Envie esta página a um amigo!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

8

Livro: A Ciganita


Título: A ciganita
Autor: Miguel de Cervantes

Este livro foi, sem dúvida, uma agradável surpresa. Constitui-se, a nosso ver, nujm dos clássicos da literatura e deve ser leitura obrigatória para todos.

Trata-se de uma pequena narrativa que se encontrava, originalmente, no livro de Miguel de Cervantes "Novelas Exemplares" publicada em 1613.

Nesta pequenisssima história conhecemos uma jovem cigana (Precisosa) que, como ganha pão, canta e dança nas ruas da cidade. Um dia, um belo nobre apaixona-se por ela sendo que a ciganita lhe pede, como prova de amor, que ele deixe a sua anterior vida de nobre e passe a viver como cigano com ela e com o seu grupo, antes de se casarem.

É uma história ternurenta, de muita fácil leitura e muito simples que pretende, ainda, ensinar-nos as regras e limites artificias da moral impostos pela nossa sociedade. Enfim, trata-se de uma obra intemporal.

Sobre o autor:
Foi um escrito espanhol, dramaturgo e poeta mais conhecido pela sua obra "Don Quixote".
O trabalho de Cervantes é considerado como um dos mais importantes da literatura

Curiosidades:
Apesar de assinar inicialmente Cerbantes, o autor ficou conhecido como Cervantes.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

7

Manga: Detective Conan

Autor: Gosho Aoyama
Género: Mistério, Policial
Ano: 1994 – até à actualidade
Número de volumes: 70


À primeira vista pode não parecer, mas a verdade é que somos apaixonadas por Mangas (não, não nos referimos ao fruto mas sim a um tipo de arte japonesa que consiste em histórias num formato que normalmente designamos por “banda desenhada”). É um facto que, ao longo dos últimos meses, não temos falado sobre isto e o motivo deve-se pura e simplesmente a uma coisa: falta de tempo! É que com tantas coisas para fazer e tantas coisas para ver, acabamos, às vezes, por ficar sem saber muito bem “para onde nos devemos voltar”. Contudo, há uns dois meses atrás, lá decidimos regressar a esta nossa paixão e começámos a ler um novo Manga.
A escolha era imensa (existem, sem exagero, milhares de Mangas) mas a nossa atenção cedo recaiu sobre um Manga que já tínhamos ouvido falar: Detective Conan. Sendo um Manga muito popular no Japão (e noutros países como Reino Unido, Canadá e E.U.A.), tendo já dado origem a um anime com bastante sucesso, foi com muita curiosidade que começámos a ler esta aventura.

A história apresenta-nos um jovem estudante de 17 anos, Shinichi Kudo, que é um apaixonado por Sherlock Holmes e tudo o que esteja relacionado com mistérios. Muito inteligente, Shinichi, apesar da tenra idade, já por diversas vezes colaborou com a polícia para resolver vários mistérios, à partida irresolúveis. Contudo, num certo dia, Shinichi tem o azar de se cruzar com uma perigosa organização – a Black Organization – e ver a sua vida “voltada de pernas para o ar”. Quando os membros dessa organização se apercebem que o jovem detective sabe mais do que aquilo que eles desejariam, decidem dar-lhe uma substância secreta para eliminá-lo de vez. No entanto, o plano dos criminosos não corre exactamente como eles queriam e Shinichi sobrevive com apenas um senão: o seu corpo voltou atrás no tempo e ficou com o aspecto de uma criança de 7 anos. Assim, o jovem vê-se na necessidade de ocultar a sua identidade, sob o pseudónimo de Conan Edogawa, para que a organização não descubra que sobreviveu e também para que ninguém da sua família e amigos saiba o que lhe aconteceu.
Assim começam as aventuras do detective Conan que tem que perseguir a perigosa organização responsável pela sua situação ao mesmo tempo que resolve inúmeros mistérios que o (pouco eficiente) detective Kogoro Mouri – pai da amiga com quem Conan passa a viver – não consegue resolver.

Ainda estamos MUITO longe de nos podermos considerar adiantadas na história, mas por aquilo que vimos até agora há um conjunto de aspectos positivos e negativos que podemos enumerar:

Positivos:

- Apesar da sua relativa simplicidade, a história consegue “prender-nos”. Temos sempre vontade de ler mais uma página para descobrir o que acontecerá a seguir;
- As personagens sofrem uma evolução gradual ao longo da história o que torna tudo muito mais interessante e imprevisível.

 Negativos:

- Muitos dos mistérios que o detective Conan resolve são bastante simples. Não podemos dizer que sozinhas conseguiríamos chegar à sua resolução, mas quando a descobrimos não conseguimos evitar um certo desapontamento por muitas das vezes a explicação ser algo “simplória” demais;
- Os desenhos (não se esqueçam que se tratam de banda desenhada) são demasiado simples para o nosso gosto. Os traços são muito básicos e a disposição das imagens acaba por ser quase sempre a mesma (quando aquilo que gostámos é que variem e nos surpreendam);
- O elevado número de volumes (embora para alguns possa ser visto como um aspecto positivo) para nós, neste caso em específico, é algo de bastante negativo uma vez que, não sendo uma história FENOMENAL, não nos imaginamos a conseguir chegar ao fim desta colecção (que ainda nem sequer terminou). Achamos que este tipo de história teria muito mais a ganhar se tivesse até uns 30 volumes.

Bem, aqui ficou a nossa opinião sobre um Manga que muitos, tal como nós, poderão achar extremamente longo mas que, na verdade, desde a sua estreia até à actualidade tem tido imenso sucesso. Por isso, se gostam de histórias de detectives e têm vontade de “entrar” numa nova e longa aventura, Detective Conan é o Manga ideal para vocês.

Bons Mangas!

domingo, 21 de novembro de 2010

8

Série: Freaks and Geeks


Género: Drama, Comédia
Duração: 40 min (por episódio)
Criador: Paul Feig
País: U.S.A
Idioma: Inglês

Cast:
Linda Cardellini
John Francis Daley
Becky Ann Baker
Joe Flaherty
James Franco
Samm Levine
Seth Rogen
Jason Segel
Martin Starr

Transmissão original: 25 Setembro 1999 - 8 Julho 2000
Nº de episódios: 18

Esta série foi das mais divertidas que já vimos e, por ser curtinha, vale a pena. É uma série interessante (para quem gostaria de ver como era a vida nos anos 80), crua, e muito ligada à "realidade".
Em Portugal a série ficou conhecida como A Nova Geração. Infelizmente foi cancelada em Julho de 2000 o que originou protesto por parte de milhares de fãs.

É possível que nunca tenham ouvido falar nela uma vez que se trata de uma série muito crua e que foge aos parâmetros de série de sucesso dos tempo modernos.

A trama é simples - Lindsay Weir e o seu irmão Sam frequentam o Liceu McKinley no início dos anos 80 em Detroit. Com a morte da avó, Lindsay deixou de querer ser a menina perfeita que era e passa a frequentar outros amigos (denominados freaks). Assim começam os conflitos com a sua família.

Vemos ainda uma outra perspectiva, a de Sam (e os seu grupo de amigos geeks).

Como personagens principais temos:

Geeks

    * Samm Levine - Neal Schweiber
    * Martin Starr - Bill Haverchuck
    * Sarah Hagan - Millie Kentner
    * Jerry Messing - Gordon Crisp
    * Stephen Lea Sheppard - Harris Trinsky

Freaks

    * James Franco - Daniel Desario
    * Busy Philipps - Kim Kelly
    * Jason Segel - Nick Andopolis
    * Seth Rogen - Ken Miller

É interessante vermos como os nosso pais viviam nos anos 80 e a diferença de dinâmicas familiares, relacionais, escolares, enfim...é interessante ver como as coisas mudaram (ou não) em tão pouco tempo...

Aqui ficam com o trailer:




 

Ainda podem ver episódios no youtube :)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

16

Filme: O grande peixe


Título Original: Big Fish
Ano de estreia: 2003
Género: Aventura, Fantasia, Drama
Realizador: Tim Burton




"A man tells his stories so many times that he becomes the stories, they live on after him. And in that way, he becomes immortal."


Este filme foi uma das maiores surpresas que tivemos nos últimos tempos!
Já há muito tempo (7 anos para ser mais precisas) que ouvíamos falar sobre ele. Contudo, nunca tivemos grande curiosidade em conhecê-lo. Assim, foi com grande surpresa que na semana passada vimos esta fantástica história (que nem a fugaz presença de Miley Cyrus conseguiu estragar) e nos rendemos por completo à genialidade de Tim Burton.

A história é extremamente interessante, sendo bastante diferente daquilo que estamos habituados a ver. No filme, conhecemos Will, um jovem adulto que nunca conseguiu estabelecer uma relação próxima com o seu pai, Edward Bloom. Contudo, agora que este se encontra às portas da morte, Will, numa derradeira tentativa, tenta perceber como foi a vida do seu pai. E é desta forma que acompanhamos as aventuras de Edward Bloom, um jovem aventureiro para quem a sua cidade é demasiado pequena e o mundo inteiro é um lugar de descobertas e desafios infinitos. Assim, aos poucos, Will começa a perceber que a vida é um grande conto no qual nós somos os protagonistas e que, na realidade, somos aquilo em que acreditamos ser!

Não somos muito fãs de Tim Burton, mas desengane-se quem pensa que Big Fish segue os mesmos trilhos de outros filmes deste realizador. Ao contrário dos habituais tons sombrios a que Tim Burton nos habituou, este filme mostra-nos um lado muito mais alegre e colorido. Acompanhado por uma óptima banda sonora e por uma grande interpretação de Ewan McGregor (no papel do protagonista Edward Bloom), este filme conseguiu prender-nos da primeira à última aventura. Mas aquilo que mais destacamos nesta história não são os interessantes diálogos, peripécias engraçadas ou frases emblemáticas, mas sim a sua mensagem final. Foi precisamente por causa dessa mensagem que gostámos tanto do filme. Mas sobre isso não nos podemos alongar pois não queremos estragar o efeito surpresa a quem ainda não viu o filme…

Aqui fica o Trailer (no entanto, aconselhamos a quem quiser ver o filme sem saber nada à partida, como foi o nosso caso, que não veja este Trailer):


Bons Filmes!!

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

6

Livro: Sem Sangue


Livro: Sem Sangue
Autor: Alessandro Baricco
Páginas: +/- 88
Género: Romance/Thriller




História: Numa fazenda isolada, no tempo subsequente ao final da Guerra, um médico vivia com os seus dois filhos onde, um dia, é visitado por quatro homens armados. O médico, o doutor Manuel Roca, é então assassinado, bem como o seu filho mais velho, sendo a filha, Nina, a única sobrevivente e, como tal, testemunha do terrível acontecimento.
Mais tarde, esta "menina" procura um certo "ajuste de contas".

É um romance muito bem escrito, onde conta tudo: quer os diálogos fabulosos entre as personagens, quer as pausas estratégicas, as frases curtas, os "gestos"... escrito quase como se se tratasse de um guião cinematográfico.

O que terá acontecido a Nina anos depois da morte da única família que possuía? E o que quererá ela dos homens que assassinaram o seu pai e irmão?

Este é um livro que, apesar de no início poder ser um pouco difícil de ler, se torna muito interessante. É, sem dúvida, uma das obras que deve constar da vossa lista de leitura (especialmente se quiserem um livro pequenino, rápido e fácil de se ler).

O autor italiano, Alessandro Baricco, é um escritor premiado e dos autores da literatura italiana contemporânea mais traduzidos no mundo.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

4

Anime: Darker than Black


Ano de estreia: 2007
Género: Policial, Acção, Drama, Ficção Científica
Nº episódios: 25 (1ª temporada) + 12 (2ª temporada) + 4 (OVA)
Autor: Tensai Okamura


Sabendo que existem centenas de animes e que a cada ano que passa mais algumas dezenas surgem, muitas vezes temos dúvidas em relação aos animes que devemos começar a ver. Assim, é com grande frequência que gostamos de saber a opinião de outros fãs deste género de animação para podermos “apostar” num anime com boas expectativas (e para evitarmos ao máximo cruzarmo-nos com um novo Neon Genesis Evangelion). Então, numa altura em que procurávamos um novo anime, eis que algumas pessoas começaram a falar de um tal anime que seria muito bom e que valeria mesmo a pena ver – Darker Than Black. É claro que não pensámos duas vezes tal foi a curiosidade que estas opiniões despertaram em nós e, desta forma, lá fomos dar uma olhadela nesta nova história.

Em Darker Than Black conhecemos uma cidade de Tóquio que nunca mais foi a mesma desde que uma estranha construção, denominada por Portão do Inferno (Hell’s Gate), ali surgiu há dez anos atrás. Nessa mesma altura, apareceram pessoas com poderes especiais denominados Contratantes. Estes, outrora seres humanos, adquiriram estranhos poderes em troca de um alto preço: a perda de qualquer tipo de emoção humana. Contudo, são poucos os que conhecem a existência destes Contratantes e aqueles que os conhecem utilizam-nos como agentes e/ou espiões nas mais diversas missões.
Hei é um desses contratantes, que trabalha para uma agência secreta cujo principal objectivo é descobrir os segredos que se escondem por detrás do Portão do Inferno. Contudo, existem pessoas interessadas em manter esses mesmos segredos dificultando, desta forma, o trabalho de Hei e da sua equipa.



Quando terminámos de ver o anime não conseguimos evitar um certo desapontamento. Não por Darker Than Black ser um mau anime mas talvez, admitimos, por irmos com expectativas demasiado elevadas à partida. E isto principalmente em relação à primeira temporada. Nesta, a história desenrola-se numa espécie de “episódios soltos”, ou seja, de uma forma semelhante àquelas séries em que podemos ver apenas alguns episódios para conseguirmos entender a história. Ora, isto é completamente o oposto daquilo que gostamos num anime, pois o que realmente nos consegue fazer apreciar um bom anime são episódios que terminam em aberto e que tornam necessário seguir toda a temporada para conseguirmos ficar a par dos acontecimentos. Contudo, nos últimos episódios desta temporada o autor como que se “redime” e começa a fazer os tais episódios de que gostamos particularmente.



A segunda temporada foi mais do nosso agrado pois já possui o tipo de episódios que mais gostamos. Assim, foi com muito gosto que vimos os 12 episódios, sempre curiosas com o desenrolar dos acontecimentos e cheias de vontade para ver o episódio seguinte. Contudo, reparámos que algo estava “errado” nesta temporada (não pudemos deixar de ter a sensação de que tínhamos perdido alguma informação entre a primeira e segunda temporadas pois alguns aspectos não estavam a fazer muito sentido) e só quando a terminámos e fizemos uma pesquisa mais aprofundada é que percebemos o que se passava (e aproveitamos para deixar aqui um aviso a quem ainda não viu Darker Than Black e tenha intenções de fazê-lo algum dia): existem 4 episódios adicionais que explicam o que se passa no intervalo que decorre entre as duas temporadas. Assim, só depois de vermos esses 4 episódios é que ficámos completamente esclarecidas em relação ao que se tinha passado na segunda temporada.

Concluindo, Darker Than Black, sem ser um anime genial, consegue apresentar-nos uma história muito interessante que vale a pena ficar a conhecer, quanto mais não seja pela originalidade da trama e pela qualidade da segunda temporada. Fica no ar a possibilidade de uma terceira temporada (embora o autor, Tensai Okamura, afirme que tão cedo não tem intenções de fazê-la), já que os fãs desta história continuam a insistir para que esta seja feita e, verdade seja dita, não seria a primeira vez que os pedidos dos fãs fariam um autor mudar de ideias.

Aqui fica o Trailer:


Bons Animes!!

domingo, 7 de novembro de 2010

9

Filmes: Cinderella I, II e III



Como grandes fãs que somos da Disney, não podíamos deixar de falar num dos seus mais fantásticos tesouros: Cinderella

O filme já se encontra na 3ª sequela.



Cinderella I
Data de Lançamento: 4 Março 1950
Género: Animação, Musical, Romance
3 Nomeações para óscares
Duração: 74 minutos

A história é bastante conhecida: Cinderalla vivia feliz com os seus pais até que a mãe morre. O pai volta, então, a casar-se com uma terrível mulher que já é mãe de duas meninas - Drizella e Anastasia. 
A pobre Cinderella, no entanto, é muito azarenta e, uns tempos mais tarde, também o seu pai morre. Assim passa a ser a "empregada" da madrasta e das irmãs, até ao dia em que o rei decide fazer um baile para convidar todas as moças do reino por forma a arranjar uma mulher para o príncipe encantado... e pronto, o resto da história já toda a gente conhece.


Aqui fica o trailer:



Cinderella II
Data de Lançamento: 26 Fevereiro 2002
Género: Animação, Musical, Romance
Duração: 73 minutos

A primeira sequela do filme explora o que aconteceu após o casamento de Cinderella com o principie. Explora um pouco a vida da princesa no castelo e do que ela faz para se tentar integrar na sua nova vida.
Em paralelo com a história de Cinderella entramos em contacto com uma nova história de amor na qual a protagonista é uma das sua irmãs - Anastasia.
Parece-nos ter sido até uma boa sequela e é, sem dúvida, um bom filme para ver (especialmente para quem ama os filmes da Disney). Na nossa opinião, não vão perder tempo em vê-lo. Como é óbvio, não é tão bom como o primeiro (nem tão bom como muitos dos filmes criados pela Disney), mas vale a pena!

Aqui fica o trailer:



Cinderella III

Data de Lançamento: 6 Fevereiro 2007
Género: Animação, Musical, Romance
Duração: 70 minutos

Esta sequela já é completamente diferente da outra.
A história? A madrasta de Cinderella consegue a varinha da fada madrinha e consegue voltar atrás no tempo, até ao momento em que se descobre que Cinderlla é a dona do sapatinho de cristal que foi deixado no castelo. O que acontecerá a partir daqui? Bem, para conseguir responder a esta pergunta vão ter de ver o filme, e mais uma vez acreditamos que não se vão arrepender. Na nossa opinião, no entanto, existe uma clara falta de de ligação entre este 3º filme e o 2º que, apesar de não ser obrigatório, acaba por não fazer muito sentido, sendo que poderia ser uma questão muito facilmente contornada (mas não podemos desvendar segredos)...


Aqui fica o trailer...


Já viram estes filmes? Gostariam de ver? Deixem-nos o vosso comentário...

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

12

Livro: Felicidade

Título Original: Happiness
Autor: Will Ferguson
Género: Comédia, Aventura
Ano: 2003
Páginas: 335


Quem é que nunca olhou para uma montra de uma livraria e se deparou com os mais diversos manuais de auto-ajuda? Os milagrosos livros que prometem revolucionar a nossa vida de uma forma simples, barata, rápida e indolor?! Há de tudo um pouco: livros para deixarmos de fumar, livros para percebermos como usar as beterrabas a nosso favor e chegar ao Verão com um corpo escultural…
Agora imaginem um livro que permitiria às pessoas perder peso, deixar de fumar, curar o vício do jogo, do alcoolismo, da toxicodependência, atingir o equilíbrio interior, ganhar dinheiro, melhorar a sua vida sexual, etc. ... fazendo com que se tornassem mais auto-confiantes, altruístas, em paz e auto-suficientes? Sem esquecer que também poderiam melhorar a sua ortografia e a sua postura? E melhor ainda: imaginem que esse livro existia e realmente FUNCIONAVA?

Pois bem, é esta a premissa para a hilariante história que Will Ferguson nos apresenta em “Felicidade”.

O protagonista é Edwin de Valu, um jovem editor que simplesmente odeia a cidade onde vive, o seu patrão, os seus colegas (excepto a sua colega May por quem tem uma paixoneta), tem medo da sua mulher e não percebe como é que após tantas horas passadas no ginásio continua a ser “um saco de ossos”.
Contudo, a sua vida está prestes a mudar, ou melhor, TODO O MUNDO está prestes a mudar quando num dia não muito especial vai parar às mãos de Edwin um manuscrito de um desconhecido autor – Tupak Soiree – intitulado: “O que aprendi na montanha”. A primeira reacção de Edwin é lançá-lo para o lixo mas quis o destino (ou melhor, a pressão do odiado patrão para apresentar algum livro para publicação num tempo recorde) que o livro acabasse por ser publicado.
E é assim que o fim do mundo começa, quando este livro de mais de mil páginas, cheio de erros de gramática e sem qualquer ponta de credibilidade se torna no melhor best-seller de sempre e as pessoas decidem começar a viver seguindo os seus princípios “à risca”.

Foi completamente por acaso que comprámos este livro (uma vez que nunca tínhamos ouvido falar nem do livro nem do autor) quando numa feira do livro nos deparámos com ele a um preço verdadeiramente apetecível. E ainda bem que o fizemos, pois simplesmente adorámos esta história! Will Ferguson apresenta-nos, com um humor sarcástico, uma divertidíssima história que faz o leitor rir do início ao fim; com uma escrita muito agradável e uma imaginação, no mínimo, muito fértil. Mas o que torna este livro ainda mais interessante é o facto de, no meio de piadas e caricatas situações, o autor conseguir fazer uma dura crítica à sociedade ocidental e à sua obsessão pela felicidade. Desta forma, aquilo que começou por ser uma história de puro entretenimento acaba por se tornar em algo que nos desafia a pensar sobre várias situações do dia-a-dia...

Sem dúvida, é um livro que vale a pena ler!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

5

Filme: Bonnie & Clyde

Realizador: Arthur Penn
Data de lançamento (U.S.A): 13 Agosto 1967

Vencedor de 2 Óscares:
Best Actress in a Supporting Role - Estelle Parsons
e
Best Cinematography - Burnett Guffey

Cast
Warren Beatty         ...     Clyde Barrow
Faye Dunaway         ...     Bonnie Parker
Michael J. Pollard    ...     C.W. Moss
Gene Hackman        ...     Buck Barrow

Duração: 112 minutos

Depois de uns posts mais descontraídos, eis um poster mais...hum...mais CLÁSSICO!
A história de Bonnie & Clyde é bastante conhecida! Este, no entanto, é um filme que dá uma nova visão a estas duas personagens históricas.

Bonnie é uma rapariga do campo que se encontra permanentemente aborrecida.
Clyde é alguém com experiência no mundo da delinquência: é um assaltante de bancos!

***



Os dois encontram-se acidentalmente e Bonnie incita Clyde a iniciarem juntos uma vida de crime, por forma a conseguir uma alteração na sua vida... uma mudança que sempre desejou e que agora se pode concretizar com ele.
Os dois apaixonam-se e começam então uma vida criminosa que se estende por uma grande parte da América do Norte. Assaltam, maioritariamente bancos e, a pouco e pouco, tornam-se conhecidos...

O filme está muito bem conseguido. Consegue ser divertido ao mesmo tempo que nos faz entrar um pouco na "intimidade" destas duas personagens.

Aconselhamos todos a verem este clássico do cinema!

Aqui fica o trailer :) e não se esqueçam de opinar :)

Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%