repetida pelo concorrente). Nunca mais se soube nada do pobre senhor, mas hoje, numa onda de nostalgia pelos fantásticos anos 90, não pudemos deixar de relembrar convosco um momento que ficará para sempre nas nossas memórias.

Aqui está o precioso vídeo para relembrarem ou, no caso de alguns, para verem pela primeira vez (Nota: tentem ignorar o facto de o Jorge Gabriel aparecer vestido de uma forma estranhamente semelhante a um padre....). Enjoy:






domingo, 2 de outubro de 2011

0

Entretenimento: Speedy EGGBERT

SPEEDY EGGBERT
Jogo de PC
Gênero: Aventura

Descrição do jogo: A personagem que controlamos é um ovo amarelo que tem o objectivo de apanhar caixas com tesouros passando por vários obstáculos: fogo, vento, bombas, etc. O objectivo é passar por 35 níveis. Para o ajudar, encontram-se vários itens à nossa disposição tais como elevadores, helicópteros, carros, jipes, etc. 

Para os dias que correm, talvez este jogo não possa ser considerado como pertencente à categoria entretenimento, mas há muitos anos prendeu-nos horas e horas no computador. Por um lado, chamou a nossa atenção por ser um jogo de PC muito simples, mas super viciante. Por outro lado por nos dar a possibilidade de fazer algo que, até lá, nunca tínhamos visto: ERA POSSÍVEL CRIAR O NOSSO PRÓPRIO JOGO. É isso mesmo, podíamos criar várias missões/jogos diferentes e depois podíamos jogar o que tínhamos criado. Passávamos horas a ver quem era capaz de fazer o jogo com um nível de dificuldade superior :)

Este post serve para recordar esse jogo, essas horas... mas também para tentar transmitir a ideia de que fazer jogos simples, mas diferentes é essencial para nos captar a atenção. Dar-nos a possibilidade de criar algo dentro do próprio jogo, é fenomenal... :)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%