Envie esta página a um amigo!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

8

Filme: Vertigo

Ano: 1958
Realizador: Alfred Hitchcock
Data de lançamento em Portugal: 13 Janeiro 1959
Género: Crime, Mistério, Romance
Duração: 129 minutos
Actores: James Stewart - John 'Scottie' Ferguson
Kim Novak - Madeleine Elster / Judy Barton
Barbara Bel Geddes - Midge Wood

Hoje vamos falar-vos de um clássico considerado, orgulhosamente, por nós, dos nossos clássicos favoritos.
Vertigo é um thriller de 1958...um daqueles clássicos que temos mesmo de ver, especialmente se somos amantes deste género de filmes. Numa altura como a nossa em que a previsibilidade é uma constante nos filmes, um policial como este faz-nos querer ter vivido na década de 50, onde poderíamos ficar sem fôlego ao ver filmes deste género. E é mesmo sem fôlego que vão ficar quando o virem.

John é um policia reformado (apesar de novo) devido às suas vertigens e medo das alturas (acrofobia) - é daí que deriva o título - VERTIGO. Foi neste filme que o cameramen de Hitchcock inventou o efeito de aproximação da câmara para simular o efeito de vertigem (que podem ver no trailer em baixo)...
Uma vez que se encontra reformado, um seu velho colega pede-lhe para "espiar" a sua mulher que passa horas fora de casa e, quando volta, não se lembra onde esteve nem o que fez...É com ele que vamos descobrir o passado de Madelaine e o porquê dos seus momentos de "loucura" acompanhados das "brancas"...
Algumas pessoas desistem de ver o filme porque, no inicio, basicamente o que se vê o John a seguir Madelaine, e não se percebe bem o que se passa...muito não faz sentido...mas foi mesmo isto que nos manteve em frente da tv - a vontade de saber o porquê!!!

Curiosidade
Na série DR. House no consultório de Wilson existe um poster deste filme. 

Aqui vai o trailer e, como sempre, esperamos a vossa opinião.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

7

Série: Heroes


-->

                                                             Título: Heroes
                                                             Ano de estreia: 2006
                                                             Temporadas: 4
                                                             Género: Aventura
                                                              Produtores: Tim Kring, Dennis Hammer
                                                                                    Allan Arkush, Greg Beeman

Para nós esta série é das poucas que não conseguimos acompanhar até ao fim.
Quando Heroes começou, transformou-se num verdadeiro vício: não perdíamos um único episódio e ficávamos super ansiosas pelo seguinte. E assim foi durante duas felizes e saudosas temporadas. Contudo, assim que decidiram continuar com uma história que já não tinha continuação possível (pelo menos não com a qualidade a que nos tínhamos habituado), arruinaram a série.
De facto, gostámos muito da história no início: heróis com poderes fantásticos e surpreendentes que vivem num mundo que desconhece a sua existência e que passam todo um conjunto de peripécias que nos prendem ao ecrã entusiasmadíssimos com aquilo que se vai passar a seguir. Mas, assim que a série chega à “fatídica” 3ª temporada, a qualidade começa a cair a pique. O motivo é simples: personagens desaparecem da série sem qualquer explicação, personagens que “agora são bons, no episódio seguinte decidem que são maus mas mais tarde lembram-se que afinal estão do lado dos bons”, começamos a perceber que quase existem mais heróis que simples mortais à face da terra pois todos parecem ter um “poderzinho” (nem que seja mesmo uma coisa sem grande utilidade) e começam a acontecer peripécias na história que mais parecem uma tentativa desesperada dos argumentistas para continuar com uma história que já devia ter acabado.
Resultado: desistimos a meio da terceira temporada, embora uma amiga nos tenha contado tudo o que aconteceu até ao final da 4ª temporada. Só não nos contou o que aconteceu a seguir pois tal não existe…uma vez que a série foi cancelada (pelos vistos não fomos as únicas a desistir).

Mas pelo menos as duas primeiras temporadas são dignas de se ver.



Trailer


segunda-feira, 21 de junho de 2010

15

Livro: A criança que não queria falar

Livro: A criança que não queria falar
Autora: Torey Hayden

Neste livro fala-se de uma violenta criança de seis anos com problemas a níveis sociais e emocionais. Tudo isto muda quando encontra a autora do livro, uma professora de necessidades educativas especiais. O grande problema deste livro é o facto da autora ser muito...CONVENCIDA...
Basta ler a capa do livro para encontrarmos a seguinte frase:

"Era uma criança de seis anos insociável, violenta, perdida num mundo de raiva e sofrimento... até encontrar uma jovem e brilhante professora."

Quem é que se autodescreve logo na capa desta forma? BRILHANTE!! Enfim...
No entanto, a história descrita no livro é uma história veridica. 
Sheila, de seis anos, foi abandonada por uma mãe adolescente, tendo sido repetidamente maltratada e abusada. A lição importante deste livro é que, apesar de tudo, com a ajuda necessária, os malefícios de uma infância conturbada podem ser reversíveis.
Sheila é destacada para a sala de Torey e é aí que a sua vida muda completamente uma vez que as duas estabelecem fortes laços afectivos. Aconselhamos este livro a estudantes de Psicologia, professores que possam lidar com estas temáticas ou simplesmente aos mais curiosos e interessados por estas temáticas.

Desde a sua publicação, em 1980, o livro já vendeu 8 500 000 exemplares no Reino Unido tendo já sido traduzido em 27 línguas diferentes.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

6

Filme: A Cerca


Título Original: Rabbit-Proof Fence
Título Portugal: A Cerca
Ano: 2002
Género: Drama, Aventura
Realizador: Phillip Noyce


Hoje vamos falar de um daqueles filmes que nos faz sentir "pequeninos" depois de o vermos ao percebermos que existem pessoas no mundo com uma coragem e determinação que nunca imaginámos que fosse possível. Após vermos "A Cerca", ficámos com uma sensação de revolta e indignação ao constatarmos o quão cruel e malévolo o ser humano por vezes pode ser mas também com uma mensagem de esperança ao percebermos que existem histórias com as quais todos temos muito a aprender.


"A Cerca" relata a história verídica de 3 raparigas australianas que fizeram parte das crianças conhecidas como a “Geração Roubada”, quando nas primeiras décadas do século XX o governo australiano decidiu retirar as crianças aborígenes às suas famílias a fim de terminar com a herança cultural do povo originário desse continente.
No filme, acompanhamos as duas irmãs Molly (14 anos) e Daisy (8 anos) juntamente com a sua prima Grace (10 anos) quando estas conseguem escapar do acampamento para onde tinham sido levadas pelas autoridades e dão início a uma longa jornada de regresso a casa. À sua frente têm cerca de 2000km para percorrer a pé por uma das zonas mais áridas e inóspitas da Austrália, atrás de si têm as autoridades que dão início à sua perseguição quando se apercebem do seu desaparecimento. A única forma que têm para descobrir o caminho de regresso a casa é guiarem-se por uma longa vedação que divide o país de norte a sul para impedir que os coelhos ataquem as plantações.
E assim começa a sua longa jornada, numa luta pela sobrevivência para conseguirem regressar a casa para junto das suas famílias...

Apesar deste filme ser desconhecido para grande parte do público, é um verdadeiro must-see. Todos temos muito a aprender com ele e no final, por certo, deixar-vos-á rendidos com esta extraordinária história! 
 
Trailer


Bons filmes!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

3

Série: Ruth Rendell Mysteries

Ano: 1994
Director: Marc Evans

DVD 1 - Mater of the Moor (O senhor da charneca)
DVD 2 - Vanity Dies Hard (Vaidade Fatal)

Estes são os dois primeiros DVD's e as duas primeiras histórias da serie Ruth Rendell Mysteries. O primeiro conta com a fantástica interpretação de Colin Firth quando ainda era muito novo, onde já demonstrava o seu enorme potencial. Relativamente à história, o DVD é a adaptação do livro "O senhor da charneca" (encontra o post aqui) pelo que nos vamos referir apenas às parecenças entre a adaptação cinematográfica e o livro. De facto, elas são inúmeras e  o filme está mesmo muito parecido com o livro no entanto, apareceram uns pequenos pormenores a meio do filme que não se encontravam no livro e, o final, é ligeiramente diferente (o final do livro é melhor, mais empolgante e imprevisível).

Relativamente ao segundo DVD, foi uma ENORME surpresa! Fantástico mesmo. Ficámos durante todo o filme com o coração nas mãos sem entender o que estava a acontecer e, o final, é completamente imprevisível, requintado e inesperado.
A História? Alice Whittaker era rica e bonita. Após um terrível passado com um homem, Alice volta para casa do tio e casa com Andrew Fielding, um rapaz muito mais novo que ela. Tudo corria bem até que a sua melhor amiga Nesta desaparece sem deixar qualquer rasto. O que lhe aconteceu? E porque é que ninguém quer que Alice descubra a verdade? Não é verdade que Nesta não deixa qualquer rasto...atrás dela deixa um mar de confusão, interrogações e pistas que são lançadas a Alice...será ela capaz de descobrir o que se encontra por detrás do desaparecimento da amiga?

Gostariamos de vos deixar o trailer mas, infelizmente, não fomos capazes de  o encontrar. É no entanto possível ver o senhor da charneca no youtube e na íntegra, aqui (http://www.youtube.com/watch?v=Vnof-o1n9Hk&feature=PlayList&p=507D42D992BDDD6E&index=0)

Dêem-nos a vossa opinião...

quinta-feira, 10 de junho de 2010

6

Filme: À prova de morte

                                                                                   
                                                                                                                                                  
                                                             Título Original: Death Proof
Título Portugal: À prova de morte
Ano: 2007
Género: Acção, Thriller
Realizador: Quentin Tarantino


Os fãs de Quentin Tarantino que nos desculpem, mas temos mesmo que dar a nossa opinião sincera relativamente a mais um filme do realizador que nos tem habituado ao melhor e... ao pior. À prova de morte, tal como é costume em Tarantino, é bastante diferente dos filmes que estamos acostumados a ver e, desta forma, consegue destacar-se pela originalidade.

A história apresenta-nos Stuntman Mike (brilhantemente interpretado por Kurt Russell) um duplo de filmes que decide utilizar o seu carro “à prova de morte” para fins menos correctos: matar jovens raparigas indefesas.
Tudo lhe corre de feição até que, num certo dia, decide “brincar” com um grupo de raparigas que descansadamente conduziam o seu carro pelas ruas desertas dos E.U.A. Contudo, quando se apercebe, é o próprio predador que se torna na presa... A partir daí, o dono do carro “à prova de morte” inicia uma fuga pela sua vida, quando percebe que as raparigas não estão para brincadeiras…

O que se passa é o seguinte: se conseguirem aguentar os primeiros 40 min de diálogos lonnguíssimos (a grande paixão de Tarantino) e cenas aparentemente desnecessárias (a grande questão é: será só aparentemente??), talvez consigam apreciar a parte final do filme. A verdade é que gostámos dos últimos minutos, o que nos deixou a pensar:
- "Era mesmo necessário termos sido torturadas com uma lap dance, uma cena de beijos típica de liceu e uma conversa de bar sem interesse nenhum até chegarmos ao que realmente importa?"
 Sinceramente, parece que a genialidade de Tarantino tanto nos surpreende (ou não fosse Kill Bill um dos filmes no nosso top de preferências) como nos dá sono...
Mas bem, o melhor mesmo é comprovarem por vocês mesmos aquilo que estamos a dizer.


Trailer



Bons filmes!!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

11

Livro: O Senhor da Charneca

Título: O Senhor da Charneca
Autor: Ruth Rendell
Páginas: 194
Género: Policial

Os policiais são o meu estilo de livro favorito! Ouvi dizer maravilhas da autora Ruth Rendell. Na faculdade, uma professora de quem eu gostava muito dizia que um psicólogo deve ler muitos livros dela. Então, lá fui eu.. o que se destaca logo nesta autora (por comparação a outros autores de policias como Agatha Christie), são as longas descrições que faz das paisagens estonteantes que nos apresenta. Depois de lermos este livros só nos dá vontade de comparar Ruth Rendell ao Eça de Queirós.

A História: Na bellissima Charneca, que muitos desprezam, fora encontrada uma vítima jovem, loura...o rosto encontrava-se desfigurado e o cabelo rapado. Aquela Charneca, que é a verdadeira paixão da personagem principal, transforma-se então num local onde todos centram a sua atenção... muitos são os que a visitam agora em busca de algum indício que ajude a resolver este crime ou então, simplesmente, por curiosidade. Mas será aquela jovem vítima apenas a primeira de uma série de homicídios? Porquê matá-la, e porquê na Charneca? É uma história interessante com um final surpreendente, digno dos verdadeiros amantes de policias!

Nota: alguns livros desta autora encontram-se sob o pseudónimo de Barbara Vine.

Também este livro foi adaptado para o cinema assim como outros Romances Policias de Ruth Rendell

quinta-feira, 3 de junho de 2010

4

Livro: Vai aonde te leva o coração

Título Original: Và dove ti porta il cuore
Título Portugal: Vai aonde te leva o coração
Autor: Susanna Tamaro
Género: Drama
Ano: 1994
Páginas: 120


Hoje vamos falar de uma das obras mais conceituadas desta grande escritora, que nos tem habituado a livros que são um verdadeiro prazer para os leitores.

Em Vai aonde te leva o coração acompanhamos a história de três gerações (avó, mãe e filha) pelos olhos da avó que decidiu deixar num diário o registo destas três vidas para que a sua neta pudesse entender tudo o que se passou ao longo dos anos. Assim, somos confrontados com as diferenças existentes entre as três gerações e, à medida que a leitura avança, vamos percebendo porque é que estas três mulheres percorreram os diferentes caminhos que escolheram e o motivo das decisões que tomaram e que definiram as suas vidas.

Para nós, o grande destaque deste livro vai para a brilhante forma como está escrito: repleto de frases que apetece ler e reler para perceber realmente a mensagem que Susanna Tamaro pretende transmitir com esta obra que se revelou um verdadeiro sucesso em todo o mundo. Não dizemos que seja um livro que agrade a toda a gente, já que pode tornar-se um pouco cansativo para algumas pessoas. Mas não há dúvida que para aqueles que apreciam este tipo de leitura este livro é uma referência incontornável. 
O livro acabou por dar origem a um filme com o mesmo nome que, tal como o livro, foi feito para agradar apenas a um público restrito, que goste deste tipo de leitura.
Mas o melhor mesmo é darem uma oportunidade a esta grande obra e experimentarem por vocês mesmos aquilo que estamos a dizer.

Boas leituras!
Ocorreu um erro neste dispositivo

1%

1%